Publicidade

Estado de Minas

Motor-Z - Mudo e sem fumaça

Fabricante apresenta outros dois scooters elétricos em sua linha, equipados com motores silenciosos e que não poluem o meio ambiente


postado em 16/07/2008 18:00

O SS 500 elétrico é o modelo de entrada, e tem motor de 500 watts(foto: Fotos: Motor-Z/Divulgação)
O SS 500 elétrico é o modelo de entrada, e tem motor de 500 watts (foto: Fotos: Motor-Z/Divulgação)
A Motor-Z apostou na eletricidade como fonte alternativa de combustível e lançou no início de 2007, no Brasil, sua linha de scooters elétricos, composta de três modelos (V 500, S 500 e S 800). No final do mesmo ano, ampliou a família, apresentando durante o Salão das Duas Rodas, em São Paulo, mais dois modelos elétricos - SS 500 e S 1000 -, além de iniciar a comercialização de dois scooters, o pequeno SCO 50 e o mais potente SCO 150 e a motoneta do tipo CUB, com motor de 110 cm³, todos a gasolina.

A montadora está instalada em São Bernardo do Campo (SP), é ligada ao grupo Zeppini, com mais de 50 anos de tradição no ramo metalúrgico e mecânico, e tem uma linha de montagem própria, onde recebe os modelos importados desmontados da China. Entretanto, os scooter e a motoneta são produzidos segundo especificações da Motor-Z, marca que batiza os modelos no Brasil. Até o fim do ano, a marca vai ampliar a linha com novos modelos, sempre de baixa cilindrada.

Aposta
Os constantes aumentos no preço do petróleo, somados a um trânsito progressivamente caótico e à necessidade de reduzir a emissão de poluentes, apontam para os veículos elétricos como uma opção urbana cada vez mais viável. A desvantagem dos veículos elétricos é a pouca autonomia e peso das baterias. Situação que vai mudando com o desenvolvimento de novos acumuladores, mais leves, potentes e duradouros.
O S 1000 tem dois motores de 500 watts, que podem ser usados juntos ou separados
O S 1000 tem dois motores de 500 watts, que podem ser usados juntos ou separados

A motor-Z acrescentou à sua linha o scooter de entrada SS 500, que conta com motor de 500 watts de potência, proporcionando velocidade máxima de 50 km/h e autonomia de 40 quilômetros. O modelo, ideal para deslocamentos curtos, tipicamente urbano, pode ser reabastecido em uma tomada comum, em uma operação que pode durar entre duas e oito horas, dependendo da carga remanescente na bateria. A curiosidade é que não tem escapamento e não faz barulho quando se aciona o acelerador, que na verdade é um reostato.

Duplicado
As demais características do scooter são semelhantes às de um modelo convencional, com rodas aro 12 polegadas, suspensões tradicionais e escudo frontal. A diferença está no painel, que em vez de instrumento para informar o nível do tanque de combustível, indica a carga da bateria. O peso é de 75 kg, e o preço R$ 3.855. O modelo S 1000 é mais sofisticado e tem maior potência. Na verdade, são dois motores de 500 watts cada um, somando 1000 watts de potência.

Cada um dos motores é montado diretamente em cada roda, e o piloto pode acionar, conforme sua conveniência, o traseiro, o dianteiro ou os dois simultaneamente. Com isso, a capacidade de carga do S 1000 é de 90 kg, e a velocidade máxima sobe para 65 km/h. Tem também maior autonomia, dependendo do uso dos dois motores. A suspensão dianteira é telescópica, com 85mm de curso, e a traseira tem duplo amortecedor. As baterias dos motores são do tipo selada e têm 48V e 20 AH. O peso é de 85 kg e os freios a tambor. O preço é de R$ 5,2 mil. A concessionária na Grande Belo Horizonte é a Asa Motors, telefone (31) 3351-5659.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade