Publicidade

Estado de Minas

Um felino de parar o trânsito

Entre os belos automóveis que foram a leilão no Monterey Jet Center, nos EUA, um Jaguar E-Type Série I, de 1965, chamou a atenção pelo desenho e motor possante


postado em 17/11/2006 23:04

As bem desenhadas linhas do roadster inglês renderam lugar entre os poucos carros que fazem parte do acervo do Museu de Arte Moderna de Nova York(foto: Fotos: Pat & Rays Studio/Monterey Jet Center/Divulgação)
As bem desenhadas linhas do roadster inglês renderam lugar entre os poucos carros que fazem parte do acervo do Museu de Arte Moderna de Nova York (foto: Fotos: Pat & Rays Studio/Monterey Jet Center/Divulgação)
O leilão realizado pela Christies no Monterey Jet Center, na Califórnia, EUA, reuniu o que se pode chamar de um excepcional lote de belos e raros automóveis. Entre modelos clássicos, esportivos, fora-de-série e até populares, como uma Kombi de 1954, um dos destaques foi o Jaguar E-Type Série I com motor 4.2 , de 1965. Trata-se de um roadster que foi considerado uma referência na linha Jaguar, sendo chamado de um dos mais belos automóveis produzidos em todos os tempos. Tanto é verdade que esse E-Type é um dos três carros que fazem parte do acervo do Museu de Arte Moderna de Nova York.

Desde o início de sua produção, em 1961, o Jaguar E-Type impressionava por sua bela estampa e eficiente conjunto mecânico. Em 1964, a Jaguar apresentou uma nova versão do modelo, denominada Série I, que tinha o visual idêntico ao anterior, mas a diferença estava sob o capô: o motor 3.8 litros deu lugar a um poderoso 4.2, de 265 cv. Com mais potência e torque, e uma transmissão manual de quatro velocidades, o E-Type 4.2 roadster oferecia uma equilibrada combinação de performance e beleza.
Traseira é mais curta em relação à frente, mas segue as mesmas linhas arredondadas. O interior tem acabamento sofisticado, com revestimento em couro e volante de madeira. Já o motor seis cilindros em linha de 4.235 cm³ tem 265 cv de potência
Traseira é mais curta em relação à frente, mas segue as mesmas linhas arredondadas. O interior tem acabamento sofisticado, com revestimento em couro e volante de madeira. Já o motor seis cilindros em linha de 4.235 cm³ tem 265 cv de potência

O motor é um seis cilindros em linha de 4.235 cm³ de cilindrada e as suspensões independentes contam com barra de torção na frente e molas espirais na traseira. Para segurar a fera, o sistema de freio adota disco nas quatro rodas. Com a carroceria pintada em vermelho Carmen, o carro tem características interessantes, como detalhes em alumínio no interior e volante de madeira com três raios.

Restauração

O modelo colocado em leilão no Monterey Jet Center foi restaurado em 2002 por uma conceituada oficina em Taylor, no Texas. Alguns componentes tiveram que ser refeitos e outros simplesmente foram substituídos. O revestimento interno original em couro vermelho foi substituído pelo mesmo material, porém na cor bege claro, atendendo o gosto do proprietário.

O esportivo britânico tem a frente longa (apropriada para acomodar o grande motor), com linhas aerodinâmicas e faróis ovais. As laterais são lisas e arredondadas, formando belo conjunto com a traseira do carro. Os pára-choques finos cromados e as rodas raiadas completam o visual do roadster. A capota de couro pode ser recolhida, deixando o interior bem exposto. São apenas dois lugares, mas com espaço de sobra para o motorista e felizardo acompanhante.

O Jaguar E-Type em questão foi colocado em leilão com preço estimado entre US$ 100 mil e US$ 130 mil, ou algo em torno de R$ 280 mil. Muito dinheiro para simples mortais, mas uma bagatela para os abastados que não fazem contas para ter uma preciosidade dessa na garagem de casa.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade