Sofás ambulantes

Honda apresenta modelo 2018 da Gold Wing e da Gold Wing Tour, boas opções estradeiras

Totalmente reformulado, Honda Gold Wing 2018 vai chegar ao mercado em duas versões, incorporando muita eletrônica e mordomias, mas mantendo a essência do tradicional visual portentoso

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 11/12/2017 15:06 / atualizado em 11/12/2017 15:39 Téo Mascarenhas /Estado de Minas


O para-brisa é regulável na altura e na angulação - Honda/Divulgação O para-brisa é regulável na altura e na angulação
 

Quando foi lançada em 1975, a Gold Wing (asa dourada) assombrou o mundo pelo porte avantajado, com motor de quatro cilindros tipo boxer e 1000cm³. Passados quase meio século, o motor saltou para seis cilindros, subindo para 1.833cm³, além de incorporar ainda mais volume. A nova geração, já como modelo 2018, foi completamente reformulada, com novo quadro, motor atualizado, muita eletrônica embarcada, dupla embreagem e câmbio de sete marchas, além de novas suspensões, painel, menor peso, e muita mordomia para piloto e garupa na estrada.

O motor de seis cilindros O motor de seis cilindros "deitado" é o mesmo para as duas versões

São duas versões: a Gold Wing Tour, com malas laterais além da central; e a Gold Wing, mais “pelada”, com bolsas laterais (bagger). As duas, entretanto, dividem o mesmo conjunto mecânico e vão desembarcar importadas oficialmente no Brasil em 2018, ainda sem preços definidos. Curiosamente, um dos segredos que minimizam as transatlânticas dimensões está exatamente no motor e na física. Como os seis cilindros contrapostos ficam “deitados”, rebaixam e concentram de tal ordem o centro de gravidade, que basta mínima velocidade para se equilibrar como mágica.

 

 

MOTOR O motor ganhou cabeçote de quatro válvulas por cilindro e perdeu 6,2 quilos no peso. Além disso, ganhou acelerador eletrônico e quatro modos de pilotagem: Tour, Sport, Econ e Rain, que ajustam a forma de entrega de potência, conforme o tipo de piso e aderência, além do controle de tração. Também conta com o sistema start&stop, que desliga o motor em paradas mais prolongadas, religando imediatamente ao toque do acelerador, e também o assistente de partida em subidas, impedindo a moto de voltar até arrancar. A potência é de 126,4cv a 5.500rpm e o torque de 17,3kgfm a 4.500rpm.

A Gold Wing Tour tem câmbio com dupla embreagem e sete marchas - Honda/Divulgação A Gold Wing Tour tem câmbio com dupla embreagem e sete marchas

O modelo Tour conta ainda com sistema de dupla embreagem e câmbio de sete velocidades (convencional de seis marchas na Gold Wing), que pode ser operado de forma “automática”, ou por meio de botões no punho esquerdo. Ambas, porém, contam com assistente de manobra, que é uma marcha a ré (e também para frente) acionada eletricamente, na hora que falta “perna” para estacionar os 383kg na melhor posição, apesar de ter “emagrecido” 48kg em relação ao modelo anterior, com muita contribuição de um novo quadro em alumínio.
As malas transportam bagagem e dois capacetes fechados - Honda/Divulgação As malas transportam bagagem e dois capacetes fechados

MORDOMIAS Os freios foram revisados e contam com acionamento combinado nas duas rodas, com ABS, e sincronizados aos modos de pilotagem selecionados, e também do inédito airbag. Na dianteira, duplo disco de 320mm e, na traseira, um disco de 316mm. As suspensões também mudaram. Na dianteira, o garfo está desvinculado do sistema de direção. Dessa forma, não “afunda” nas frenagens, aumentando a dirigibilidade. Na traseira, o sistema está ancorado em monobraço. As mudanças técnicas mantiveram a essência do visual, mesmo mais afilada, e com LEDs na iluminação.

O painel com tela de sete polegadas permite todo tipo de conexão - Honda/Divulgação O painel com tela de sete polegadas permite todo tipo de conexão

O para-brisa, finalmente, ganhou regulagens elétricas, tanto na altura quanto no ângulo de inclinação. A aerodinâmica também foi revista. Para ligar, chave inteligente que libera o funcionamento, mesmo no bolso. As malas transportam bagagem e dois capacetes fechados. O painel com tela de sete polegadas TFT compatível com sistema Apple CarPlay permite chamadas telefônicas e mensagens com comando de voz, acesso a mapas e informações, além de música. Também conta com o computador de bordo, piloto automático e monitoramento da pressão dos pneus.

Tags: honda gold wing tour 1800 estradeira téo mascarenhas duas rodas

Veículos

Encontre seu veículo

Ultimas Notícias

ver todas

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
Queremos sua ajuda para deixar a experiência no VRUM ainda melhor! Participe Participe