Publicidade

Estado de Minas EM MARCHA LENTA

Produção de veículos cai 27,8% no primeiro trimestre, menor nível em 13 anos

Apesar de leve crescimento em março, montadoras registram no primeiro trimestre queda na produção de veículos de 27,8%. Em Minas, número de emplacamentos cai 35,84% no período


postado em 07/04/2016 14:04

(foto: Edésio Ferreira/EM D.A Press - 31/7/14)
(foto: Edésio Ferreira/EM D.A Press - 31/7/14)
O mercado automotivo continua sentindo os efeitos da crise econômica com resultados negativos na produção, vendas e postos de trabalho. No estado, o número de veículos emplacados caiu 35,84% em março na comparação com o mesmo período de 2015, quando foram emplacadas 14.001 unidades, segundo dados divulgados ontem pelo Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos de Minas Gerais (Sincodiv-MG). Houve até reação em março sobre fevereiro, alta que se deve ao número maior de dias úteis no terceiro mês do ano, mas não o suficiente para evitar o menor nível de produção para o período em 13 anos. Em meio à baixa demanda por veículos no Brasil, as montadoras instaladas no país terminaram o primeiro trimestre de 2016 com 482.290 unidades produzidas de janeiro a março deste ano. O número representa queda de 27,8% em relação aos primeiros três meses do ano passado, no pior desempenho desde 2003, segundo a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

Para o presidente do Sincodiv-MG, Camilo Lucian, o melhor resultado das vendas em março, em relação a fevereiro, já era esperado, reflexo da retomada das atividades após férias coletivas concedidas no período. Apesar do número positivo, quando comparadas as vendas em igual período de 2015 a queda foi acentuada em todos os segmentos. “A incerteza política e econômica que atravessamos, acompanhada de baixa atividade econômica, com aumento da inflação e do desemprego, tem afetado diretamente a confiança do consumidor, o que contribui para o baixo volume de vendas”, disse.

No estado, o número de emplacamentos do segmento de varejo de automóveis e comerciais leves teve aumento de 17,51% em relação a fevereiro. Ao todo, foram emplacadas 8.982 unidades em março, contra 7.643 no segundo mês do ano. No país, as vendas de veículos novos ao mercado interno aumentaram 22,1% em março sobre fevereiro, mas mantiveram a queda de 23,6% sobre março do ano passado. Houve recuo de 28,6% no trimestre. Os números abrangem todo o país. Foram comercializados no mês passado 179,1 mil veículos. A produção cresceu a um ritmo maior (42,6%) do que o escoamento dos produtos. Em março, foram produzidos 195,3 mil veículos. No entanto, quando comparado ao mesmo período do ano passado, houve queda de 23,7% e, no acumulado dos três meses de 2016, a produção ficou 27,8% menor.

Em Minas, emplacamentos de automóveis e comerciais leves cresceu 17,51% em relação a fevereiro(foto: Edésio Ferreira/EM D.A Press - 31/7/14)
Em Minas, emplacamentos de automóveis e comerciais leves cresceu 17,51% em relação a fevereiro (foto: Edésio Ferreira/EM D.A Press - 31/7/14)
O presidente da Anfavea, Luiz Moan, disse que o crescimento da demanda interna não sinaliza uma “retomada e reflete o agravamento da crise política”. Segundo ele, nos dias em que ocorreram manifestações no país, algumas concessionárias não receberam nenhum consumidor. Moan considera que é cedo para fazer previsão sobre o comportamento do mercado para os próximos meses. Destacou que o crescimento da produção não pode ser visto como recuperação. “Estamos com um trimestre que é o pior desde 2006, portanto, sem comemoração.”O executivo informou que apenas 51,4% dos negócios foram a prazo, no menor patamar de financiamento dos últimos 14 anos, o que demonstra falta de confiança dos consumidores.

 

Mercado externo
As exportações também melhoraram o desempenho em relação a fevereiro último, com o número de unidades embarcadas 0,2% maior, mas, em comparação a março de 2015, houve redução de 7,7% e, no trimestre, queda de 7,6%. No acumulado do ano, em valores, as vendas externas atingiram US$ 2,2 bilhões. O fraco desempenho das montadoras instaladas no país se refletiu também em cortes de vagas. Os dados da Anfavea indicam que caiu em 1,1% o nível de emprego, passando de 129.862 trabalhadores, em fevereiro, para 128.477 em março. (Com agências)

Unidades fabricadas no Brasil

Primeiro trimestre de 2015
667.571

Primeiro trimestre de 2016
482.290

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade