Publicidade

Estado de Minas HOBBYMODELISMO

Exposição retrata histórias de carros acidentados e abandonados

Mostra Sonhos que envelhecem reúne 15 dioramas com miniaturas no Diamond Mall. Proposta imagina histórias vividas pelos bólidos até serem deixados de lado


postado em 03/08/2015 18:07 / atualizado em 03/08/2015 20:07

(foto: Diamond Mall/Divulgação)
(foto: Diamond Mall/Divulgação)
 

Carros clássicos e superesportivos habitualmente geram forte atração entre os apaixonados por rodas. E se os reluzentes bólidos se apresentassem de forma diferente? A partir deste norte e a perspectiva de vida dos modelos, o ex-bancário Altivo Horta decidiu recriar histórias de carros abandonados ou acidentados em escala reduzida. O resultado é a exposição de dioramas Sonhos que envelhecem. Fruto de um trabalho iniciado há 6 anos, a mostra reúne 15 miniaturas de veículos de variadas décadas do século 20 até 9 de agosto no Diamond Mall, em Belo Horizonte. A entrada é franca.

A vontade de criar carros que são objetos de fascínio sob a ótica do abandono surgiu na mente de Altivo em 2009, ao fazer experiências com Zamac, uma liga de zinco composta por quatro componentes metálicos básicos: alumínio, cobre, magnésio e zinco. O material, que é o mesmo usado em fivela de cinto, não amassa e nem dobra. O que permitiu a criação das miniaturas em detalhes. Entre os modelos retratados estão um Ford de 1932 tomado pela ferrugem, um BMW 850i da década de 1990 acidentado e um Shelby Cobra 1965 desmontado em uma garagem. Os dioramas, por outro lado, são propositalmente pobres em detalhes. A proposta do criador é valorizar o carro como objeto central, indo muito além do automóvel como mero objeto de interesse quando novo, limpo e reluzente.

 

(foto: Diamond Mall/Divulgação)
(foto: Diamond Mall/Divulgação)

BMW Série 8 dos anos 1990

 

“Eles são um convite para imaginar histórias que esses carros podem ter vivido com donos até serem deixados de lado. Enquanto todos querem e lutam com razão para um carro reluzente e bem recuperado, a ferrugem e o abandono me fascinam. Sempre me intrigou pensar no futuro dos carros. Após certo tempo ou depois de algum acidente, os veículos ainda guardam histórias e emoções vividas pelos proprietários. Gosto de vasculhar as histórias”, conta Altivo, que também é antigomobilista. Exceto uma Ferrari 275 em escala 1:14, todos as miniaturas são de tamanho 1:18. O tempo de criação varia de um aos dois meses, a medida que detalhes vão sendo aperfeiçoados para tornar os dioramas mais realistas.

Uma fonte de inspiração, por exemplo, é a foto de um acidente em Nevada (EUA) que levou à criação de um Buick GSX 1970. “Todas as batidas retratadas seguem as leis da física. Num Camaro 1968 colhido de lado, o motor está torto. No Fusca da década de 1970 os bancos da frente estão revirados”, aponta Altivo. Há também histórias de um Buick Century 1955 policial amassado, um Bel Air 1957 envelhecido e um Pacar Coupé 1932 em que restaram apenas o chassi e parte do painel frontal.

Uma bela reflexão artística aos que enxergam o automóvel apenas sob a ótica do uso cotidiano.

SERVIÇO
Exposição Sonhos que envelhecem

Onde:
piso L2 do Diamond Mall (Av. Olegário Maciel, 1600, Lourdes)
Quando: de 31 de julho a 9 de agosto
Horário: 10h às 22h

Informações: Concierge (L3) ou pelo telefone 3330-8633

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade