Publicidade

Estado de Minas CARRO-CHEFE É APOSTA

Peugeot atualiza 208 brasileiro com motor 1.2 três cilindros e inédita versão GT

Reestilizada, linha 2017 do Peugeot 208 traz leves atualizações de estilo da Europa com motor tricilíndrico prometendo consumo 37% inferior e versão GT de desempenho esportivo


postado em 04/04/2016 10:00 / atualizado em 07/04/2016 13:34

(foto: Peugeot/Divulgação)
(foto: Peugeot/Divulgação)
Fortaleza – A Peugeot lança a linha 2017 do 208 com diferentes novidades, equiparando o modelo produzido em Porto Real (RJ) em design e tecnologia ao francês. Além de leves alterações de estilo e novas versões – entre elas a esportiva GT, que traz sob o capô o motor 1.6 THP de 173cv dos carros médios do Grupo PSA (Peugeot Citroën) –, o hatchback compacto entra na onda dos motores três cilindros com um 1.2 de 90cv que promete consumo até 37% menor do que o 1.5 anterior. São seis versões de acabamento (Active, Active Pack, Allure, Sport, Griffe e GT), mantendo o motor 1.6 16v e o obsoleto câmbio automático de quatro velocidades como opções às caixas manual de cinco e seis marchas.

No design, o 208 2017 chega com discrição. Mudaram apenas os faróis, de máscara negra com guia de LEDs, aplique cromados próximos às lâmpadas e o para-choque frontal. De perfil o carro exibe desenhos renovados para as rodas de liga leve de 15 a 17 polegadas, de acabamento bicolor ou diamantado – exceto na versão de entrada 1.2 Active. As lanternas em formato de bumerangue receberam apenas nova distribuição de luzes, também em LEDs.

Por dentro o painel segue o que a Peugeot chama de conceito i-Cockpit, com instrumentação elevada, leitura por cima do volante, volante achatado e de pequeno diâmetro e posto de condução diferente do usual. A tela multimídia sensível ao toque de sete polegadas integra funções de rádio, bluetooth, computador de bordo, navegação no Brasil e países limítrofes, câmera traseira (presenta nas versões GT e Griffe) e espelhamento de smartphones, função chamada pela Peugeot de MirrorScreen. O volante multifuncional vem com revestimento em couro e a iluminação da tela central é na cor branca, exceto no 1.2 Active (agulha na cor vermelha).

 

Painel na nova versão GT: central multimídia de 7 polegadas e iluminação central em branco(foto: Peugeot/Divulgação)
Painel na nova versão GT: central multimídia de 7 polegadas e iluminação central em branco (foto: Peugeot/Divulgação)
Para auxiliar o motorista na redução do consumo do novo 1.2 Puretech, um indicador no painel mostra a marcha mais adequada para cada rotação do motor. Nos 208 equipados com câmbio automático há também o EcoDrive, modo que reduz o consumo em até 7% em uso urbano. Ainda internamente foram renovados revestimento dos bancos, maçanetas, aeradores do ar-condicionado, volante e manopla do câmbio.

Interior do GT traz bancos envolventes de costura vermelha e soleiras nas portas dianteiras(foto: Peugeot/Divulgação)
Interior do GT traz bancos envolventes de costura vermelha e soleiras nas portas dianteiras (foto: Peugeot/Divulgação)
Compõem a lista de itens de série e opcionais airbags frontais, laterais e de cortina, ar-condicionado automático de duas zonas, câmera de ré, computador de bordo com três modos de operação e nove funções integradas à central multimídia, piloto automático, sensores de obstáculos dianteiro e traseiro, de chuva e de luminosidade. Como no 308 reestilizado, o teto solar panorâmico é estendido à linha, só não estando presente nas versões Active.

As lanternas em formato de bumerangue do 208 receberam apenas nova distribuição de luzes(foto: Peugeot/Divulgação)
As lanternas em formato de bumerangue do 208 receberam apenas nova distribuição de luzes (foto: Peugeot/Divulgação)
ESPORTIVO DE VERDADE Dando sequência ao histórico iniciado pelo 205 GTi, vendido no mercado brasileiro na década de 1990, o 208 GT reforça o cardápio de hatches compactos de desempenho verdadeiramente esportivo no Brasil, já representado pelo Renault Sandero (2.0 16v) RS e o Volkswagen up! (1.0) TSI. Dotado do motor 1.6 THP dos “irmãos maiores” 308, 408 e 3008, o GT se distancia dos outros 208 pelo visual apimentado com faróis de módulo elíptico, grade com detalhes na cor vermelha, retrovisores e aerofólio em preto brilhante, roda de alumínio diamantada de 17 polegadas e dupla saída de escape.

O ambiente interno destaca o tom escuro do painel e elementos em vermelho na instrumentação e costura do revestimento dos bancos e detalhes. Completam o espírito libertino pedaleiras em alumínio, soleiras nas portas dianteiras e o painel com revestimento em sensível ao toque padrão Stellar. Entre os recursos presentes na versão estão controle de estabilidade, assistência à frenagem de urgência, função hill assist (que mantém o carro parado por até dois segundos em aclives) e iluminação estática de interseção, que permite iluminar curvas em velocidade de até 40km/h.

Versão 1.6 16v Griffe mantém antigo câmbio automático de quatro marchas(foto: Peugeot/Divulgação)
Versão 1.6 16v Griffe mantém antigo câmbio automático de quatro marchas (foto: Peugeot/Divulgação)
Além do novo motor, foram aplicados ao 208 GT reforços na calibração da direção, freios, suspensão, pneus (de perfil baixo, 205/45) para reforçar a esportividade e a segurança. A compressão foi elevada para atingir até 173cv com etanol (são 166cv com gasolina) e a versão vem associada ao câmbio manual de seis marchas. Com torque médio de 24,48kgfm, acelera até 100km/h em 7,6 segundos e alcança máxima de 220km/h, sempre com etanol. Como opção mais em conta a quem não abre mão do visual esportivo, mas não faz questão de alto desempenho, a Peugeot passa a oferecer a versão Sport, com rodas de alumínio de 16 polegadas, motor 1.6 16v e câmbio manual, compartilhando alguns itens de aparência do GT. Entre eles, retrovisores e aerofólio em preto brilhante.

Como no 308, teto solar panorâmico é estendido à linha, exceto nas versões Active(foto: Peugeot/Divulgação)
Como no 308, teto solar panorâmico é estendido à linha, exceto nas versões Active (foto: Peugeot/Divulgação)
MENOR CONSUMO Principal novidade do 208 reestilizado, o motor 1.2 Puretech de três cilindros substitui o 1.5 prometendo o menor consumo entre os propulsores similares do mercado brasileiro, além de 25% maior eficiência do que concorrentes em uso urbano e 15% no rodoviário, abastecido com etanol. Sempre associado ao câmbio manual de cinco marchas das versões de entrada, o novo motor é capaz de gerar até 84cv/90cv (cavalos) de potência e 12,24/12,95kgfm de torque abastecido com gasolina e etanol, respectivamente. Para rodar no Brasil com etanol, o Puretech recebeu adaptações no sistema de ignição – aquecimento dos injetores para eliminar o tanquinho flex –, pistões, blocos, bronzinas, cabeçotes, válvulas de admissão, eletroválvula do canister e chicote reforçados. A Peugeot reforça que o motor passou por mais de 400 mil qtuilômetros de testes e 5.400 horas de validação em bancada de teste (dinamômetro).

 

A configuração intermédia do 208 mantém o motor 1.6 16v flex, chamado de EC5 pela marca e que também dispensa o tanque flex. Disponível com câmbio manual de cinco marchas ou a obsoleta caixa automática de quatro velocidades, gera 115cv/122cv e 15,51/16,42kgfm. A Peugeot diz ter alcançado uma grande evolução na lubrificação deste motor, com o uso de um óleo mais eficiente. São sete as cores disponíveis: Branco Blanquise (sólida), Vermelho Aden (sólida), Preto Perla Nera (metálica), Cinza Aluminium (metálica), Azul Bourrasque (metálica), Branco Nacré (perolizada) e Dark Carmin (metálica). A garantia é de três anos.

Quanto custa?

MODELO    PREÇO

Active 1.2 Manual    R$ 48.190
Active Pack 1.2    R$ 51.690
Allure 1.2 Manual    R$ 54.990
Allure 1.6 Automático    R$ 59.090
Sport 1.6    R$ 60.890
Griffe 1.6 Automático     R$ 64.590
GT     R$ 78.990

O jornalista viajou a convite da Peugeot

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade