Publicidade

Estado de Minas

Tempos do braço vencedor

Mostra Clássicos de Competição, que será realizada esta semana em São Paulo, reunirá carros que contribuíram para o Brasil conquistar posição de destaque no automobilismo


postado em 20/01/2007 16:07

Karmann-Ghia Dacon e Malzoni(foto: Fotos: Grupo Casa/Divulgação)
Karmann-Ghia Dacon e Malzoni (foto: Fotos: Grupo Casa/Divulgação)
Grandes pilotos, como os irmãos Emerson e Wilson Fittipaldi, começaram suas carreiras correndo com carros de rua preparados para competição. Era o tempo de ouro do automobilismo brasileiro, quando os artistas do volante mostravam seu talento no braço, já que não tinham farta tecnologia à disposição. Para relembrar esses tempos, exposição de quinta-feira a domingo, no Autódromo de Interlagos, em São Paulo, reunirá bólidos de corrida que fizeram sucesso nas pistas no passado. Conheça alguns modelos que participam do evento.

Volkswagen Brasilia

A pequena perua VW de duas portas, equipada com motor de 1.600 cm³ de cilindrada e dupla carburação, disputava a antiga categoria Divisão 3. Foi com ela que o piloto Ingo Hoffman foi campeão em 1973 e 1974, tendo seu talento reconhecido no meio automobilístico. Com essa Brasilia, Ingo alcançava a velocidade de 180 km/h. O piloto passou depois pela Fórmula 1 e atualmente corre na Stock Car.

Malzoni

Outro modelo construído sobre mecânica DKW, o Malzoni também fazia parte do acervo de competição da equipe Vemag. Em Interlagos, alcançava a velocidade máxima de 180 km/h, graças ao motor de dois tempos e três cilindros de 1.100 cm³ e 100 cv de potência. O modelo foi o precursor do Puma.
Interlagos Berlineta e Fusca Fittipaldi
Interlagos Berlineta e Fusca Fittipaldi

Karmann-Ghia Dacon

Com belas linhas esportivas, o modelo foi criado pela Dacon em 1966 e não demorou muito para começar a se destacar nas pistas. O carro era equipado com motor Porsche 1.600 cm³, freios a disco e câmbio especial. A carroceria também era feita em fibra de vidro e, nas corridas, chegava fácil aos 190 km/h.

Interlagos Berlineta

O modelo começou a ser produzido pela Willys Overland do Brasil em 1962. Com ele, muitos pilotos mostraram seu talento e conseguiram sucesso nas pistas. Trata-se de um modelo derivado do frânces Alpine. Com carroceria de fibra de vidro e motor quatro cilindros 1.0 de 70 cv, chegava à velocidade máxima de 175 km/h.

Carretera DKW

O carro com o número 11 foi preparado por Jorge Lettry e o engenheiro Otto Kuetner, do Departamento de Competição da Vemag, em 1960. Derivado do sedã DKW Vemag, era um carro muito rápido, que, pilotado por Mário Marinho César de Camargo Filho e Bird Clemente, muitas vezes andou na frente de carreteras Corvette e Ford. Era equipado com motor de 1.100 cm³ de cilindrada de dois carburadores, que desenvolvia 100 cv de potência máxima e alcançava a velocidade máxima de 175 km/h.

Fusca Fittipaldi

O Fusca foi desenvolvido pelos irmãos Wilson e Emerson Fittipaldi, sendo um dos primeiros carros no Brasil a usar rodas de magnésio. Era extremamente resistente, característica que contribuiu para que conseguisse boas colocações em provas de longa duração. Com motor 1.600 cm³ de dupla carburação e 70 cv de potência, atingia a velocidade máxima de 170 km/h.

SERVIÇO

Data: 25 a 28 de janeiro
Local: Autódromo de Interlagos
Horário: das 10h às 20h
Ingressos: Adultos (R$ 30), estudantes e crianças até 13 anos (R$ 15) à
site da Clássicos de Competição.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade