Publicidade

Estado de Minas

Yamaha Bobby - Cabe até no porta-malas

Diante do caos urbano, provocado pelo crescente número de carros e transporte coletivo deficiente, veículos práticos e dobráveis, como este scooter elétrico, viram solução


postado em 06/04/2008 14:25

Yamaha Bobby pode ser dobrado, para facilitar transporte e guarda(foto: Fotos: Yamaha/Divulgação)
Yamaha Bobby pode ser dobrado, para facilitar transporte e guarda (foto: Fotos: Yamaha/Divulgação)
A Yamaha, como a maioria dos fabricantes de veículos, está sempre procurando novas soluções para o transporte, desenvolvendo tecnologias e modelos experimentais, que, depois de muitos testes, podem ganhar a linha de produção. No 40º Salão de Tóquio, ano passado, a Yamaha exibiu, entre outras motos-conceito, o modelo Bobby. Trata-se de um scooter elétrico, dobrável, extremamente compacto, que pode ser transportado até no porta-malas dos automóveis.

Quem mora longe dos grandes centros poderia ir de carro de casa até um estacionamento mais perto da área central das cidades, quando passaria a usar o Bobby, deixando o automóvel parado, ajudando a reduzir os problemas de engarrafamento e de transporte público lotado, economizando tempo, além de contribuir para melhorar o meio ambiente. Essa espécie de lambreta de bolso tem ainda outros atrativos para o atribulado dia-a-dia urbano, como o acesso à internet.

Telefone
Desenvolvido em parceria com a também japonesa Sony, o scooter elétrico Bobby pode ser ligado e desligado por um celular habilitado, dispensando o uso das chaves tradicionais. O acesso à internet sem fio é feito por tecnologia FeliCa, da Sony. Se o piloto desejar, o Bobby pode até mesmo ser levado para o local de trabalho. Ou se transformar em escritório ambulante. Para recarregar, basta plugar o pequeno scooter elétrico e dobrável na tomada.
O motor é a eletricidade, com bateria recarregável, e tem como ser ligado com celular
O motor é a eletricidade, com bateria recarregável, e tem como ser ligado com celular

As baterias são de última geração, com alta capacidade de armazenamento de energia e baixo peso. Mas o tamanho das baterias e o peso ainda são as principais deficiências dos veículos elétricos, contornadas com o emprego de novos materiais e tecnologias. Com isso, a autonomia, outro calcanhar-de-aquiles, também vai sendo ampliada. No caso do Bobby, o problema é atenuado, já que é veículo exclusivamente urbano, com possibilidade de encontrar sempre uma tomada por perto.

Dobrável
O Bobby pode ser facilmente desmontado, para facilitar o transporte ou a guarda, no escritório ou em outros locais com pouco espaço. O banco, guidão, pedais e a roda traseira são articulados, para facilitar a operação. Dobrado, o veículo fica bastante compacto. O motor elétrico desenvolve potência de 0,58 Kw, suficiente pata transportar um passageiro em percursos urbanos de pequena distância.

O pequeno veículo tem suspensão dianteira telescópica, e traseira do tipo mono, além de rodas maciças e farol com lâmpadas do tipo led. O Bobby tem 111 cm de comprimento, 56,7 cm de largura e 92 cm de altura. Dobrado, as dimensões mudam para 76,8 cm de comprimento, 32 cm de largura e 96,5 cm de altura. A altura aumenta ligeiramente, já que as rodas ficam mais próximas. Ainda um veículo experimental, o Bobby seria boa alternativa urbana.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade