Publicidade

Estado de Minas

Miza Easy 125 - Fácil lá, fácil cá

Motoneta chinesa tem motor de quatro tempos, freio a disco na dianteira, partida elétrica, aros com rodas de 17 polegadas e painel completo, que inclui conta-giros


postado em 02/01/2008 14:15

Visual é típico das motonetas asiáticas(foto: Marlos Ney Vidal/EM - 30/11/07)
Visual é típico das motonetas asiáticas (foto: Marlos Ney Vidal/EM - 30/11/07)
Os deslocamentos urbanos individuais, especialmente nos grandes centros, estão ficando cada vez mais complicados. Sabendo disso, os fabricantes de motocicletas desenvolvem modelos como solução para essa 'problemática'. Nesse quesito, os chineses, que representam a maior população do planeta, e também o maior problema, oferecem uma vasta gama de produtos, que também estão chegando ao Brasil. Um bom exemplo é a marca Miza, que, além de motos e scooters, tem a motoneta Easy 125.

O trânsito é tão caótico em alguns países asiáticos, que os scooters, motos e motonetas viram gênero de primeira necessidade, na prioridade dos habitantes. Com a grande demanda, é natural a oferta de uma infinidade de modelos (em alguns casos, bem parecidos), que acabam sendo vendidos também em outros mercados, como o do Brasil. A Motoneta Miza Easy segue este figurino, mas tem uma receita já testada e aprovada, como, por exemplo, rodas maiores, de 17 polegadas, para suportar as nossas crateras de cada dia.

Fórmula
A receita tem ainda algumas diferenças. No painel, as informações são por atacado: além do velocímetro de praxe, tem indicador de marcha engatada, carga da bateria e nível de combustível, além luzes de advertência e até um conta-giros. Por outro lado, a roda maior na traseira tomou espaço do porta-malas, embaixo do banco, que fica restrito a um porta-ferramentas. Para compensar, a Easy tem um porta-objetos (em forma de grade) no vão central.

Outra comodidade é a possibilidade de regulagem da suspensão traseira. A compressão da mola dos dois amortecedores pode ser alterada manualmente, de forma simples e rápida, para rodar com mais peso ou mais um passageiro. A suspensão dianteira é telescópica, do tipo convencional. O freio dianteiro é a disco e tem válvula de alívio mecânico, que funciona como uma espécie de ABS sem gerenciamento eletrônico. O freio traseiro é a tambor mesmo.

Andando
O motor do Easy 125 cm³ segue a receita clássica (um cilindro, quatro tempos e refrigeração a ar), que desenvolve 6,0 cv a 6.000 rpm e torque máximo de 0,9 kgfm a 5.000 rpm. A partida é elétrica, com opção do pedal. Na hora de andar, o motor dá conta do recado, sendo esperto nas acelerações, o que facilita a agilidade no pára-e-anda do trânsito. O manejo fica ainda mais fácil com a embreagem automática e o câmbio de quatro marchas, que tem sistema rotativo, que possibilita voltar para primeira, durante a parada no semáforo, por exemplo.

O freio pára bem, sem sustos, mas o ABS mecânico na dianteira nem foi sentido. O visual incorpora outro costume asiático: o cobre-corrente integral. A marca também está desenvolvendo a adaptação de um bauleto na traseira, para aumentar a capacidade de carga. O peso a seco é de 103 kg. A Miza é montada em Araraquara, São Paulo (até a transferência para Manaus), e planeja construir um centro de distribuição de peças em Avaré (SP). O modelo Easy 125 custa R$ 4.700 e pode ser encontrado na MM Motos, telefone (31) 3462-8355.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade