Publicidade

Estado de Minas

Mudanças sofisticadas

Suspensões, rodas, pneus, pintura e até a cabine foram modificados pelos irmãos Moraes. Entretanto, estilo clássico dos modelos foi preservado, conferindo charme aos hot rods


postado em 06/05/2007 21:17

Picape e sedã preservam as carrocerias originais e apenas alguns detalhes, como as lanternas traseiras. Ambos ganharam novas cores vivas, que valorizaram ainda mais as belas formas, que marcaram época(foto: Fotos: Paulo Figueiras/EM - 3/5/07)
Picape e sedã preservam as carrocerias originais e apenas alguns detalhes, como as lanternas traseiras. Ambos ganharam novas cores vivas, que valorizaram ainda mais as belas formas, que marcaram época (foto: Fotos: Paulo Figueiras/EM - 3/5/07)
O ronco do motor V8 de cinco litros do Ford Maverick que equipa os dois modelos é o que se destaca, mas os detalhes de ambos chamam a atenção de observadores atentos. As modificações podem desagradar os puristas - que preferem veículos que preservam sua originalidade rigorosamente -, porém encantam o público, que, durante a sessão de fotos na Igrejinha da Pampulha, pede para posar ao lado dos automóveis.

Os irmãos Ricardo e Leonardo Moraes curtem a admiração e, sempre que podem, dirigem os veículos nos fins de semana. Contudo, garantem que o investimento não foi apenas para que os carros virassem meros brinquedos, pois já foram até ao encontro de antigos de Águas de Lindóia (SP), no ano passado, dirigindo os dois hot rods.
Picape foi garimpada em dezembro de 2004. Depois, o sedã foi achado abandonado. Motor V8 de cinco litros equipa os dois modelos. É o mesmo do Ford Mustang, que rende 220 cv
Picape foi garimpada em dezembro de 2004. Depois, o sedã foi achado abandonado. Motor V8 de cinco litros equipa os dois modelos. É o mesmo do Ford Mustang, que rende 220 cv

Picape 1951
A grade e os faróis, que tornam a frente do carro semelhante à cara de um sapo, foram importados e, como o pára-choque, são cromados. As rodas são aro 15 polegadas, feitas a partir das rodas do Ford Landau, com calotas personalizadas e com o logotipo da Chevrolet da época. Os pneus são Cooper Cobra 295/60/15. A suspensão dianteira também é do Landau, e a traseira, de feixe de molas.

Na traseira, há um dos poucos itens originais: as lanternas. Além disso, somente os retrovisores. Já a cabine, que lembra a original, teve o teto rebaixado em duas polegadas. O revestimento da caçamba é em madeira de lei e as portas não têm maçanetas e a abertura é feita por controle na chave. No interior, destacam-se o revestimento em couro bege; a coluna de direção escamoteável do Opala; e o volante esporte Lenker. A caixa de marchas é automática, de três velocidades, e a alavanca de câmbio, da Mitsubishi Pajero Sport. Para finalizar, a cor amarela é a mesma do Fiat Stilo Schumacher.

Sedan 1934
Além de compartilharem o mesmo motor, o sedã dos irmãos Moraes tem o mesmo câmbio automático de três velocidades. As semelhanças, entretanto, param por aí. As rodas aro 18 polegadas foram importadas da Itália e são calçadas com pneus Toyo 235/55, na traseira, e 245/45, na dianteira. A grade ovalada que compõe com os faróis o design clássico do automóvel foi refeita e cromada. Na dianteira, a suspensão é do Opala e na traseira, feixe de molas.

A abertura das portas é automática, e as traseiras são do tipo suicida, que abrem no sentido contrário. Na traseira, foram mantidas as lanternas originais e duas caras de caveira seguram a placa. A carroceria preserva o estilo clássico de linhas curvas e a pintura é do tipo saia e blusa, com vermelho em baixo e preto em cima. O couro que reveste o interior é cinza e os bancos e os vidros têm ajustes elétricos. O painel é o autometer americano e a direção tem assistência hidráulica.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade