Atração no Salão de Duas Rodas, Honda CB 1100 RS foi confirmada para o Brasil

Com visual retrô e tecnologia atual, modelo naked é capaz tanto de desfilar pela cidade tranquilamente quanto de assumir um comportamento mais esportivo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 24/12/2017 12:57 Téo Mascarenhas /Estado de Minas
Honda/Divulgação

A Honda CB 1100 RS foi apresentada durante o Salão Duas Rodas, em novembro, apenas para teste de mercado. Parece que a receptividade foi boa, e a marca já confirmou que a motocicleta vai desembarcar no Brasil em 2018. O modelo naked segue uma tendência “saudosista”, recriando as formas dos anos 1960 e 1970, porém com tecnologia atual. Uma das mais emblemáticas representantes desta época foi a CB 750 Four (apelidada de Sete Galo no Brasil), lançada em 1969, que estabeleceria um novo padrão para grandes motos, com motor de quatro cilindros em linha de 67cv de potência e freios a disco nas duas rodas.

Tanque com formas arredondadas não tem costuras aparentes - Honda/Divulgação Tanque com formas arredondadas não tem costuras aparentes

A Sete Galo do passado é justamente uma das inspiradoras do modelo CB 1100 RS atual, que foi apresentada como conceito no Salão de Tóquio de 2007 e lançada comercialmente daí há dois anos no mercado japonês, e depois para o restante do mundo. De lá para cá, o modelo conservou as características iniciais e a tradição da linha CB, também uma das mais clássicas da marca, lançada em 1959 com o modelo bicilíndrico CB 92 Benly, de 125cm³ de cilindrada e 15cv de potência, sempre com motores em linha.

Painel tem quadro de instrumentos redondos - Honda/Divulgação Painel tem quadro de instrumentos redondos

SOBRENOME
A sigla CB tem o significado Citizen Band (do inglês, Faixa do Cidadão), ou ainda City Bike (Moto Urbana). Este é o espírito do modelo, que leva ainda o sobrenome RS (Race Sport), que acrescenta esportividade, apimentando as possibilidades. A motocicleta tem características tanto para rodar pacatamente na cidade, quanto para acelerar radicalmente pelas curvas da vida. Para tanto, o motor de quatro cilindros em linha de 1.140cm³ de cilindrada e duplo comando de válvulas fornece 90cv a 7.500 rpm e 9,3kgfm de torque a 5.500 rpm. O câmbio é de seis marchas com embreagem deslizante.

Motor de quatro cilindros em linha tem arrefecimento a ar e óleo - Honda/Divulgação Motor de quatro cilindros em linha tem arrefecimento a ar e óleo

A refrigeração, porém, obedece aos conceitos da época, a ar e óleo, com aletas de arrefecimento propositalmente à mostra. Seguindo a filosofia retrô, as suspensões também seguem conceitos clássicos, entretanto com tecnologia atualizada. Na dianteira, garfo Showa não invertido com 43mm de diâmetro e sistema SDBV, que vai deixando a suspensão mais “dura” e também mais esportiva à medida em que vai sendo comprimida e o fim de curso vai se aproximando. Com isso, na hora de acelerar, fica mais precisa nas frenagens e mudanças rápidas de direção.

Iluminação em LED é uma das modernidades do modelo - Honda/Divulgação Iluminação em LED é uma das modernidades do modelo

ESTAMPA
A suspensão traseira também é Showa, com a tradicional dupla de amortecedores laterais, porém equipados com reservatório de expansão de gás externo, reguláveis na pré-carga, ancorados em balança de alumínio. O quadro é em tubos de aço do clássico tipo berço duplo, que sustenta o motor com pontos fixos e emborrachados, para reduzir vibrações. Os freios contam com duplo disco na dianteira, de 310mm de diâmetro, mordidos por pinças Tokico de quatro pistões. Na traseira, disco simples com 256mm de diâmetro e sistema ABS de duplo canal.

O visual tem tanque arredondado com capacidade de 16,8 litros, sem costuras aparentes. Conforme o estilo de época, o farol também é circular, assim como o quadro de instrumentos, composto de dois relógios e computador de bordo. Entretanto, o farol e a lanterna são de LED. Modernidade também nas rodas de liga leve com aros de 17 polegadas de diâmetro. Os escapes são cromados e longos, clássicos como a posição de pilotagem, com guidão mais largo e postura mais em pé.

Tags: rs 1100 cb honda mascarenhas teo vrum rodas duas

Veículos

Encontre seu veículo

Ultimas Notícias

ver todas
12 de fevereiro de 2018

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação