Publicidade

Estado de Minas

Segunda geração do Audi Q7 está mais leve e vence caminhos ruins

Utilitário-esportivo está com muita tecnologia e tração integral. Motor é V6 turbo e câmbio tem oito marchas


postado em 30/01/2016 17:21

(foto: Pedro Bicudo/Audi)
(foto: Pedro Bicudo/Audi)
O mundo do automóvel vai se adaptando às tecnologias recentes e, no material distribuído à imprensa, a fabricante enfatiza mais a conectividade do que o carro. Os mais de cinco metros de comprimento da nova geração do Q7 impressionam, mas de perto não parece tão grande. Regime em componentes da carroceria e de mecânica ajudou o grandalhão a perder peso. São 325kg a menos do que na geração passada. A suspensão ficou 100kg mais leve e os braços em V foram substituídos pelos cinco braços nos dois eixos para que as forças longitudinais e transversais possam ser processadas separadamente. No pacote de opcionais, consta o eixo traseiro direcional que vira as rodas em até 5 graus, conforme a necessidade. A carroceria é toda de alumínio e os materais dos componentes estruturais são de alta e ultrarresistência. Os dois bancos da terceira fileira são opcionais.

VISÃO
Porém, a tecnologia chama a atenção com o sistema de visão noturna que detecta objetos ou pessoas antes de o motorista enxergá-los. O sistema tem alcance máximo de 300 metros e pode detectar humanos e animais maiores a cerca de 100 metros. O cockpit virtual tem tela de 12,3 polegadas e faz par com o sistema multimídia. Assim, podem-se exibir na tela maior mapa de navegação ou listas de contatos de telefone, estações de rádio e conta-giros e velocímetro menores. Ou a configuração com os insrumentos maiores. O sofisticado sistema de som da Bose 3D tem amplificador de 15 canais e 19 alto-falantes. Entre os sistemas de assistência há o que analisa o comportamento do motorista e emite alerta em caso de perda de concentração. O Audi pre sense detecta situação instável e aumenta força nos cintos dianteiros, enquanto o assistente lateral alerta sobre veículo no ponto cego e uma luz se acende no espelho retrovisor externo.

 

A traseira é marcada por linhas horizontais e as lanternas de LED são ativadas com a ignição ligada(foto: Pedro Bicudo/Audi)
A traseira é marcada por linhas horizontais e as lanternas de LED são ativadas com a ignição ligada (foto: Pedro Bicudo/Audi)
 

 

CARRO Para quem gosta mais de carro, o motor V6 turbo compressor nem parece sentir o peso de quase duas toneladas, atingindo 100km/h em cerca de seis segundos. O sistema de seleção de condução tem até o modo fora de estrada, ajustando os sistemas do chassi e propulsão do esportivo ao conforto equilibrado. A transmissão é automática Tiptronic de oito marchas, com trocas rápidas e suaves, e está integrada à tração permanente quattro, que distribui a força entre os eixos na proporção 40/60. E pode transferir, em caso de perda de aderência, até 70% para o eixo dianteiro e 85% para o traseiro. A direção elétrica substitui a hidráulica da primeira geração. O enorme porta-malas tem capacidade de 890 litros na configuração de cinco lugares e cai para 295 com os bancos da terceira fileira.

DIRIGINDO No test-drive de 80 quilômetros, sendo 10km em subida em estrada de terra, perceberam-se todas as qualidades desse grandalhão de quase dois metros de largura. Acelerações suaves e progressivas, muita segurança na dinâmica no asfalto, com alertas de mudança de faixa, rodar suave e macio. A suspensão não era a ar na unidade testada. Na subida da serra para chegar na Pedra Grande, em Atibaia, o Q7 exibiu desenvoltura no piso bastante irregular. Transfere muito pouco as oscilações laterais para dentro do carro e a tração 4x4 no modo off road não se importa com os obstáculo naturais e seguiu firme em frente até o topo, de onde se vê a cidade.

 

Cockpit virtual tem tela de 12,3 polegadas e mostra imagens nítidas e detalhadas(foto: Pedro Bicudo/Audi)
Cockpit virtual tem tela de 12,3 polegadas e mostra imagens nítidas e detalhadas (foto: Pedro Bicudo/Audi)
 


Na descida, o dispostivio segura e freia bem, mantendo a velocidade constante, proporcionando segurança. De volta ao asfalto, o motorista não sente o cansaço e as oscilações da terra. Também pudera, em um carro de R$ 400 mil, os bancos muito confortáveis têm regulagens múltiplas, incluindo a lombar, que deixa a pelve em posição correta.
* Jornalista viajou a convite da Audi.

Ficha técnica
Motor – de seis cilindros em V turbocompressor, de 2.995cm³ de cilindrada, 333cv de 5.500rpm a 6.500rpm e 44,9kgfm de 2.900rpm a 5.300rpm

Transmissão – tração integral e câmbio automático, do tipo Tiptronic, de oito marchas

Desempenho – velocidade máxima, 250km/h (limitada eletronicamente); aceleração até 100km/h, 6,1 segundos

 

Encostos dos bancos da segunda fileira são reclináveis(foto: Pedro Bicudo/Audi)
Encostos dos bancos da segunda fileira são reclináveis (foto: Pedro Bicudo/Audi)
 

 

Capacidades (litros) – porta-malas, 890; tanque, 85
Dimensões (metros) – Comprimento, 5,05; largura, 1,97; altura, 1,74 e distância entre-eixos, 2,99

Preço – R$ 399.990 e com todos os opcionais, R$ 489.500

» Opcionais

Terceira fileira de bancos, suspensão adaptativa a ar, pacote tecnológico (farol full LED, eixo traseiro direcional, assistente de visão noturna), side assist (detecta carros no ponto cego, indica tráfego na lateral e possibilidade de impacto traseiro).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade