Publicidade

Estado de Minas

Kahena 250 Dual Top - Coração paralelo

O modelo tem motor de dois cilindros, suspensão invertida na dianteira, mono na traseira e freios a disco ventilados. Estilo tem detalhes que remetem aos anos 1970


postado em 03/09/2008 15:58

Visual mistura cromados com desenho sóbrio(foto: Fotos: Vicente Chen/Kahena/Divulgação)
Visual mistura cromados com desenho sóbrio (foto: Fotos: Vicente Chen/Kahena/Divulgação)
O mercado nacional de motocicletas está em acelerada e contínua expansão, em parte graças ao grande número de marcas e modelos chineses que a cada dia desembarcam no país. A invasão vem de vários flancos, onde são, em alguns casos, simplesmente montadas, ou, ainda, fabricadas com algum índice de nacionalização, começando pelo Amazonas, em Manaus, passando também pelo Ceará, estados da região Sudeste e até dos hermanos argentinos.

A ofensiva começou concentrada nos modelos utilitários de 125 cm³ e agora vai se espalhando por outros segmentos e categorias, como a Kahena 250 Dual Top. O novo modelo vai chegar ao mercado ainda este mês e se encaixa na categoria das motos 'produzidas' no Brasil, com algumas peças nacionais e outras desenvolvidas especialmente para o modelo, conforme especificações da própria Kahena, que está instalada no bairro paulistano do Tatuapé.

Tempo
Segundo a montadora, que já produziu a motossauro Kahena 1600 - equipada com o tradicional motor Volkswagem refrigerado a ar e que foi exportada até para o Japão -, foram gastos 15 meses no projeto, desenvolvimento e testes para adaptação do novo modelo, para atender o gosto do mercado nacional. A marca já comercializa modelos utilitários de 125 cm³ e agora dá o salto para o segmento das 250 cm³, com a Dual Top, que chega com requintes mecânicos.
O painel é completo e tem instrumentos com fundo branco
O painel é completo e tem instrumentos com fundo branco

O motor não é o clássico monocilindro e nem um dois cilindros em V. Trata-se de um ‘coração’ com dois cilindros paralelos, com refrigeração a ar. Para acompanhar, a alimentação também é feita com dois carburadores, e a exaustão, com dois longos escapamentos de saída baixa. Um de cada lado da motocicleta, cobertos por uma capa de proteção cromada, equipada com furinhos, ao melhor estilo ralador de queijo. O propulsor, do tipo quatro tempos, está equipado com partida elétrica e desenvolve 19,8 cv a 8.400 rpm.

Visual
A nova Kahena 250 Dual Top vem com suspensão dianteira hidraúlica invertida Upside Down. A suspensão traseira é do tipo mono, com possibilidades de regulagem. O freio dianteiro tem dois discos ventilados, mordidos por pinças de dois pistãos. O freio traseiro também é a disco, com a mesma pinça. As rodas são em liga leve, de 17 polegadas de diâmetro, calçadas com pneus de características esportivas. Outro cacoete esportivo está nos semiguidãos (em vez de um guidão), rebaixados, que deixam a posição de pilotagem mais deitada.

O farol é redondo, como nas motos dos anos 1970, assim como o painel, com instrumentos arredondados de fundo branco. Estão presentes o velocímetro, conta-giros, marcadores de combustível e de marcha engatada, além de dois hodômetros. A lanterna traseira é envolvente e conta com duas lâmpadas. O tanque, com apliques cromados nas extremidades, tem capacidade para 21 litros. O novo modelo Kahena 250 Dual Top vai custar R$ 12.800. Informações: www.kahena.com.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade