Publicidade

Estado de Minas

Falta de controle de estabilidade em carros pode matar 34 mil brasileiros

Brasil sedia encontro mundial de segurança no trânsito e leva puxão de orelha por não possuir legislação que torne obrigatório o Controle de Estabilidade (ESC) em carros


postado em 18/11/2015 13:38 / atualizado em 18/11/2015 15:31

Controle de estabilidade é considerado o item de segurança mais importante depois do cinto de segurança(foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press)
Controle de estabilidade é considerado o item de segurança mais importante depois do cinto de segurança (foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press)

O Global NCAP, Programa Mundial para Avaliação de Veículos, recomendou ao governo brasileiro a criação de lei que torne obrigatório o Controle Eletrônico de Estabilidade (ESC) para veículos novos fabricados no país. A capital federal sedia a 2ª Conferência Global de Alto Nível sobre Segurança no Trânsito – Tempo de Resultados, que reúne representantes de países membros da Organização das Nações Unidas (ONU).

Durante lançamento da campanha #StopTheCrash, que incentiva novas tecnologias de segurança em veículos, a entidade afirmou que 34 mil vidas poderiam ser salvas e 350 mil ferimentos graves evitados até 2030 se as recomendações das ONU fossem adotadas na legislação Brasileira. Os números foram estimados em pesquisa feita pelo Global NCAP e entre equipamentos está o ESC. Airbag duplo e freios com ABS já são obrigatórios no Brasil para carros zero quilômetro.

“ESC é uma tecnologia vital para salvar vidas, que pode prevenir acidentes, ao invés de tentar proteger pessoas quando o mesmo acontece. Nossa pesquisa recente revela que centenas de milhares de mortes e ferimentos graves poderiam ser evitados se o Brasil regulamentar isso”, afirma David Ward, secretário-geral do Global NCAP e presidente da campanha #StopTheCrash.

O ESC - também conhecido como  electronic stability program (ESP) ou dynamic stability control (DSC) -  já é obrigatório nos Estados Unidos, União Europeia, Australia, Canadá, Israel, Japão, Nova Zelândia, Rússia, Coreia do Sul e Turquia. A Argentina vai sair na frente do Brasil no quesito, pois em breve será obrigatório no país vizinho, revelou o Global NCAP.

Como resposta, o ministro das Cidades, Gilberto Kassab, disse o Conselho Nacional de Trânsito discute as questões, mas não revelou prazo. “O Contran estabeleceu obrigatório, a partir do ano que vem, o uso dos freios ABS e do CBS em motocicletas. Além disso, encontra-se em fase final de discussão a obrigatoriedade do Sistema Eletrônico de Estabilidade (ESC) nos veículos de passeio. Também iniciará, em breve, estudo para a implantação do sistema de frenagem autônoma. Todos estes itens, de baixo custo de implantação, terão sua importância e eficácia demonstradas hoje no Stop The Crash”, disse.

Conferência

A Conferência, também chamada de Road Safety Brazil, debaterá legislações, ações, medidas de prevenção, atendimento pós-acidente e experiências bem sucedidas em todo o mundo visando ao alcance da meta do Plano Global para a Década de Ações 2011-2020, que é de reduzir à metade as mortes no trânsito.

Ao fim do evento, nesta quinta-feira, os países assumirão compromissos em torno da redução de mortes e lesões causadas pelo trânsito, que estarão definidos na Declaração de Brasília sobre Segurança no Trânsito.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade