Publicidade

Estado de Minas

Antigos do Brasil - Volkswagen a água

Além das linhas modernas, em acordo com as tendências europeias, o Passat marcou a chegada de um padrão mecânico completamente novo para a marca alemã no Brasil


postado em 19/09/2010 21:50

(foto: Fotos: Arquivo EM)
(foto: Fotos: Arquivo EM)
Acompanhe também o VRUM pelo Twitter

Lançado em 1974, o Passat era muito diferente de tudo que a Volkswagen produzia no Brasil. De autoria de Giorgetto Giugiaro, o desenho da carroceria era moderno e em conformidade com a tendência europeia. No lugar do motor boxer traseiro (com cilindros contrapostos e refrigerado a ar), foi adotado um dianteiro de quatro cilindros em linha, tração dianteira e refrigerado a água. Com câmbio de quatro marchas, o modelo tinha motor de 1.5 litro, de 65cv de potência e velocidade máxima de 150km/h. O modelo foi sucesso de exportação para o Iraque.

Todas as caras do VW Passat
O VW Passat tinha carroceria fastback de duas portas e trazia faróis circulares e grade preta emoldurados por um friso, para-choque com as setas integradas, capô com um friso central, lanternas retangulares e vidro traseiro bastante inclinado e fixo. A tampa do porta-malas era aberta separadamente, como nos modelos sedãs.

Veja a galeria de fotos com várias versões do VW Passat!

No ano seguinte, chegou ao mercado a carroceria de quatro portas, mais voltada para o uso familiar. Em 1976, a Volkswagen passou a comercializar o modelo com carroceria três portas, com a tampa do porta-malas e o vidro traseiro integrados, do tipo hatch. A nova opção oferecia melhor acesso ao porta-malas, pois tampa e vidro se abriam, o que possibilitava a colocação de objetos maiores. Como o banco traseiro podia ser rebatido, o veículo ganhava um bom espaço para levar objetos maiores.

TOURING SPORT No mesmo ano foi lançada a emblemática versão esportiva TS, com dois pares de faróis circulares e uma faixa lateral marcante. O painel trazia volante esportivo e vários instrumentos, como conta-giros. O motor 1.6 fornecia 80cv de potência e máxima de 160km/h. Em 1978, chegou ao mercado a versão de luxo LSE, de quatro portas, equipada com os faróis duplos e o motor do TS, além de ar-condicionado, apoio de braço central e encostos de cabeça no banco traseiro.

FACE LIFT Em 1979, o Passat passou pela primeira reestilização: faróis retangulares com luzes de seta integradas, grade com friso cromado, para-choques com apliques de plástico e nova lanterna. Nessa época as duas motorizações receberam opção a álcool. Em 1982, o modelo ganhou outra reestilização, passando a trazer dois pares de faróis quadrados pequenos e grade mais baixa. As luzes de seta voltaram para o para-choque. O motor 1.6 foi retrabalhado, com ganhos de torque e potência e o câmbio passou a ter novas relações de transmissão.

Em 1984, a versão esportiva passou a ser denominada GTS Pointer, equipada com motor 1.8. No ano seguinte, o modelo passou pela última reestilização, com destaque para os novos para-choques de plástico envolvendo toda a frente e a nova lanterna frisada. Naquele ano, o modelo finalmente passou a trazer câmbio de cinco marchas. A carroceria de quatro portas deixou de ser fabricada, assim como a de três portas, que já havia sido abandonada anos antes, ficando apenas a de duas portas. Em 1986, a linha Passat adotou os motores AP 1.6 e 1.8. No fim de 1988, o modelo saiu de linha e deixou uma legião de viúvas, pois o carro era considerado o melhor do Brasil.



Leia as outras matérias da série Antigos do Brasil

Alfa Romeo 2300 - A nossa Alfeta.

Gurgel - Guerreiro verde e amarelo

Chevette - O pequeno da GM

Dodge Dart – Na medida do prazer>.

Variant, TL e VW 1600 Trinca do barulho.

Chevrolet Opala - A história do projeto 676.

Ford Galaxie/Landau - Grandalhão com estilo.

Chrysler Esplanada - Herança da Simca.

Simca Chambord - De Belo Antônio a Vigilante Rodoviário.

FNM JK-2000 - Sedã pioneiro no luxo.

Toyota Bandeirante - A saga do jipessauro.

Aero Willys - Requinte nacional.

Willys Rural - Rural urbana.

Renault Dauphine - As desventuras do Leite Glória.

VW Fusca - O queridinho do Brasil.

Ford F-100 - Para o trabalho e o lazer.

Chevrolet Brasil/Amazona - Linha diversificada.

DKW Candango - A vida curta de um batalhador.

Jeep Willys - Da batalha para o sertão.

DKW Belcar - Um sedã de belas formas.

VW Kombi - Heroína da resistência.

DKW F-91 - Simpática perua.

Romi-Isetta - Carro, moto ou geladeira?.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade