Publicidade

Estado de Minas

Clássico fantasma

Elegância dos anos 1930 fica evidente nas belas linhas do Rolls-Royce Phantom II, modelo encarroçado por Hooper e equipado com motor seis cilindros de 7.7 litros


postado em 20/05/2007 23:48

Além do contraste das linhas retas da carroceria e das curvas dos páralamas, automóvel inglês chama a atenção pela enorme distância entreeixos e pelo par de pára-brisas, um para cada compartimento(foto: Fotos: Gooding & Company/Reprodução)
Além do contraste das linhas retas da carroceria e das curvas dos páralamas, automóvel inglês chama a atenção pela enorme distância entreeixos e pelo par de pára-brisas, um para cada compartimento (foto: Fotos: Gooding & Company/Reprodução)
No início da década de 1920, a inglesa Rolls-Royce inaugurou filial nos Estados Unidos para produzir o modelo Silver Ghost (Fantasma de Prata), com carrocerias fornecidas pela Brewster. O automóvel teve boa aceitação, mas o mercado exigia modelo de preço mais acessível. Tal fato levou a Rolls-Royce a produzir, a partir de 1922, o Twenty, um carro mais barato, equipado com motor seis cilindros de 3.1 litros e 50 cv de potência.

A produção do Silver Ghost prosseguiu até 1925, quando foi substituído pelo Phantom I (o Fantasma), que era muito semelhante ao modelo anterior, porém equipado com motor de 7.7 litros e com válvulas no cabeçote. Mas, em 1929, a empresa apresentou o Phantom II, que manteve o mesmo motor e introduziu um novo câmbio em bloco, com terceira e quarta marchas sincronizadas. O chassi também era novo e tinha suspensão de quatro lâminas semi-elípticas.
Com dois estepes na traseira, esse Phantom já foi premiado em concurso de elegância. Painel tem acabamento primoroso e vários detalhes cromados
Com dois estepes na traseira, esse Phantom já foi premiado em concurso de elegância. Painel tem acabamento primoroso e vários detalhes cromados

Na verdade, o Phantom II era bem mais moderno que seu predecessor e preservava todas as qualidades que fizeram dos modelos Rolls-Royce uma referência. Encarroçadores de toda a Inglaterra desenharam e produziram carrocerias para o Phantom II, algumas com a direção do lado esquerdo, direcionadas para o mercado americano. Entre os encarroçadores britânicos, os favoritos para o modelo eram Hooper, Barker, Thrupp & Maberly, Arthur Mulliner e Park Ward. O Phantom II foi produzido de 1929 a 1935, quando foi substituído pelo Phantom III, com motor 12 cilindros.

Em recente leilão nos Estados Unidos, um Phantom II de 1930, encarroçado por Hooper, chamou a atenção. O belo automóvel, de linhas retas e enormes pára-lamas em forma de onda, pertenceu ao Ministério do Transporte inglês durante a Segunda Guerra Mundial. O carro tem como principal característica os compartimentos para passageiros separados, cada um com seus respectivos pára-brisas.

O automóvel já foi premiado no famoso Concurso de Elegância de Pebble Beach, nos Estados Unidos, e foi levado a leilão pelo preço estimado de US$ 500 mil (R$ 1 milhão). Com toda sua pompa e elegância, apesar do valor, não faltaram pretendentes para levar o Rolls para casa.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade