Publicidade

Estado de Minas CONCEITO

Volvo XC60 - Um híbrido genioso

Volvo apresenta o XC60 híbrido, que permite ao motorista escolher quando quer rodar com os dois motores de forma econômica, mais esportiva ou apenas no modo elétrico


postado em 07/01/2012 19:28 / atualizado em 07/01/2012 20:12

(foto: Fotos: Volvo/Divulgação)
(foto: Fotos: Volvo/Divulgação)
A Volvo mostra no Salão de Detroit, que abre as portas ao público no próximo sábado, uma versão plug-in híbrida do XC60, que deve chegar ao mercado americano dentro de dois anos. Por fora, as únicas diferenças em relação à versão convencional do crossover da marca sueca (hoje nas mãos dos indianos da Tata Motors), são a pintura branca especial, a portinhola acima do para-lama dianteiro para ligar o cabo de recarga e as rodas de 21 polegadas.

 

Veja mais fotos do Volvo XC60 híbrido!

 

Tracionando nas quatro

Mas a grande diferença está guardada sob o capô e em mais alguns pontos ocultados pela carroceria. O motor a combustão é um turbo de quatro cilindros a gasolina que gera 284cv de potência e 38,7kgfm de torque e funciona em conjunto com outro elétrico, que fornece 71cv e 20,3kgfm, respectivamente. Ao todo, são 355cv. A transmissão automática de oito marchas é nova. O XC60 híbrido acelera até 100km/h em 6,1s. Enquanto o motor a combustão movimenta o eixo dianteiro, o elétrico envia força para as rodas de trás. As baterias de íons de lítio ficam sob o compartimento de carga.

Além do branco exclusivo, versão recebeu rodas aro 21 e uma portinhola para recarga
Além do branco exclusivo, versão recebeu rodas aro 21 e uma portinhola para recarga


Genioso, o veículo tem três temperamentos. Mas calma: todos são comandados pelo motorista. No modo normal, os dois motores fornecem energia às rodas, reduzindo as emissões para 53g/km (um terço do modelo convencional). A autonomia é de 960 quilômetros. No modo “Pure”, voltado para trechos urbanos, apenas o motor elétrico funciona e a autonomia é de 56 quilômetros. Já no modo “Power”, os dois motores passam a funcionar com energia máxima possível.

 

TECNOLOGIA Numa tomada convencional de 220v, a bateria do veículo é totalmente carregada em três horas e meia. Numa tomada de 110v, em sete horas e meia. Com o carro plugado na tomada, o motorista pode climatizar o interior do veículo (mais frio ou mais quente) para poupar a bateria. Um sistema chamado Integrated Starter motor and Generator (ISG), que substitui o motor de arranque convencional e o alternador, fornece energia extra de 45cv nas acelerações e também recupera energia nas frenagens (sistema regenerativo), mas a Volvo ainda não explicou como.

Painel de instrumentos informa dados como consumo de energia e autonomia
Painel de instrumentos informa dados como consumo de energia e autonomia


O sistema de navegação fornece informações tradicionais, como a rota mais curta ou a mais rápida, mas também pode informar qual caminho exige menor consumo de energia, além de pontos mais próximos onde existem postos de recarga rápida. Um aplicativo permite verificar pelo telefone celular qual é o nível de carga da bateria, autonomia, além de conferir se o veículo está ligado à tomada para ir climatizando seu interior. O painel de instrumentos foi adaptado para fornecer informações necessárias para o bom uso da tecnologia híbrida, como consumo de combustível, consumo da energia das baterias, nível de carga da bateria e autonomia.

FIM DA MATEMÁTICA Essa família de motores está sendo chamada de Volvo Environmental Architecture – VEA (algo como Arquitetura Ambiental Volvo). “É hora de parar de contar os cilindros”, disse Peter Mertens, vice-presidente sênior de pesquisa e desenvolvimento da Volvo. A marca parece muito orgulhosa de ter desenvolvido um motor de quatro cilindros com a mesma potência de um de seis. Tanto que o modelo vai ostentar a inscrição T8 na carroceria, então usada só em motores de oito cilindros. A família VEA terá motores a diesel e a gasolina, sendo este último com injeção direta de combustível. 
Numa tomada de 220v, as baterias recarregam completamente em 3 horas e meia
Numa tomada de 220v, as baterias recarregam completamente em 3 horas e meia

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade