Publicidade

Estado de Minas

Chery lança Celer produzido no Brasil a partir de R$ 38,9 mil

A marca chinesa inicia as vendas dos modelos hatch e sedã fabricados no Brasil em duas versões com motor 1.5 flex. A marca espera comercializar 10 mil unidades até o fim do ano


postado em 15/04/2015 08:19 / atualizado em 15/04/2015 09:12

(foto: Chery/Divulgação)
(foto: Chery/Divulgação)

De Tuiuti (SP) * - Exatos três anos e oito meses depois de lançar a pedra fundamental da recém-inaugurada fábrica de Jacareí (no interior paulista), a chinesa Chery inicia as vendas do Celer reestilizado. Disponível em duas versões, básica e a topo de linha Act, nas configurações hatch e sedã, ambas equipadas com o motor 1.5 16V Acteco recalibrado para ganhar potência, o compacto também é o primeiro modelo de origem chinesa produzido em solo brasileiro. A garantia é de três anos.


O Celer hatchback recebeu alterações de estilo principalmente na dianteira. Foram modificados a grade, o grupo ótico (de estilo afiado) e os para-choques. Na traseira, a novidade são as lanternas com lâmpadas de LED. O sedã mudou mais. As lanternas ficaram compridas e agora avançam sob a tampa do porta-malas, que abre de forma modular, o que lhe confere certo ar de notchback. O resultado é um conjunto atual e de personalidade, fugindo dos clones habituais da indústria chinesa. Porém, de gosto duvidoso, principalmente no sedã. Certamente, haverá quem ame ou odeie.


INTERIOR Por dentro, as alterações começam pelo painel. De linhas angulosas e envolvente, a peça chega a lembrar o painel de outros compactos do segmento. Na instrumentação, além dos habituais conta-giros e velocímetro, há computador de bordo ao centro e mostradores para o sensor de estacionamento e alarme. Além disso, a Chery sustenta ter alterado os bancos para melhorar a anatomia e o conforto a bordo.


As alterações estruturais da reestilização, exclusiva para o mercado brasileiro – na China, o Celer anterior já será substituído por uma nova geração –, incluem novos pontos de solda na carroceria. A densidade do aço utilizado, porém, é a mesma. Otimista com testes internos de impacto, a Chery espera que o modelo atinja índice de 3 a 4 estrelas no Latin NCap – o concorrente JAC J3 obteve apenas nota 2 para crianças e 1 para adultos.


(foto: Chery/Divulgação)
(foto: Chery/Divulgação)


A suspensão foi elevada em 10mm. Além da cautela em ampliar a rede de concessionárias em apenas cinco, totalizando 72 nos próximos meses, todas em grandes centros, a Chery prefere não investir em opção com transmissão automatizada por ora. “O consumidor brasileiro ainda é resistente ao câmbio automatizado e busca o CVT”, afirma o diretor de qualidade, Luciano Resner.


Não há opcionais. Será vendido separadamente apenas o kit I-Connect, com navegador e Bluetooth, por R$ 1.800, como acessório, nas concessionárias. Com a desvalorização do real face ao dólar, o índice de componentes nacionais passará de 35% para 70%, promete o vice-presidente da Chery, Luís Cury, sem precisar o tempo.

IMPRESSÕES A qualidade de construção parece boa. Ao entrar no carro, percebem-se imperfeições típicas dos chineses. A maçaneta externa dura exige força para abrir. Apesar de a Chery sustentar que reduziu o curso da alavanca de câmbio, o engate permanece seco e impreciso. Por outro lado, o acabamento interno é de bom gosto e aparenta cuidado. A borda interna acima das janelas, por exemplo, é aveludada. Para um compacto, o espaço interno é bom: quatro adultos viajam com conforto. Mas para o viajante do meio só há cinto abdominal, faltando o de três pontos. Na pista limitada do Haras Tuiuiti e com apenas o motorista, o motor 1.5 16V demonstrou ter fôlego suficiente no hatch. Suspensão e estabilidade convencem. Limitada pelo falso vigia na coluna C, a visibilidade traseira também é afetada pela borda do acabamento da tampa do porta-malas. No primeiro ano de vendas no país (2013), o Celer atingiu 1.913 unidades. A meta agora é chegar à marca das 10 mil, ainda este ano. Séries especiais virão em breve como atrativo.

CONTEÚDO Estreante no novo Celer, a versão Act adiciona pacote de itens de série com alarme, faróis de neblina, rádio CD MP3 e rodas de liga leve. Desde a versão de entrada, o compacto de origem chinesa vem bem equipado com airbags frontais, ar-condicionado, computador de bordo, direção hidráulica, espelhos retrovisores com ajuste elétrico, faróis com regulagem elétrica de facho, freios ABS com EBD (distribuição eletrônica de frenagem), sensor de estacionamento traseiro, travas e vidros elétricos nas quatro portas. As calotas calçadas em pneus 185/60 aro 15 da versão básica contrastam com a proposta. São cinco as opções de cores: branco, cinza, prata, preto e vermelho.

* O jornalista viajou a convite da Chery.


PREÇOS

» Celer 1.5 16V hatch - R$ 38.990
» Celer 1.5 16V sedã - R$ 39.990
» Celer 1.5 16V Act hatch - R$ 40.990
» Celer 1.5 16V Act sedã - R$ 41.990

DADOS TÉCNICOS

» Motor – de quatro cilindros em linha, 1.496cm3, 16 válvulas com potências de 109cv (gasolina) e 113cv (etanol) a 6.000rpm e torques de 14,2kgfm (g) e 15,5 kgfm(e) a 4.000rpm

» Transmissão – tração dianteira e câmbio manual de cinco marchas

» Velocidade máxima – 175km/h

» Suspensão/pneu – dianteira do tipo McPherson; traseira, semi-independente com braço oscilante longitudinal/185/60 R15

» Porta-malas (litros) – hatch, 380; sedã, 450

» Dimensões (metros) – comprimento, hatch 4,18 e sedã, 4,33; largura, 1,69; altura, 1,48 e entre-eixos: 2,53

» Consumo (km/l) – cidade, 11,6 (g) e 8 (e); estrada, 16(g) e 10,9 (e)

 

(foto: Chery/Divulgação)
(foto: Chery/Divulgação)
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade