Bisturi afiado

A KTM 790 Duke chega ao mercado mundial com estilo ousado e nova motorização

Com dimensões compactas, desenho agressivo e muita eletrônica embarcada, a KTM 790 Duke é a primeira da marca austríaca a usar um motor de dois cilindros paralelos, chamado de LC8

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 02/04/2018 15:12 Téo Mascarenhas /Estado de Minas


Entre os recursos tecnológicos do modelo, o controle de largada ajuda a domar a fera - KTM/Divulgação Entre os recursos tecnológicos do modelo, o controle de largada ajuda a domar a fera
 

Apelidada de bisturi pela própria fábrica (scalpel, em inglês), a KTM 790 Duke chega agora ao mercado mundial, depois de ser apresentada no fim do ano passado. A linha Duke já tem no Brasil os modelos 200, 390 e 1.290 Super Duke R, porém, ainda não há previsão do desembarque do novo membro da família. Inédito também é o motor da 790 Duke. A marca austríaca abandona a tradicional arquitetura de dois cilindros em V a 75 graus, para modelos de maior porte, e adota pela primeira vez o propulsor equipado com dois cilindros paralelos, batizado de LC8.

Os faróis verticais são separados por uma fenda - KTM/Divulgação Os faróis verticais são separados por uma fenda

Com dimensões pequenas (incluindo o peso total de apenas 169kg a seco, ou sem abastecimento) e exatos 799cm³, o novo motor desenvolve 105cv a 9.000rpm e torque de 8,8kgfm a 8.000rpm, além de contar com oito válvulas, duplo comando e dois eixos balanceiros para minimizar as vibrações. Além disso, o propulsor está acoplado a um câmbio de seis velocidades, com o dispositivo quickshifter, que permite trocar as marchas sem uso da embreagem e sem desacelerar, tanto para cima quanto nas reduções, como nas competições.

 

 

VIGOR Os números indicam uma curva de torque mais plana e em maior quantidade, ainda em regimes de giros em faixas mais reduzidas, favorecendo as reacelerações e retomadas de velocidade, para justificar o apelido de bisturi. Contribui também as reduzidas dimensões gerais e um quadro com componentes em alumínio e o motor como parte integrante. O desenho, elaborado pelo estúdio Kiska, tem a nova identidade visual agressiva da marca, também presente nas 390 Duke, 1.290 Super Duke R e 1.290 Super Adventure.

Dimensões e peso reduzidos contribuem para as boas respostas em retomadas de velocidade - KTM/Divulgação Dimensões e peso reduzidos contribuem para as boas respostas em retomadas de velocidade

Linhas extremamente compactas, vincadas e angulosas, além do exótico bloco de iluminação dianteiro, com farol duplo vertical com LEDs perimetrais e divididos ao meio por uma fenda. Além disso, a KTM oferece cerca de 30 itens opcionais para personalizar e customizar o modelo, incluindo escape mais leve e esportivo, e retrovisores baixos, e também a versão, ainda protótipo, 790 Duke Adventure R, para uso mais radical no fora de estrada, inspirada no modelo 450 Rally, usado em disputas, como o badalado Dakar.
O modelo conta com uma unidade de medida inercial que regula o controle de tração e a pressão dos freios - KTM/Divulgação O modelo conta com uma unidade de medida inercial que regula o controle de tração e a pressão dos freios

CÉREBRO A agressividade do bisturi conta com um cérebro eletrônico para modular a performance e garantir mais segurança. É o IMU, unidade de medida inercial, também empregado nos modelos superesportivos, que interpreta o ângulo de inclinação lateral e longitudinal, aceleração e frenagem, para regular o nível do controle de tração e da pressão dos freios. O pacote eletrônico conta ainda com o controle de largada, que evita as empinadas mesmo com máxima aceleração, e quatro modos de pilotagem, para condução mais agressiva ou mais pacata.

O painel é integralmente digital e pode ser conectado ao celular - KTM/Divulgação O painel é integralmente digital e pode ser conectado ao celular

O sistema de freios ABS é do tipo cornering, que permite frenagens extremas mesmo em curvas (mas pode ser desligado), além do modo supermoto, que possibilita travar a roda traseira. Na dianteira, dois discos de 300mm de diâmetro, com pinças radiais de quatro pistãos, e na roda traseira, disco simples. As suspensões são WP (subsidiária da marca), invertida na dianteira e mono na traseira, com regulagem na pré-carga. O painel é integralmente digital, com tela TFT, que além das funções convencionais e computador de bordo, pode ser conectado ao celular, via Bluetooth.

A KTM 790 Duke tem quatro modos de pilotagem, para uma condução mais agressiva ou pacata - KTM/Divulgação A KTM 790 Duke tem quatro modos de pilotagem, para uma condução mais agressiva ou pacata

O propulsor LC8 desenvolve 105cv de potência e 8,8kgfm de torque - KTM/Divulgação O propulsor LC8 desenvolve 105cv de potência e 8,8kgfm de torque
 

Tags: motorcycle bike motocicleta moto mascarenhas téo rodas duas duke 790 ktm

Veículos

Encontre seu veículo

Ultimas Notícias

ver todas
18 de junho de 2018
11 de junho de 2018

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação