Publicidade

Estado de Minas

O charme da baratinha

Bugatti Tipe 35C Grand Prix, que fez sucesso nas pistas na década de 20, foi leiloado por valor não revelado. Esportivo de formas aerodinâmicas tem motor de oito cilindros


postado em 06/04/2007 23:16

Bólido de belas formas tem eixo dianteiro avançado e rodas de alumínio que serviam de referência para outros modelos da marca, e sistema de freios conta com tambores feitos em peça única com ferro fundido(foto: Fotos: Gooding & Company/Reprodução)
Bólido de belas formas tem eixo dianteiro avançado e rodas de alumínio que serviam de referência para outros modelos da marca, e sistema de freios conta com tambores feitos em peça única com ferro fundido (foto: Fotos: Gooding & Company/Reprodução)
A Bugatti ilustra parte de sua história com as vitórias conquistadas nas pistas, nas décadas de 1920 e 1930. A boa performance era explicada pelo refinamento e tecnologia dos carros de Ettore Bugatti. Um desses modelos é o Tipo 35, que fez sua primeira aparição no Salão de Paris, de 1924. Com a carroceria estreita e a grande grade do radiador, que lembra uma boca aberta, o modelo impressionou pelas formas aerodinâmicas, demonstração explícita de sua vocação para as pistas.

O modelo de frente longa tem o eixo dianteiro avançado, detalhe que chama a atenção, e sua carroceria se alarga progressivamente, até chegar ao cockpit, lugar do solitário piloto. A traseira foi desenhada de forma contrária, estreitando-se até formar um bico. As rodas de alumínio de oito raios se transformaram em uma referência dos modelos da marca, e o sistema de freios usa tambores de ferro fundido. Na lateral direita do carro, o estepe, com roda igual às de uso, é preso por cintas.
Linhas da traseira formam um bico, que favorecia a aerodinâmica nas pistas de corrida. Painel tem instrumentos necessários e volante de quatro raios. Na frente da baratinha, grade do radiador lembra uma boca grande
Linhas da traseira formam um bico, que favorecia a aerodinâmica nas pistas de corrida. Painel tem instrumentos necessários e volante de quatro raios. Na frente da baratinha, grade do radiador lembra uma boca grande

O motor do bólido é um oito cilindros em linha de 1.991 cm³ de cilindrada, muito semelhante aos propulsores que equipavam o Tipo 30 e Tipo 32, mas apresenta algumas diferenças significativas, que o tornam mais potente. Para fazê-lo funcionar, basta girar uma manivela na frente do carro. O motor aspirado com dois carburadores Zenith desenvolve cerca de 90 cv de potência.

A combinação de formas harmoniosas e conjunto mecânico eficiente fizeram do Bugatti Tipo 35 um modelo de sucesso nas competições. A primeira participação do bólido em uma corrida foi no Grand Prix da França de 1924, e depois no Grand Prix de San Sebastian, na Espanha. A Bugatti fez algumas variantes do modelo para venda, como o Tipo 35A. Já o Tipo 35C representou o período de maior competitividade na história da marca. Com motor de 126 cv de potência, o Tipo 35C foi o modelo de maior sucesso feito pela Bugatti.

Um dos exemplares do Tipo 35C, produzido em abril de 1927, foi leiloado por valor não revelado, em elegante evento de automóveis antigos nos Estados Unidos. Registros indicam que o carro teria sido vendido logo após o Grand Prix de San Sebastian, em 1927, para um joalheiro de Barcelona. Na ocasião, o modelo foi pilotado por Emílio Materassi, que venceu a corrida.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade