Publicidade

Estado de Minas

Lançamento - Renault Fluence no Brasil

Atributos não faltam ao novo médio, sucessor do Mégane, e à venda em fevereiro. Entre eles, seis airbags, freios ABS de série e câmbio CVT com trocas sequenciais


postado em 06/12/2010 11:00 / atualizado em 06/01/2011 18:08

(foto: Fotos: Renault/Divulgação)
(foto: Fotos: Renault/Divulgação)


De São Paulo - Conquistar os compradores de Honda Civic e Toyota Corolla, modelos líderes de vendas entre os sedãs médios, não é tarefa das mais simples. Mas não é o que pensa a Renault, que aposenta o Mégane sedã, com quatro anos de mercado, para apostar no inédito Fluence. Como o antecessor, o modelo é construído sobre a plataforma do hatch, e na terceira geração ganhou nome próprio. A produção passa de São José dos Pinhais (PR) para a Argentina, em duas versões de acabamento e câmbio, motor 2.0 16V e uma série de atributos, a partir de R$ 59.990.

O painel, por exemplo, passa a ter acabamento emborrachado e navegador integrado de cinco polegadas da Tom Tom na versão topo de linha Privilège. A capacidade do porta-malas é de 530 litros. A curvatura do teto e os bancos dianteiros, mais grossos, sugerem redução de espaço para quem viaja atrás, mesmo com a distância entre-eixos de 2,70 metros.

Uma das peculiaridades do Mégane, a chave do tipo cartão agora é hand free (mão livre). A tecnologia possibilita que, ao destravar as portas e dar a partida no motor, o motorista não tire a chave do bolso. Na primeira situação, basta colocar a mão em uma das maçanetas externas para ter acesso ao carro. Ao sair, a chave trava as portas automaticamente.

CHEIO DE CONTEÚDO Na versão inicial Dynamique, o Fluence já vem muito bem equipado, com acendimento automático dos faróis, airbags frontais, laterais e de cortina, ar-condicionado dual zone com saída de ar traseira, computador de bordo, direção elétrica com assistência variável, freios ABS com distribuição eletrônica de frenagem (EBD) e auxílio de frenagem de urgência (AFU), porta-luvas refrigerado, rádio CD MP3 com comandos no volante, rodas de alumínio aro 16 e sensor de chuva.

A Privilège adiciona acabamento cromado nos faróis de neblina e na tampa do porta-malas, tapetes em carpete, retrovisores externos com rebatimento elétrico, retrovisor interno eletrocrômico, controles de estabilidade (ESP) e de tração (ASR), piloto automático, sensor de estacionamento traseiro e rodas de alumínio aro 17.

Em ambas as opções, o teto solar é opcional – na Dynamique também estão disponíveis bancos em couro cinza escuro, enquanto a Privilège pode ter faróis de xenônio com lavador.

ORIGEM NISSAN O motor 2.0 16V flex, produzido na Coreia, é o mesmo do Nissan Sentra e ficou 38kg mais leve que o motor 2.0 a gasolina que equipava o antigo sedã médio da Renault. A redução se deve ao uso de alumínio no bloco, bomba d’água, cabeçote e cárter do óleo. Potência e torque variam de 140cv a 143cv, a 19,9kgfm e 20,3kgfm, com gasolina e etanol, respectivamente. A aceleração até 100 km/h ocorre em 10,1 segundos e a velocidade máxima é de 200km/h, com câmbio manual de seis velocidades, disponível na versão Dynamique.

A outra transmissão é a automática CVT —de infinitas relações de transmissão com seis pontos definidos para opção de troca manual —, um dos pontos altos do modelo e que, a exemplo do motor, vem da aliança com a marca japonesa. A caixa se difere pela opção de trocas sequenciais por meio de toques na alavanca do câmbio.

São sete as cores disponíveis: azul crepúsculo, bege poivre, branco glacier, cinza quartz, prata etoile, preto nacré e vermelho fogo. A garantia é de 3 anos ou 100 mil quilômetros e as vendas começam em fevereiro de 2011.

PERUA CONTINUA Como alternativa às peruas compactas, a Renault mantém em produção a versão 1.6 16V Dynamique do Mégane Grand Tour, reposicionada para R$ 48.500. Ao menos por enquanto, já que as vendas nunca foram o forte do modelo, bem como o injustiçado (pelo mercado) Mégane sedã. “Quase não existem opções de peruas médias atualmente no Brasil e boa parte dos consumidores está migrando para utilitários-esportivos. Ao continuar oferecendo o modelo, decidimos assumir o risco de reduzir o preço”, tenta explicar o gerente de Marketing Produto da Renault, Rodolfo Stofa.

Preços do Fluence:
2.0 16V Dynamique manual – R$ 59.990
2.0 16V Dynamique CVT – R$ 64.990
2.0 16V Privilège CVT – R$ 75.990

Lanternas enormes se destacam na traseira e frisos largos nas portas dão impressão de menor altura
Lanternas enormes se destacam na traseira e frisos largos nas portas dão impressão de menor altura


O jornalista viajou a convite da Renault

  • Tags
  • #
Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade