Publicidade

Estado de Minas GUIA DE NEGÓCIOS

Viagens de fim de ano abrem boa temporada para oficinas mecânicas

Movimento gira o ano inteiro, mas na véspera das férias tem aumento na demanda, em função das revisões preventivas. Entender do negócio é fundamental para quem quer investir no segmento


postado em 14/12/2015 08:47

Willy Otto Keppel, da Checkauto, que completa 15 anos em 2015, não reclama da crise:
Willy Otto Keppel, da Checkauto, que completa 15 anos em 2015, não reclama da crise: "Estamos indo muito bem" (foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)

Basta chegar o período de férias para muitas pessoas viajarem com a família de carro. Porém, o cuidado deve ser redobrado com a segurança e a melhor coisa a ser feita antes de colocar o pé na estrada é levar o veículo até uma oficina mecânica para fazer uma revisão preventiva. Freios, embreagem, suspensão, câmbio e regulagem do motor são fatores muito importantes para uma viagem segura e devem ser observados por alguém de confiança antes de buscar novos rumos, como alerta o mecânico Gilmar Martins Fadel, da Mecânica Grão Mogol. “Não se pode brincar com coisa séria”, aconselha.

Gilmar conta que a demanda aumenta bastante no fim do ano, mas lamenta que o mercado tenha dado uma retraída por causa da crise econômica pela qual o país está passando. “Apesar da dificuldade, tivemos uma reação nos últimos três meses, e acredito que o movimento vá melhorar cada vez mais. Próximo de férias e feriados a oficina é muito procurada para revisão, o que é muito importante. Fazemos uma revisão geral, que inclui sistemas de freio, elétrico e de arrefecimento, troca de óleo, alinhamento, balanceamento, motor e suspensão. Se as rodas não estiverem alinhadas haverá um desgaste enorme dos pneus”, alerta.

Gilmar emprega hoje três pessoas e diz que não tem a intenção de ampliar o negócio. “Estamos muito bem desse jeito. O importante é fazer um serviço benfeito e conquistar o cliente. É isso que temos buscado ao longo desses quatro anos da oficina. Por outro lado, já estou há mais de 30 anos no ramo e minha experiência sempre me mostra o que deve ser feito. Não se pode querer dar um passo maior do que as pernas. Gosto do que faço e procuro fazê-lo da melhor maneira. Se o cliente traz o carro e quer uma revisão porque fará uma viagem, olhamos tudo e mostramos a ele o que deverá ser feito para que possa fazer um passeio tranquilo, sem colocar em risco sua vida e a dos ocupantes do veículo.”

Segundo Gilmar, nesse ramo de negócios, caso o empresário não ofereça um bom atendimento e não preste um serviço de qualidade, ele estará fadado ao fracasso. “Se o cliente for mal atendido, com certeza não voltará e ainda sairá falando mal de sua oficina por aí. Ser honesto com a clientela, proporcionar um bom atendimento, ter preços acessíveis e oferecer garantia dos serviços prestados são itens básicos que sempre procuro atender. Além do mais, gosto da minha profissão de trabalhar com automóveis e de conhecer pessoas e aqui na oficina sinto-me realizado”, garante Gilmar.

À frente da Mecânica Grão Mogol, Gilmar Fadel diz que bom atendimento e serviço de qualidade são essenciais. Do contrário, empresário está fadado ao fracasso(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
À frente da Mecânica Grão Mogol, Gilmar Fadel diz que bom atendimento e serviço de qualidade são essenciais. Do contrário, empresário está fadado ao fracasso (foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)

CLIENTELA FIEL Para Wellerson Ferreira Fontes, do Centro Automotivo Lesson, no qual é sócio com a mulher, Vilma Cerqueira Santos, a revisão preventiva é mais importante do que a corretiva. Sempre. A oficina existe desde 1998 e hoje emprega cinco pessoas. “Não trabalhamos com lanternagem e pintura. Nosso serviço é mecânica em geral e autopeças. Porém, se o cliente quiser comprar uma determinada peça que terá de ser trocada, poderá fazê-lo, sem problemas. Fica ao gosto de cada um”, salienta Lesson. “Como disse, é muito importante fazer uma revisão antes de viajar para não colocar em risco a vida dos ocupantes do veículo. Às vezes, uma pastilha de freio gasta ou uma suspensão ruim podem ocasionar um acidente fatal. Portanto, não se pode brincar com isso, pois é um assunto muito sério”, adverte o especialista, que está há 33 anos no ramo.

Wellerson diz que a demanda maior é para a revisão geral, que inclui os sistemas de arrefecimento (responsável por regular e controlar temperaturas consideradas ideais) e freios, mecânica, suspensão, embreagem, correias, câmbio e regulagem do motor. “Entrei nesse ramo por influência de um amigo. Na época tinha 16 anos e fui trabalhar com ele. Gostei e, com o tempo, fui fazendo cursos e praticando. Gosto do que faço e não tenho a intenção de mudar de profissão. Acredito que o sucesso de minha oficina esteja pautado no bom atendimento e na garantia de nossos serviços. Confiro tudo, não deixo passar nada. Talvez seja por isso que minha clientela seja grande e fidelizada”, orgulha-se.

O pequeno empresário garante que não tem do que reclamar. Embora lamente que o movimento tenha caído um pouco, considera o faturamento bom. “Tenho muitos clientes que me acompanham há muitos anos. Além disso, a cada dia aparecem outros e, como procuro fazer um serviço de qualidade, esses também se fidelizam.” Para abrir uma oficina, Lesson acredita que o empreendedor não investirá um capital menor do que R$ 80 mil. “Nesse ramo é preciso entender muito do assunto, proporcionar um bom atendimento e ser honesto com o cliente. Não há lugar para curiosos. Se o serviço for de má qualidade, o cliente não retorna nunca mais.”

BARULHINHO No ramo há mais de 25 anos, Willy Otto Keppel é o proprietário da Checkauto. Ele diz que a demanda aumenta bastante no fim do ano exatamente porque as pessoas que vão viajar de férias, principalmente para lugares mais distantes, resolvem fazer revisão antes de ganhar a estrada. “Isto é muito importante. Às vezes, um barulhinho, que pode parecer coisa boba, pode não ser e acaba acarretando algo maior, levando o veículo a sofrer algum tipo de acidente”, alerta.

Willy diz que quando o cliente leva o carro para uma revisão faz questão de dar uma geral. “Tenho oito colaboradores e fazemos questão de olhar a suspensão, sistemas elétrico e de freio, regulagem do motor, alinhamento, balanceamento, pneus, enfim, olhamos todo o sistema de segurança do veículo, que pode estar sujeito a alguma falha. Agora, a revisão não deve ser deixada somente para quando a pessoa vai viajar. É necessário levar o carro até uma oficina de tempos em tempos”, orienta. Além de serviço de mecânica em geral, a Checkauto, que está completando 15 anos, trabalha com lanternagem e pintura.

Keppel não lamenta pela crise e garante que o movimento da oficina está indo muito bem. “Procuro fazer um serviço de alta qualidade, oferecendo atendimento personalizado, aliado a preços acessíveis e à honestidade para com o cliente. Agindo assim, não tem como dar errado. Os clientes sempre voltam, além de divulgar a Checkauto. Por outro lado, ao longo desses anos conseguimos fidelizar uma boa clientela.”, orgulha-se o empresário.

No ramo há 33 anos, Wellerson Ferreira Fontes, do Centro Automotivo Lesson, garante não deixar passar nada nas revisões que faz(foto: Rodrigo Clemente/EM/D.A Press)
No ramo há 33 anos, Wellerson Ferreira Fontes, do Centro Automotivo Lesson, garante não deixar passar nada nas revisões que faz (foto: Rodrigo Clemente/EM/D.A Press)


SERVIÇO

Mecânica Grão Mogol
(31) 3654-3045

Centro Automotivo Lesson
(31) 3282-2279

Checkauto
(31) 2555-1007

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade