Publicidade

Estado de Minas

À francesa

Fundada na década de 1920, a Georges Irat produziu belo cabriolet equipado com motor de quatro cilindros, que impressionava pelas formas proporcionais e sofisticação


postado em 09/06/2007 16:40

Com vários detalhes cromados, modelo francês chama a atenção também pelo pequeno pára-brisa, que lhe confere aspecto ainda mais esportivo(foto: Fotos: Gooding & Company/Reprodução)
Com vários detalhes cromados, modelo francês chama a atenção também pelo pequeno pára-brisa, que lhe confere aspecto ainda mais esportivo (foto: Fotos: Gooding & Company/Reprodução)
Para muitos, a marca Georges Irat pode ser desconhecida, mas na França teve seu momento na história automobilística. Fundada por Georges Irat, em 1921, a empresa produzia seus interessantes automóveis em pequena fábrica situada em Chatou. O primeiro carro da marca exposto no Salão de Paris daquele ano foi o 11HP, ou modelo A, equipado com motor de quatro cilindros de 1.998 cm³, câmbio de quatro marchas e sistema de freio servo-assistido.

O automóvel impressionou a crítica especializada pela qualidade dos materiais empregados e cuidados nos detalhes da construção, o que lhe garantiu lugar no segmento de luxo. Chegou a ser chamado de "o carro da elite". Foi um dos primeiros automóveis a receber o volante no lado esquerdo, em versão esportiva, fazendo boas participações em competições, como na 24 Horas de Le Mans e no Circuit des Routes Pavées, no qual ficou em primeiro lugar em 1923, 1925 e 1926.
Interior tem acabamento luxuoso e bancos que parecem poltronas. Rodas raiadas deixam à mostra sistema de freio servo-assistido nas quatro rodas
Interior tem acabamento luxuoso e bancos que parecem poltronas. Rodas raiadas deixam à mostra sistema de freio servo-assistido nas quatro rodas

A fábrica francesa produziu cerca de 200 unidades por ano do Georges Irat modelo A até 1929, mas, antes disso, em 1927, substituiu o motor de quatro cilindros por um 3.0 de seis cilindros. A nova motorização desagradou e o modelo não teve o mesmo êxito do antecessor. Em 1931, a Georges Irat apresentou novo modelo com duas opções de motores Lycoming: de seis cilindros e oito cilindros em linha, em versão econômica de 4.0 litros e luxo, de 5.0 litros.

Já em 1935, a empresa introduziu em seu modelo roadster motor Ruby de 1.100 cm³, visando o mercado de carros esportivos. Esse modelo ajudou a aquecer as vendas e aumentar os lucros da Georges Irat, mas, em 1938, o motor Ruby foi substituído pelo 11 cv da Citroën. Durante a Segunda Guerra Mundial, a Georges Irat fez alguns carros com carroceria de alumínio, mas a fusão com a fábrica Godefroy et Lêveque levou a sede da empresa para Levallois-Perret e a produção de automóveis foi interrompida em 1949, dando lugar aos motores a diesel.

Premiado
Um belo Georges Irat cabriolet, de 1927, foi uma das atrações em leilão realizado em Pebble Beach, na Califórnia, EUA. Encarroçado por Portout, renomado especialista francês, o modelo impressiona pelas formas proporcionais, acabamento esmerado, conforto e pelo detalhe da capota de couro. O carro foi exposto no Salão de Paris de 1927 e, mais recentemente, em 2005, foi premiado no Concurso de Elegância de Pebble Beach, detalhes que o tornaram ainda mais valioso.

Com a capota fechada, o Georges Irat chama ainda mais a atenção, devido ao pequeno pára-brisa e a pouca visibilidade para o motorista. O painel tem acabamento em madeira e alumínio e os assentos parecem poltronas. Os cromados estão em todas as partes e as rodas raiadas dão toque de esportividade. Trata-se de um carro raro com valor estimado de US$ 300 mil (cerca de R$ 600 mil).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade