HONDA CB 600F HORNET - Muda lá, espera cá

Modelo 2011 ganhou ajustes no visual, com novos conjuntos ópticos dianteiro e traseiro, além de painel totalmente digital, conservando o motor de quatro cilindros em linha

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 01/12/2010 15:24 Téo Mascarenhas /Estado de Minas
Fotos: Honda/Divulgação
Acompanhe também o Vrum pelo Twitter

Das pranchetas da badalada escola italiana de desenho nasceu, em 1998, o modelo Honda CB 600F Hornet, inicialmente destinado ao mercado europeu. Uma moto com estilo naked, para uso mais versátil, cidade e estrada, para aproveitar o motor de quatro cilindros em linha da superesportiva CBR 600 RR do ano anterior, devidamente amansado. Com os bons resultados comerciais, a moto foi conquistando mercados, sendo comercializada em outros países, inclusive no Brasil, onde desembarcou em 2004, para ser nacionalizada em Manaus, Amazonas. O modelo 2011, apresentado em Milão, Itália, no início do mês, traz novos aperfeiçoamentos técnicos e estéticos.

A Hornet, que em inglês significa vespa, foi considerada o primeiro modelo nacional a ser equipado com injeção eletrônica pela Honda. Outros avanços, entretanto, foram sendo introduzidos em doses homeopáticas no modelo brasileiro, que permaneceu defasado, enquanto na Europa as novas versões iam se sucedendo rapidamente. O incômodo e estranho atraso só foi resolvido em 2007, quando a Hornet deu um salto de quase uma década, adotando novo visual, com farol assimétrico, escape baixo, além do motor atualizado da CBR 600 RR 2007, transferido logo em seguida para o mercado nacional, corrigindo a demorada distorção.

DESENVOLVIMENTO Para 2011, a Hornet passou por refinamentos de estilo e técnica, que devem igualmente ser incorporados ao modelo brasileiro, produzido em tempos de globalização, com peças asiáticas, europeias e nacionais, sem tanta demora. O modelo ganhou novo conjunto óptico dianteiro, que não difere tanto do anterior, em formato assimétrico triangular, mas passa a adotar defletores laterais e melhor eficiência aerodinâmica junto com a microcarenagem, agora integrada. O painel também é novo e totalmente digital, com o conta-giros em barras crescentes. A parte traseira também foi alterada, ficando mais afilada, com farolete de LEDs e suporte de placa dependurado.

O novo arranjo resultou em um conjunto melhor, além de proporcionar mais harmonia com a moderna dianteira, uma das reivindicações dos consumidores. O novo modelo também ganhou semelhança com a “nossa” CB 300R , projetada pela engenharia do Brasil, com a bênção da matriz japonesa. O propulsor é o consagrado quatro cilindros em linha herdado da superesportiva CBR 600RR, modelo 2007, com 599cm³, convenientemente ajustado para as novas funções, que exigem mais torque, em detrimento da potência. O motor, equipado com injeção eletrônica, 16 válvulas e refrigeração líquida, fornece 102cv a 12.000rpm e um torque de 6,5kgfm a 10.500rpm.

A Honda CB 600F Hornet conta com o sistema de freios antitravamento combinado (C-ABS) como opcional. O sistema, além de não permitir o travamento das rodas na frenagem de emergência, mantém a dirigibilidade, aumentando a segurança e distribuindo a pressão automaticamente. Na dianteira, conta com dois discos de 296mm de diâmetro. Na traseira, um disco simples de 240mm de diâmetro. O quadro é do tipo monotrave em alumínio, com motor fazendo parte da estrutura, para aumentar a rigidez e reduzir peso. Além disso, permite que o motor fique ainda mais exposto, como parte do visual.

O banco mais largo tem dois níveis e fica a 800mm do chão, para maior conforto. A suspensão dianteira é do tipo invertida, com tubos de 41mm de diâmetro e 120mm de curso. A suspensão traseira é do tipo mono, ancorada em balança de alumínio, com 128mm de curso e sete possibilidades de regulagens. As rodas são em liga leve, com aros de 17 polegadas, que aumentam a agilidade nas curvas. O escape tem saída baixa, seguindo a tendência de rebaixar o peso e o centro de gravidade, e um abafador que lembra um limpa-trilhos sob o motor. O câmbio tem seis marchas, o tanque comporta 19 litros e o peso a seco é de 173kg.

Escape tem saída única e baixa, para rebaixar o centro de gravidade - Escape tem saída única e baixa, para rebaixar o centro de gravidade

Veículos

Encontre seu veículo

Ultimas Notícias

ver todas

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
Queremos sua ajuda para deixar a experiência no VRUM ainda melhor! Participe Participe