MV Agusta lança versão 2010 da superesportiva F4

Modelo exclusivo da marca italiana aparece ainda mais potente e leve

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 10/11/2009 14:21 Julio Cabral /Estado de Minas
Fotos MV Agusta/Divulgação
Perto de ser vendida pela Harley-Davidon, a italiana MV Agusta reformou por completo a superesportiva F4, uma novidade apresentada no Salão de Motos de Milão, aberto hoje ao público. Sem esquecer a herança emblemática da moto, a marca construiu um modelo novo. São inéditos o chassi e a suspensão, com uma diminuição de 10 kg no peso total de 192,5 kg. O motor de quatro cilindros de 998 cm³ conta com 20 válvulas e dois bicos injetores por cilindros para extrair 186 cv de potência a 12.900 rpm, 12 cv a mais do que antes. Com isso, a relação peso/potência fica em 1,03 kg/cv, um índice comparável as melhores superbikes japonesas.

As linhas angulosas foram reformuladas e a moto se tornou mais esguia, com 4 centímetros a menos do que a antecessora. O quadro feito em aço e alumínio foi completamente refeito e contribui para a distribuição quase perfeita de massas, de 48% para a dianteira e 52% para a traseira. O tanque está mais afilado. Feito em nylon, essa peça é 1,2 kg mais leve que o tanque anterior. Essa preocupação com a forma deu a MV Agusta F4 uma área frontal reduzida, comparável a uma esportiva de dois cilindros, como as Ducati.

Veja mais fotos da MV Agusta F4 2010!

Estão lá elementos inconfundíveis da F4, como o farol com formato de losango, agora equipado com lâmpadas de xênon, as quatro saídas de escape agrupadas na rabeta e as rodas em forma de estrela, com cinco raios e 1,2 kg a menos. Os angulosos retrovisores, por sua vez, exibem indicadores de direção em LEDs, tal como as setas traseiras e a lanterna.

Equilíbrio dinâmico é garantido neste projeto voltado para as pistas - Equilíbrio dinâmico é garantido neste projeto voltado para as pistas


Para assegurar o equilíbrio, a moto conta com uma nova geração de controle eletrônico de tração. A herança das pistas fica clara em detalhes, como a caixa de marchas de 6 velocidades, que pode ser retirada sem grande esforço, tal como em uma moto de competição. As suspensões são a duplo garfo invertido Marzocchi na dianteira e monobraço na traseira, 1,2 kg mais leve que o antigo. Os freios dianteiros são da Brembo, com dois discos flutuantes, pinças de seis pistões e apenas 5 mm de largura, enquanto o traseiro é da Nissin, produzido especialmente para a moto com pinça de quatro pistões.

O painel é completamente digital, com uma nova tecnologia que permite uma maior resolução e resposta mais rápida, o que assegura uma reprodução instantânea da subida de giros e do ganho de velocidade da superesportiva. A moto pode ainda ser personalizada completamente pelo dono, com peças ainda mais leves, feitas em fibra de carbono, titânio ou magnésio, escapamentos e unidade de controle do motor mais esportivos ou modificações estéticas. Até mesmo a perfeição propalada pela MV Agusta pode ser retocada.

Veículos

Encontre seu veículo

Ultimas Notícias

ver todas
20 de novembro de 2017
04 de novembro de 2017

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação