Publicidade

Estado de Minas DA PESADA

Ford Cargo evolui na forma e conteúdo


postado em 06/04/2011 19:24

(foto: Fotos: Ford/Divulgação )
(foto: Fotos: Ford/Divulgação )

 

De Fortaleza - Pela primeira vez em 26 anos de estrada, o Ford Cargo muda radicalmente. É a segunda geração do pesado no Brasil, que, de antemão, serviu como centro de desenvolvimento do modelo, projetado nos estúdios de design de Camaçari (BA) e centros de engenharia de São Bernardo do Campo e Tatuí (SP). O peso bruto total (PBT) vai de 13 a 31 toneladas, com capacidade máxima de tração de até 63 toneladas, nas versões Cargo 1317, 1517, 1717, 2622, 2628, e 3132, com cabine convencional, e Cargo 1722, 2422, 2428, 1932R e 1932, com opções de cabine convencional ou leito. "Este é um momento muito importante para a Ford Caminhões, marca pioneira na América do Sul. Lançamos uma linha completa de caminhões como parte dos investimentos de R$ 670 milhões que vamos realizar até 2013 na operação de caminhões", avalia o presidente da Ford Brasil e Mercosul, Marcos de Oliveira.

No design, o novo Cargo, que já chega como linha 2012, segue a linguagem Kinetic aplicada nos carros da marca e que procura dar sensação de movimento ao veículo, mesmo parado. Mas isso não significa que a identidade do caminhão tenha mudado. A dianteira é marcada por uma ampla grade trapezoidal, com a grafia Cargo incorporada e entradas de ar que se estendem ao para-choque. Outras duas entradas de ar refrigeram o motor nas extremidades frontais da cabine. Os faróis continuam arredondados e no para-choque, embora estejam sobrepostos. De perfil, o Cargo exibe uma silhueta mais aerodinâmica. As portas permanecem com uma janela auxiliar na altura dos pés dos passageiros, e janela principal dividida em duas partes, sendo a seção superior em vidro fixo. As setas laterais, por sua vez, foram embutidas sobre as caixas de rodas. Na traseira, uma inédita válvula de ar procura renovar o fluxo de ar interno mesmo com os vidros fechados.



A cabine ganha também suspensão para aumentar o conforto a bordo. Os bancos têm suspensão pneumática. A coluna de direção tem ajuste pneumático e chave código eletrônico antifurto. Outras novidades são as transmissões com sistema de acionamento por cabo e válvula de freio de seis vias. No painel, a instrumentação segue o conceito Ice Blue, no qual a iluminação em tom azulado permanece acesa durante o dia. A lista de equipamentos de série inclui vidros elétricos, mas opcionalmente pode-se levar também ar-condicionado, travas e retrovisores elétricos.
Painel incorpora coluna de direção ajustável e iluminação azul
Painel incorpora coluna de direção ajustável e iluminação azul


Os motores continuam sendo Cummins de quatro e seis cilindros, enquanto as transmissões passam a ser Eaton das famílias FS, de seis marchas, com primeira sincronizada, e FTS, com 13 marchas, totalmente sincronizadas.

As vendas começam este mês, também na Argentina e Chile. Os preços ainda não foram divulgados, embora a Ford tenha deixado claro que serão muito próximos aos da linha Volkswagen Constellation, principal concorrente do Cargo 2012.
Versão do 1932 cabine leito do Ford tem motor de quatro cilindros
Versão do 1932 cabine leito do Ford tem motor de quatro cilindros

  • Tags
  • #
Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade