Publicidade

Estado de Minas

Renault Fluence e Kangoo elétricos a venda

Os modelos da linha Z.E. (Zero Emissions) vão ser produzidos em massa a partir de 2011


postado em 15/04/2010 14:19

(foto: Fotos: Renault/Divulgação)
(foto: Fotos: Renault/Divulgação)
A Renault-Nissan está realmente disposta a partir na frente no mercado de carros elétricos, que vão responder por 10% da mercado mundial em 2020, de acordo com projeções da empresa. Após apresentar quatro conceitos futuristas em setembro de 2009, durante o Salão de Frankfurt, a companhia assegurou que iria produzir a linha Z.E. (Zero Emissions) comercialmente a partir de 2011. A marca francesa revelou hoje as versões de produção do sedã Fluence e da van comercial Kangoo nas versões de emissões zero, que já podem ser encomendadas e serão entregues a partir do primeiro semestre do ano que vem.

Os carros perderam o desenho arrojado típico dos conceitos. O Fluence Z.E., que vai substituir o Mégane brasileiro ainda este ano, se diferencia do convencional através de detalhes, como as lanternas em LEDs, que consomem menos energia, rodas mais aerodinâmicas e grade com detalhes azulados, também presentes nas logomarcas, faróis e contornos das luzes de neblina. Algumas mudanças, como os para-choques traseiros que geram menos turbulência e os pneus 205/55 16 com baixa resistência a rolagem, foram feitas para favorecer o consumo de energia.

Veja mais dos Renault Fluence e Kangoo Z.E., além dos conceitos originais!

O três volumes de 1.543 kg é movido por um motor elétrico que gera potência equivalente a 95 cv com 23 kgfm de torque. Com 4,75 metros, o carro é 13 centímetros maior que o Fluence original, tudo para acomodar as baterias de íons de lítio atrás do banco traseiro e ainda manter um porta-malas de 300 litros. O Fluence Z.E. é produzido na mesma planta do original, em Bursa, na Turquia.

Funcionalidade mantida

Mais convencional que o conceito futurista de Frankfurt, o Kangoo manteve a funcionalidade esperada de um veículo comercial. A pequena van tem autonomia de 160 km e é capaz de levar 650 kg de carga, com espaço de até 3,5 m³ (as mesmas capacidades da versão convencional). O conjunto de baterias foi instalado sob o piso do carro, em posição central. O motor entrega 59 cv e 23 kgfm de torque. A van de 4,21 metros vai ser produzida na planta da MCA (Maubeuge Carrosserie Automobile), no nordeste da França, onde também é produzido o modelo a combustão.

Com capacidade para 650 kg de carga, o Kangoo Z.E. é um comercial funcional
Com capacidade para 650 kg de carga, o Kangoo Z.E. é um comercial funcional


Ambos tem velocidade máxima limitada a 130 km/h - em velocidades mais altas o consumo de energia aumenta desproporcionalmente, o que compromete a autonomia de 160 km. As baterias levam de 6 a 8 horas para serem recarregadas em uma tomada convencional. Em postos especiais, com tomadas de alta voltagem, o Fluence precisa de apenas meia hora de recarga. Mas também há previsão de troca das baterias em apenas três minutos, em uma instalação especial.

Embora ainda não tenha revelado os preços dos carros, a Renault garante que eles custarão o equivalente a um modelo similar movido a diesel. A Renault-Nissan está investindo 4 bilhões de euros em veículos elétricos e firmou ontem (dia 14/04) um compromisso com a Prefeitura de São Paulo para desenvolver uma infra-estrutura para carros desse tipo. Ainda faltam dois modelos: o compacto Zoe, que será produzido em Flins, arredores de Paris, e o curioso Twizy, com fabricação em Valladolid, Espanha.

Leia sobre o acordo da Renault com o governo de São Paulo.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade