Vespa GTS 300 Super - A maior de todas

Modelo tem novo motor, o maior já produzido pela marca em sua história de seis décadas de tradição. Acabamento requintado e itens de conforto tornam scooter mais atraente

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 01/06/2008 10:37 Téo Mascarenhas /Estado de Minas
Propulsor tem refrigeração líquida, injeção eletrônica e produz 22 cv - Fotos: Piaggio/Divulgação Propulsor tem refrigeração líquida, injeção eletrônica e produz 22 cv
Espécie de avó dos scooters atuais, a italiana Vespa, do Grupo Piaggio, é um verdadeiro fenômeno de longevidade. Com nada menos de 62 anos, nunca saiu de moda, tornando-se referência no segmento. De 1946, quando foi apresentada, até os dias atuais, foram produzidas cerca de 17 milhões de unidades, comercializadas nos quatro cantos do mundo, com 145 modelos e versões diferentes. Todos, embora constantemente modernizados, respeitaram os traços originais, com as inconfundíveis formas arredondadas.

Exatamente como o último e mais recente modelo, o GTS 300 Super, que chega ao mercado agora, para ocupar o posto de Vespa com o maior motor já produzido em sua longa história. O propulsor, batizado de Quasar, foi projetado para equipar o modelo GTS 250 e conta com injeção eletrônica, quatro válvulas e refrigeração líquida. Um passo adiante para combater com as mesmas armas a feroz concorrência. Com alteração no diâmetro e curso do pistão, a capacidade volumétrica do motor foi aumentada para 278 cm³.



Fôlego
Com as modificações, a nova Vespa GTS 300 ganhou mais fôlego para circular tanto na cidade, sua verdadeira praia, quanto em estradas ou grandes avenidas sem esforço, na mesma balada do trânsito. Ganhou também sobrenome Super, que indica até uma certa esportividade, se o piloto quiser. Para atender às exigências dos tempos modernos e continuar firme em sua trajetória, a Vespa optou por oferecer um motor mais musculoso e acabamento mais requintado.
Rodas são de liga leve, com aro de 12 polegadas - Rodas são de liga leve, com aro de 12 polegadas

Com o novo propulsor, a GTS 300 Super desenvolve 22 cv a 7.500 rpm e um torque de 2,2 kgfm a 5.000 rpm. Como nos scooters tradicionais, o câmbio é automático, do tipo CVT, assim como a embreagem. Para pilotar basta acelerar e frear. Diferente, porém, é o painel, totalmente analógico (embora, eletrônico), para compor o visual clássico. Clássico também é o farol, com formato arredondado e instalado no guidão. O pára-lama dianteiro é envolvente, com acabamento em alto relevo, como nas pioneiras.

O quadro não tem as vigas tradicionais, mas a própria 'carroceria', com partes em chapas de aço, compõe o esqueleto do modelo, que conta com reforços em partes estratégicas. A providência economiza espaço e permite conforto, com um grande vão central para as pernas, além da instalação do quase camuflado radiador de refrigeração do motor. Embaixo do banco, mais espaço, como um generoso porta-malas, com direito a chave, para alojar compras ou o capacete.

No quesito conforto, a nova Vespa GTS 300 Super pode ser equipada com banco tipo touring ou sport, com assento único, além de uma extensa lista de acessórios, como bauleto, pára-brisa etc. As rodas são de liga leve, com aro de 12 polegadas, calçadas com pneus sem câmara. A suspensão dianteira é do tipo mono, com mola do amortecedor vermelha, para contrastar. A traseira tem dois amortecedores reguláveis. O tanque comporta 9 litros, o peso a seco é de 148 kg, e os freios têm discos de 220 mm nas duas rodas. A Vespa é importada para o Brasil pela Piva Import. Informações: (11) 5506-5080.

Veículos

Encontre seu veículo

Ultimas Notícias

ver todas

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
Queremos sua ajuda para deixar a experiência no VRUM ainda melhor! Participe Participe