Topo da cadeia

Kawasaki Z 1000R traz mecânica mais apurada a partir de R$ 60.990

Equipado com motor de quatro cilindros em linha, modelo ganhou suspensões e freios modernizados, além de grafismo exclusivo e painel digital com a nova função shift light

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 22/04/2018 15:08 / atualizado em 22/04/2018 15:28 Téo Mascarenhas /Estado de Minas
O motor de quatro cilindros em linha produz 142cv - Mario Villaescusa/Divulgação O motor de quatro cilindros em linha produz 142cv

A família Z da japonesa Kawasaki, oficialmente instalada no Brasil em Manaus, Amazonas, é ampla e diversificada. Entretanto, no topo da pirâmide está o modelo Z 1000, que na versão R ganhou modernizações mecânicas com a grife Ohlins na suspensão traseira e Brembo nos freios. No agressivo visual, a naked Z 1000R segue o padrão definido pela marca como “Sugomi”, que na escrita nipônica representa algo como aura de energia, força, intensidade, admiração e respeito. Predicados que o motor de quatro cilindros em linha, com 1043cm³ reforça, fornecendo 142cv a 10.000rpm e torque máximo de 11,3kgfm a 7.300rpm.

Entretanto, para controlar a cavalaria, o piloto também tem que exercer o Sugomi, pois a Z 1000R ainda não conta com o controle de tração ou modos de pilotagem. O pacote eletrônico fica por conta dos freios com sistema ABS, equipados com pinças Brembo monobloco de fixação radial M50, com quatro pistãos na dianteira, que mordem dois discos de 310mm de diâmetro. Na traseira, um disco simples com 250mm de diâmetro e pinça de pistão único. O reforço também vem dos flexíveis do freio dianteiro com componentes em aço, para reduzir dilatações e aumentar a precisão da desaceleração.

A suspensão traseira ganhou amortecedor ajustável Ohlins - Kawasaki/Divulgação A suspensão traseira ganhou amortecedor ajustável Ohlins

VISUAL Outra modernização na versão R está na suspensão traseira, do tipo mono. O curso foi aumentado em 13mm, saltando para 135mm. O amortecedor único Ohlins fica posicionado praticamente na horizontal e ancorado em balança de alumínio. A suspensão dianteira é invertida, com tubos de 41mm de diâmetro e 125mm de curso, e funções separadas. Enquanto uma canela faz o amortecimento, a outra tem o papel de controlar o retorno. Para ajustar ainda mais a postura de pilotagem, a altura do manete pode ser ajustada em várias posições.

O desenho tem no bloco de iluminação dianteira um exótico conjunto, com minicarenagem e bateria de quatro faróis miniaturizados, enquanto o escape tem estilo megafone, com saídas em ambos os lados e proteção inferior tipo limpa-trilhos. A decoração exclusiva do modelo R conta ainda com grafismos especiais em amarelo marca-texto, protetor de tanque e banco em dois níveis com a letra Z em relevo. O painel digital ganhou a função shift light, representada pela barra do conta-giros, que começa a piscar quando a rotação de troca de marchas programada é atingida.

Painel digital ganhou a função shift light, representada pela barra do conta-giros - Kawasaki/Divulgação Painel digital ganhou a função shift light, representada pela barra do conta-giros

RODANDO
Na hora de “enrolar o cabo”, a cavalaria não discute e o alerta do shift light, junto com o indicador de marcha engatada, ajudam no controle, reduzindo a ausência da assistência eletrônica. Neste sentido, também foi revista a Engine Control Unit (ECU), ou simplesmente modulo de injeção (centralina), para proporcionar uma entrega de potência mais progressiva. Dessa forma, o “coice” da tropa fica mais obediente. Se nas retas a potência faz as curvas chegarem rápido, o novo conjunto de suspensões também permite um contorno mais preciso, gerando mais velocidade e também adrenalina.

O exótico bloco óptico dianteiro deixa o visual agressivo - Kawasaki/Divulgação O exótico bloco óptico dianteiro deixa o visual agressivo

Vento na cara, característica das nakeds, reforça a sensação, com rodas de liga leve com aros de 17 polegadas calçadas com pneus esportivos de medida 120/70 na dianteira e 190/50 na traseira. O quadro tem componentes de alumínio e o motor como parte integrante, aumentando a rigidez e reduzindo peso, que acusa 221kg na balança, em ordem de marcha, ou já abastecida. O banco fica a 815mm do chão e não dificulta o embarque e o desembarque. O preço sugerido da Kawasaki Z 1000R Edition é de R$ 60.990, sem frete.

Tags: kawasaki z 1000r teo mascarenhas vrum

Veículos

Encontre seu veículo

Ultimas Notícias

ver todas
22 de maio de 2018
14 de maio de 2018

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação