Publicidade

Estado de Minas

Morre designer Márcio Piancastelli, criador da Volkswagen Brasília e o SP-2

Natural de Belo Horizonte, Márcio Piancastelli trabalhou no projeto de vários modelos de sucesso entre os anos 60 e 80 da Volkswagen


postado em 19/06/2015 12:24 / atualizado em 19/06/2015 12:48

Imagem do começo dos anos 70 com o designer e maquete do SP-2(foto: Volkswagen/Divulgação)
Imagem do começo dos anos 70 com o designer e maquete do SP-2 (foto: Volkswagen/Divulgação)

Morreu na noite dessa quinta-feira o designer Márcio Piancastelli, responsável pelo projeto de modelos que marcaram a indústria nacional entre os anos 1960 e 1980. Nascido em Belo Horizonte em 1936, Piancastelli trabalhou na Willys-Overland e na Volkswagen do Brasil.

A história de Piancastelli na indústria automotiva começou em 1962. Aos 26 anos, o mineiro ficou em segundo lugar num concurso de design e ganhou um estágio no escritório da Ghia, em Turim. Ao voltar da Itália, foi contratado pela Willys para atuar na reestilização do Aero Willys e no projeto M, que resultou anos mais tarde no Ford Corcel. Depois, o designer migrou para a DKW-Vemag.

Em foto dos anos 80, Piancastelli posa com maquete da Brasília (foto: Volkswagen/Divulgação)
Em foto dos anos 80, Piancastelli posa com maquete da Brasília (foto: Volkswagen/Divulgação)
Mas sua história ficou marcada mesmo foi na Volkswagen, que comprou a Vemag. Em 1969, conduziu uma adaptação da Variant alemã, que resultou na TL com versão exclusiva no Brasil. Nos anos seguintes, trabalhou em outro projeto mais importante: desenhou o SP-2, cupê esportivo com motor 1.7 refrigerado a ar.

O principal projeto, contudo, foi lançado em 1973. Márcio Piancastelli em parceria com o designer José Vicente Martins, criou a Brasilia, veículo criado com a plataforma e mecânica da Variant, mas com linhas retas e modernas para a época. O designer propôs algum tempo depois uma nova versão da Brasilia, com motor dianteiro, mas a proposta não foi aceita pela Volks.

Piancastelli também atuou na equipe que projetou o primeiro Gol (1980). Ele deixou a Volkswagen em 1992 e teve tempo de participar dos projetos nacionais de Logus, Santana e Gol bolinha.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade