Estreia olímpica

Nissan traça ousada estratégia entre os SUVs e crossovers com o Kicks

Dirigimos o Nissan Kicks, lançamento global da marca japonesa que chega antes ao mercado brasileiro, em agosto. Confira as primeiras impressões do novo crossover

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 19/07/2016 16:00 / atualizado em 19/07/2016 16:08 Pedro Cerqueira /Estado de Minas
Nissan/Divulgação
De São Paulo - As linhas do Kicks, o novo crossover da Nissan, não são novidade. É que a marca já tinha feito uma apresentação estática do veículo pouco antes dele iniciar o tour da tocha olímpica Brasil afora. Mas agora, o modelo foi oficialmente lançado e os japoneses abriram o jogo sobre o veículo, que chega às concessionárias em 5 de agosto, data da abertura dos Jogos Olímpicos.

Com personalidade forte, o design do Kicks não ficou muito diferente do veículo conceito apresentado pela Nissan no Salão do Automóvel de São Paulo de 2014. Desenvolvido pelos centros de design do Japão, Estados Unidos e Brasil, o crossover combina linhas fluidas e robustez, trazendo como destaque a parte central da grade e capô, os faróis, as caixas de roda musculosas, as rodas de 17 polegadas e o teto flutuante, efeito criado pelas colunas na cor preta.

O interior tem bom espaço (são 2,61 metros de distância entre-eixos) e acabamento com três opções de revestimento em couro (preto, Macchiato e Sand). O porta-malas tem boa capacidade, com volume de 432 litros. O quadro de instrumentos conta com uma tela multifuncional de sete polegadas com 12 funções, como navegação e computador de bordo. Com estilo esportivo, o volante tem base achatada. A Nissan garante que a conformação dos bancos amplia o conforto dos passageiros.

Interior tem bom espaço e acabamento com três opções de revestimento em couro - Nissan/Divulgação Interior tem bom espaço e acabamento com três opções de revestimento em couro
O sistema multimídia conta com navegação por satélite, com integração ao smartphone. Por enquanto, o Kicks está disponível apenas já versão topo de linha SL, que chega ao mercado por R$ 89.990, o que influencia diretamente as impressões iniciais do acabamento e conteúdo. Entre os itens dessa versão, destaque para a câmera 360 graus com detector de movimentos, como o de pedestres próximo ao veículo. O pacote ainda traz controle eletrônico de tração e estabilidade, controles dinâmicos do chassi, airbags frontais, laterais e de cortina, sistema eletrônico de ignição, banco traseiro bipartido 60/40 dobrável, acendimento automático dos faróis, sensores traseiros de estacionamento, apoios de cabeça e cintos de segurança de três pontos para todos os ocupantes, ar-condicionado digital, entre outros.

São 2,61 metros de distância entre-eixos - Nissan/Divulgação São 2,61 metros de distância entre-eixos
MECÂNICA O Kicks traz debaixo do capô o velho motor flex 1.6 litro 16V, com controle de abertura de válvulas continuamente variável, que desenvolve 114cv de potência e 15,5kgfm de torque. O câmbio é automático do tipo CVT, com simulador de troca de marchas para uma condução mas ágil. O conjunto beneficia a eficiência energética, tendo obtido nota A no Programa de Etiquetagem Veicular. A suspensão é do tipo McPherson na dianteira e eixo de torção na traseira. A direção tem assistência elétrica variável. Um sistema de aquecimento do combustível elimina o tanquinho do sistema de partida a frio.

Nissan/Divulgação
O Brasil será o primeiro país a comercializar o Kicks, que na sequência será lançado em outros países da América Latina e, depois, em mais de 80 pelo mundo. Por enquanto, ele será importado do México, já que a fábrica brasileira de Resende (RJ) ainda passa por adaptações para produzir o modelo, o que está previsto para acontecer até março de 2017. A Nissan desenvolveu uma linha de acessórios exclusivos, como alarme, tapetes acarpetados e, até novembro, a coleção ganha itens como spoilers, aerofólio de teto e racks para bicicleta. O crossover tem três anos de garantia sem limite de quilometragem.

IMPRESSÕES Apesar dos números de potência e torque do Kicks serem inferiores aos dos principais concorrentes – Honda HR-V e Jeep Renegade –, seu desempenho empata com o rival japonês e supera o do Grupo FCA graças a seu peso reduzido. Mas estamos falando de uma performance apenas ok, com retomadas limitadas. Quando o câmbio CVT reduz a marcha imaginária, o motor grita. A suspensão tem bom acerto entre estabilidade e conforto, não pendendo para nenhum lado.

O porta-malas tem boa capacidade, com volume de 432 litros - Nissan/Divulgação O porta-malas tem boa capacidade, com volume de 432 litros
Já o acabamento do crossover da Nissan tem como ponto alto o revestimento em couro do painel, mas a boa impressão é quebrada pelo uso amplo de plásticos, além do tecido do teto, que tem aspecto ruim. Nesse ponto, o Renegade leva a melhor, com material emborrachado no painel, mas o Kicks supera o HR-V. Entre os SUVs/crossovers compactos premium o espaço interno é semelhante. O volume do porta-malas do Kicks é igual ao do HR-V e ambos muito superiores ao do Renegade. Comparando o conteúdo desses modelos em suas versões topo de linha, que são semelhantes, o Kicks é o mais em conta, enquanto HR-V ELX custa R$ 99.200 e o Renegade Limited Edition R$ 97.490.


Nissan/Divulgação
FICHA TÉCNICA

Motor: 1.6 16V flex
Potência: 114cv a 5.600rpm (g/e)
Torque: 15,5kgfm a 4.000rpm (g/e)
Câmbio: CVT
Dimensões (CxLxA): 4,30m x 1,76m x 1,59m
Entre-eixos: 2,61m
Peso: 1.142 quilos
Porta-malas: 432 litros
Ângulo de ataque: 20 graus
Ângulo de saída: 28 graus
Altura em relação ao solo: 20 centímetros
Velocidade máxima: 175km/h
Aceleração (0 a 100km/h): 12 segundos
Consumo urbano: 8,1(e) / 11,4(g)
Consumo rodoviário: 9,6(e) / 13,7(g)

* Jornalista viajou a convite da Nissan

Tags: nissan kicks lançamento crossover suvs estrategia Nissan Kicks Portal VRUM Estado de Minas

Veículos

Encontre seu veículo

Últimas notícias

ver todas

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação