Suzuki Burgman 125 - Elixir urbano

Bastante prático nos deslocamentos nas cidades ou em curtas distâncias, modelo ainda conta com algumas mordomias, como câmbio automático, partida elétrica e porta- objetos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 02/11/2008 15:30 Téo Mascarenhas /Estado de Minas
Banco é confortável e abriga sob o assento pequeno porta-malas - Fotos: Mário Villaescusa/Suzuki/Divulgação Banco é confortável e abriga sob o assento pequeno porta-malas
Os ágeis scooters, veículos urbanos por natureza, nasceram para facilitar o transporte nas grandes cidades ou em curtos trajetos, em uma espécie de 'solucionática' para a 'problemática' dos cada vez mais complicados deslocamentos das pessoas, em meio ao caos do dia-a-dia no trânsito. Lançado no Brasil em 2005, o Suzuki Burgman 125 é um dos legítimos representantes desse segmento, que vai tentando se popularizar, conquistando o consumidor nacional pela praticidade, a exemplo do que já acontece na Europa.

Pequeno e arisco, o Suzuki Burgman 125 tem outros predicados urbanos. O motor, do tipo quatro tempos, com um cilindro, 124 cm³, alimentado por carburador, duas válvulas, com refrigeração a ar forçada por ventoinha, responde surpreendentemente bem ao acelerador, arrancando com disposição e rapidez, quase sempre na frente do fluxo de trânsito, como convém ao pára-e-anda nos congestionamentos da vida. Para completar, tem outras mordomias que facilitam bastante a pilotagem.

Andando
O banco é largo e confortável e os comandos ficam bem posicionados. O câmbio do tipo CVT não exige qualquer prática, bastando acionar o acelerador para que desempenhe suas funções de forma redonda, sem trancos. Assim, para pilotar, basta acelerar e frear, em uma operação quase instintiva. A única estranheza é que o piloto vai sentado, em vez de montado, como nas motos, reduzindo um pouco a sensação de domínio. Em compensação, agiliza o embarque e desembarque, inclusive para mulheres de saia.
Tem freio dianteiro a disco e câmbio CVT - Tem freio dianteiro a disco e câmbio CVT

Outro ponto que interfere na pilotagem é o tamanho das rodas. Os aros têm apenas 10 polegadas de diâmetro, calçados com pneus sem câmara. As rodas em liga leve, muito pequenas, deixam o Burgman 125 bastante arisco, com reações rápidas nas mudanças de direção, além do piloto em permanente estado de tensão 'pré-cratera', torcendo para não encontrar nenhum buraco ou bueiro aberto pelo caminho. Por outro lado, os 12,3 cv do motor a 7.500 rpm e os 1,10 kgfm de torque a 6.500 rpm transmitem muita segurança.

Porta-malas
O freio a disco de 180 mm de diâmetro na roda dianteira e o tambor de 120 mm na traseira param muito bem, mesmo sem a ajuda do freio motor, em função do câmbio CVT. A suspensão dianteira é telescópica e a traseira tem um amortecedor ancorado na balança, com cinco possibilidades de regulagens. O escudo frontal protege dos respingos e abriga um grande farol em bom porta-objetos com chave. O Burgman 125 ainda conta com uma garupeira, para aumentar a capacidade de carga.

Os dois acabam compensando a deficiência do pouco volume do porta-malas sob o banco, que não comporta um capacete fechado. Já o painel, além do velocímetro, hodômetro e luzes de advertência, tem marcador de combustível. O tanque tem capacidade para 7,8 litros. Para facilitar, conta também com partida elétrica, cavaletes lateral e central e chave multifunção, que abre o porta-luvas e o porta-malas. O Suzuki Burgman 125 tem preço sugerido de R$ 5.990. Informações: 0800 707-8020.

Veículos

Encontre seu veículo

Ultimas Notícias

ver todas

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
Queremos sua ajuda para deixar a experiência no VRUM ainda melhor! Participe Participe