Publicidade

Estado de Minas

Sundown VBlade 250 - Custom de longe


postado em 21/05/2008 15:15

Com porte avantajado, VBlade tem motor com dois cilindros em V(foto: Fotos: Ruivaldo Costa/Sundown/Divulgação)
Com porte avantajado, VBlade tem motor com dois cilindros em V (foto: Fotos: Ruivaldo Costa/Sundown/Divulgação)
A marca Sundown, com fábrica em Manaus, começou no segmento das duas rodas movidas a feijão, produzindo bicicletas. Líder no mercado, já fabricou mais de 6,5 milhões de unidades e tem mais de 10 mil pontos-de-vendas espalhados pelo Brasil. O salto para as motos foi questão de tempo, o que aconteceu em 2003. Hoje, produz com tecnologia chinesa linha de motocicletas populares, uma motard, uma fora-de-estrada, scooters e a mais sofisticada custom VBlade 250.

Diferentemente dos outros modelos, derivados da quase impronunciável marca chinesa Qingqi (algo como Quinqui), a VBlade 250 é derivada da, um pouco menos complicada, Zhongsen. Apresentada no Salão das Duas Rodas de 2005, em São Paulo, a VBlade segue a receita custom, com muitos cromados, porte avantajado, banco em dois níveis, pedaleiras do tipo plataforma (sobre coxins), avançadas, guidão estilo chifre de boi e muito conforto. Uma fórmula que não exige grandes modificações, mas apenas ajustes, como no modelo 2008.

Sintonia
Para se adaptar melhor às exigências do consumidor brasileiro, tanto em qualidade quanto em estilo, a Sundown mantém na China quase 150 funcionários, entre engenheiros e técnicos, para orientar e fiscalizar a fabricação dos componentes e o embarque para Manaus, onde os modelos são montados, utilizando também componentes e peças nacionais e de fabricação própria. Mesmo com toda essa logística, a VBlade ainda conserva traços e cacoetes nitidamente asiáticos.
Pára-lamas traseiro grande e afastado da roda destoa do conjunto
Pára-lamas traseiro grande e afastado da roda destoa do conjunto

O pára-lamas traseiro, por exemplo, destoa do conjunto e parece ter sido aproveitado de um modelo bem maior. Grande e retangular, fica afastado da roda, quase no estilo das motos fora-de-estrada, criando um extravagante efeito visual. Mesma concepção do escape cromado, com proteção e ponta afunilada, estilo "Jaspion". As alterações do modelo 2008 foram apenas técnicas: geometria do quadro, construído em aço, do tipo clássico berço duplo, vedação da tampa do tanque de combustível e regulagem da suspensão dianteira, para privilegiar o conforto.

Técnica
O motor tem a arquitetura preferida dos modelos custom, com o tradicional dois cilindros em V, com inclinação a 70 graus, refrigeração a ar, duas válvulas por cilindro, 248 cm³ de cilindrada, que fornece 19,7 cv a 8.000 rpm e torque de 1,57 kgfm a 7.500 rpm. Como na filosofia custom, empurra sem muita pressa, mas dá conta do recado. O destaque é o conforto na pilotagem e a ergonomia mais relaxada, inclusive para a garupa, que conta com encosto, batizado de sissy-bar, como equipamento de série.

O freio dianteiro é a disco, do tipo margarida, com 270 mm, e, embora tenha acionamento hidráulico, exige força. O traseiro é a tambor, com 160 mm. A suspensão dianteira é telescópica, e a traseira mono, regulável. Os pedais de freio e marcha também são reguláveis para melhorar o conforto. O painel é em cima do tanque, com velocímetro em destaque e tela digital com as demais informações. O peso a seco é de 163 kg, e as rodas em liga leve desenhada com "perfurações". O preço sugerido é de R$ 13.700. Informações: 0800 701-0366.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade