Publicidade

Estado de Minas DESIGN

Criador do Hyundai HB20 conta como nasceu o projeto do carro para o Brasil

"Esperávamos aprender quem queria aquele carro, o que esperavam dele", contou Casey Hyun


postado em 04/11/2013 11:00 / atualizado em 04/11/2013 15:02

Designer chefe da Hyundai, Casey Hyun, pai do HB20(foto: Hyuindai/divulgacão)
Designer chefe da Hyundai, Casey Hyun, pai do HB20 (foto: Hyuindai/divulgacão)
De Seul - A simplicidade estampada em um paletó sem gravata e um par de tênis, além de um largo sorriso nada típico à formalidade dos sul-coreanos, esconde que por trás daquele simpático cidadão ferve uma cabeça cheia de brilhantes ideias. Casey Hyun é o designer-chefe da Hyundai e pode ser considerado o pai do HB20 e da versão sedã do modelo. Foi desta cabeça sem cabelos, mas com muita criatividade e perspicácia, que nasceram as linhas do carro considerado sucesso de vendas no mercado nacional. Em uma conversa na sede da marca, ele contou como se sente com o sucesso do HB20 e revela que este foi apenas um de seus vitoriosos projetos.

CLIQUE E VEJA FOTOS DO HB20!

 

EXCLUSIVO
O HB20 foi desenvolvido exclusivamente para o Brasil. Para tanto, o próprio Casey Hyun veio algumas vezes para o país. Mas, mais do que isso, uma equipe de designers morou um ano em território nacional. “Tem muita coisa que identifica o Brasil, como o futebol e o Carnaval. Mas queríamos mais, conhecer mesmo os costumes dos brasileiros e a sua cultura. Esperávamos aprender quem queria aquele carro, o que esperavam dele. Daí nasceu o projeto e chegamos a esse resultado”, afirma.

 

 

CONSERVADORISMO
O designer-chefe garante que não foi complicado criar um design expressivo, com as já tradicionais linhas fluidas que caracterizam a marca, em um carro compacto. Mas teve que lidar com o conservadorismo dos brasileiros em relação às cores. “Tivemos que trabalhar com formas expressivas em cima de cores neutras, como prata e preto”, explica.

SUCESSO
Casey Hyun também é pai de outros projetos de sucesso. Em 2007, criou o design do i30 para bater de frente com modelos já consagrados na Europa, como Ford Focus, Volkswagen Golf e Chevrolet Astra. Em 2009, criou o conceito de escultura fluida com o Sonata e ainda está por trás do Eon, projeto desenvolvido exclusivamente para o mercado indiano. E nunca teve dúvida quanto o sucesso do HB20. “Faço o melhor que posso e estava confiante que ia dar certo. Não foram linhas criadas na Coreia para o Brasil. Fizemos o carro vivendo e conhecendo a cultura brasileira, estou muito feliz”, comemora.

O HB20 foi desenvolvido exclusivamente para o Brasil(foto: Hyuindai/divulgacão)
O HB20 foi desenvolvido exclusivamente para o Brasil (foto: Hyuindai/divulgacão)


SUV
O designer chefe desconversa quanto à possibilidade de estar trabalhando no design de um SUV baseado do HB20, mas deixa uma possibilidade em aberto, já que o compacto vende bastante. “Tudo depende da demanda. E se eu tiver uma oportunidade de desenhar outro carro para o Brasil, farei com maior prazer. Até porque sou um homem global, mas o Brasil é o meu país top, está no meu coração”, brinca.


Planos para o futuro

Construir novas fábricas não está nos planos da Hyundai no momento. Os executivos da montadora, no entanto, revelam que, se preciso for, existe a pretensão de aumentar a capacidade nas plantas de mercados que estão crescendo. É o caso do Brasil, mas, quanto aos planos para o país, eles admitem que ainda é cedo para definir qualquer tipo de investimento, principalmente porque o HB20 está no mercado há cerca de um ano e que é melhor aguardar as eleições presidenciais do próximo ano para tomar qualquer decisão. Mas a verdade é que a fábrica de Piracicaba, em São Paulo, já está trabalhando em sua capacidade máxima, com produção de 150 mil carros por ano. Demanda que ainda mal atende aos anseios do mercado nacional. Por isso, a Hyundai ainda não tem planos de expandir o HB20 para outros mercados. “Se produzíssemos mais HB20, ele venderia ainda mais”, garante um executivo. Portanto, por enquanto, o compacto continua sendo apenas nosso, dos brasileiros.

 

Planta de Piracicaba trabalha com capacidade máxima(foto: Hyuindai/divulgacão)
Planta de Piracicaba trabalha com capacidade máxima (foto: Hyuindai/divulgacão)

 

Processo de verticalização

Na sede na Coreia do Sul, a Hyundai funciona de forma diferente, em um grupo que é basicamente auto-suficiente, em um processo de verticalização. A fábrica de Ulsan, uma das maiores do mundo, com cinco plantas distintas em sua área, tem capacidade de produção de mais de 1,5 milhão de automóveis por ano - para se ter ideia, a Hyundai tem capacidade de produzir 4,5 milhões de carro em todo o mundo. Dentro da própria área da fábrica, há um porto e, em 2013, 1,1 milhão de unidades sairão dele para abastecer 200 países. O grupo ainda conta com uma siderúrgica, a Steel Hyundai, que abastece a maior parte da demanda da montadora por aço na fabricação dos carros. Com isso, a marca ganha em vantagem competitiva por melhorar a qualidade do veículo ao ter o controle sobre as matérias primas. Conseguir deixar os automóveis mais leves e resistentes são pontos positivos.

* Viajou a convite da Hyundai

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade