Publicidade

Estado de Minas

BMW R 1200 GS - Até o fim do mundo

Capaz de rodar por qualquer tipo de piso, modelo proporciona conforto para longas viagens. Motor é um tradicional boxer de dois cilindros opostos, com força e potência


postado em 15/03/2009 19:25

Apesar do porte avantajado, a BMW R 1200 GS é bastante fácil de pilotar(foto: Fotos: Mário Villaescusa/BMW/Divulgação)
Apesar do porte avantajado, a BMW R 1200 GS é bastante fácil de pilotar (foto: Fotos: Mário Villaescusa/BMW/Divulgação)
Curiosamente, a motocicleta da BMW mais vendida em todo o mundo, e também no Brasil, não é um de seus sofisticados modelos, próprios para rodar em atapetadas estradas de asfalto. Trata-se do modelo R 1200 GS, do tipo misto, estrada e campo, capaz de rodar por qualquer piso e ir até o fim do mundo, se necessário, com bastante conforto, rapidez e muita eletrônica embarcada. Além disso, é equipada com o tradicional motor boxer de dois cilindros opostos, espécie de marca registrada da montadora, com refrigeração a ar e óleo.

Esse motor, robusto e resistente, foi completamente reformado em 2004, passando de 1.130 cm³ para 1.170 cm³, ganhando potência e força, mas perdendo bastante peso. Como o propulsor, a GS foi modernizada, ganhando novo visual e avanços eletrônicos, como o sistema, Eletronic Suspension Adjustment (ESA) (opcional), que regula eletrohidraulicamente a pré-carga das molas das suspensões dianteira e traseira, além dos os amortecedores, conforme as condições de piso e preferências do piloto.

Eletrônica
A sofisticação permite ainda, por meio de um controle no guidão, ajustar a suspensão conforme o peso. Leve (só o piloto), médio (piloto e garupa) e pesado, com piloto, garupa e bagagem. Em cada uma das situações é possível sintonizar a suspensão para uma tocada do tipo esporte, normal ou mais confortável. Para rodar na terra, existem outras duas regulagens, cada uma com três seleções de suspensão, que fornecem dezenas de opções, inclusive uma que aumenta a altura ao solo em até 20 milímetros, para terrenos mais irregulares.
Modelo também está capacitado para encarar pisos de terra
Modelo também está capacitado para encarar pisos de terra

Um verdadeiro quebra-cabeças, que exige planejamento, para não confundir a opção e regular a moto de um jeito oposto ao pretendido. Conforme o modelo, o piloto ainda tem à sua disposição freios do tipo ABS, que pode ser desligado para rodar no fora-de-estrada, aquecedor de punhos e bancos, controle da pressão dos pneus e regulagem na altura do banco, que vai de 850 mm a 870 mm. Já o pequenos para-brisa também pode ser regulado, só que manualmente, assim como o guidão de alumínio.

Pilotando
O porte da GS 1200 impõe respeito. Entretanto, o baixo centro de gravidade, proporcionado pelo motor boxer, facilita bastante o equilíbrio. A posição de pilotagem é bem confortável, com uma ergonomia mais em pé, que não cansa em longos trechos. O estranho é não poder colocar o pé para fora nas curvas em estradas de terra, em posição típica do fora-de-estrada, já que os cabeçotes o impedem. O motor, com 105 cv a 7.500 rpm e 11,5 kgfm a 5.750 rpm, fala alto. É só acelerar que ele responde na hora.

Outra estranheza ocorre na hora de frear. A frente não afunda, em função da suspensão Telelever, com 190mm de curso, ligada diretamente ao quadro. A suspensão traseira é Paralever, com 200 mm de curso, ancorada em eixo cardã. O câmbio tem seis marchas e o peso a seco é de 229 kg. O visual é exótico, com faróis assimétricos e pequeno para-lamas traseiro, e pode ser equipada com bolsas metálicas e outros acessórios. A BMW R 1200 GS custa a partir de R$ 59.900, indo a R$ 88.900 no modelo topo de linha, Adventure Premium. A BMW vai contar com uma concessionária autorizada em Belo Horizonte (Euroville) até o fim do mês. Informações pelo (31) 3004-4100.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade