Publicidade

Estado de Minas MODERNOS, MAS NEM TANTO

Renault lança novos motores 1.0 SCe e 1.6 SCe, que inicialmente equipam Sandero e Logan

Renault apresenta sua nova linha de motores, composta por um 1.0 três-cilindros e um 1.6 quatro-cilindros, que trazem avanços, mas preservam o ultrapassado tanquinho de partida a frio. Sandero e Logan são os primeiros a receber os novos motores


postado em 05/12/2016 12:16 / atualizado em 12/12/2016 18:47

(foto: Renault/Divulgação)
(foto: Renault/Divulgação)
De Curitiba (PR)* - Na corrida contra o tempo para atender às exigências da legislação que prevê redução de emissão de poluentes e de consumo de combustível, as montadoras têm investido pesado no desenvolvimento de novas tecnologias e produtos. A Renault do Brasil garante que fez sua parte ao lançar esta semana os novos motores 1.0 SCe e 1.6 SCe, ambos flex, construídos com materiais mais leves e soluções eficientes para melhorar a performance. O 1.0 três-cilindros equipa o Sandero e o Logan, enquanto o 1.6 quatro-cilindros estará disponível também no Duster e Duster Oroch. Mas contrariando as expectativas e seguindo na contramão da concorrência, a Renault optou equipar os novos motores com o ultrapassado sistema de partida a frio com tanquinho, além de adotar direção com assistência eletro-hidráulica nos modelos, em vez de elétrica. Apesar disso, a montadora se diz satisfeita pelo fato de seus modelos serem os mais econômicos em seus segmentos.

A nova família de motores da Renault, a Smart Control Efficiency (SCe), foi desenvolvida em parceria com a Nissan, que curiosamente tem os mesmos produtos, porém com sistema de preaquecimento de combustível, que elimina o tanquinho. Mas os executivos da marca francesa tentaram se justificar alegando que a mudança no sistema de partida a frio, no momento, “não era prioridade”, e se disseram satisfeitos com os resultados obtidos com redução de emissão e consumo de combustível. O hatch e o sedã equipados com os novos motores e câmbio manual receberam nota A no Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular (PBEV).

(foto: Renault/Divulgação)
(foto: Renault/Divulgação)
A estrela da família é o 1.0 SCe de 12 válvulas e três cilindros, dotado de comando de válvulas variável na admissão e no escape, todo em alumínio, com corrente no lugar da correia dentada e bomba de óleo com vazão variável, soluções que, de acordo com a Renault, deixaram Sandero e Logan 19% mais econômicos. A montadora informa que o novo sistema de direção com assistência eletro-hidráulica também contribui para a melhor performance, mas a concorrência adota em seus modelos a assistência elétrica, bem mais moderna e eficiente. Com o novo motor 1.0 três-cilindros, Sandero e Logan ficaram R$ 600 mais caros.

(foto: Renault/Divulgação)
(foto: Renault/Divulgação)
Já o 1.6 SCe 16V de quatro cilindros tem duplo comando de válvulas variável na admissão e injetores no cabeçote, além de contar com o sistema stop&start, que desliga o motor automaticamente em paradas, tudo isso proporcionando uma economia de combustível de 21%. Mas os preços do hatch e do sedã com esse motor subiram R$ 1.600. Outra novidade da Renault é que todos os modelos equipados com o câmbio automatizado Easy'R passam a oferecer controle de estabilidade e assistente de partida em rampa.

NA RUA Com 79cv abastecido com gasolina e 82cv com etanol, o Sandero 1.0 três-cilindros ganhou em desempenho, com melhor torque em baixas rotações (10,2kgfm com gasolina e 10,5kgfm com etanol a 3.500rpm), proporcionando arrancadas e retomadas de velocidade mais ágeis. O motor tem funcionamento ruidoso em altas rotações, mas deixou o hatch bem mais esperto na cidade e na estrada. A Renault melhorou também as relações de marchas e os engates do câmbio manual de cinco marchas, favorecendo a performance. Já o Sandero e Logan 1.6 passam a ter potências de 115cv com gasolina e 118cv com etanol, com 16kgfm de torque com os dois combustíveis. Mas a Renault não disponibilizou os modelos equipados com esse motor para teste na apresentação.

(foto: Renault/Divulgação)
(foto: Renault/Divulgação)
VIBE A Renault aproveitou o lançamento dos novos motores para anunciar o retorno da Série limitada Sandero Vibe, equipada com o 1.0 SCe, rodas de liga leve aro 15 polegadas, ar-condicionado, vidros dianteiros e retrovisores elétricos, computador de bordo, indicador de troca de marchas, sensor de estacionamento traseiro e multimídia Media NAVEvolution, com tela tátil e GPS. Tudo isso por R$ 47.100.

(foto: Renault/Divulgação)
(foto: Renault/Divulgação)
FICHA TÉCNICA

SANDERO 1.0 SCe

MOTOR Três-cilindros, 79cv (gasolina)/82cv (etanol) a 6.300rpm, torque de 10,2kgfm (g)/10,5kgfm (e) a 3.500rpm
DIREÇÃO Eletro-hidráulica
TRANSMISSÃO Tração dianteira, com câmbio manual de cinco marchas
PERFORMANCE Aceleração até 100km/h em 13,1s (g)/13,0 (e); velocidade máxima, 160km/h (g)/163km/h (e)
CONSUMO Cidade 11,9km/l (g)/8,1km/l (e); estrada 14,2km/l (g)/9,5km/l (e)

SANDERO 1.6 SCe

MOTOR Quatro-cilindros, 115cv (gasolina)/118cv (etanol) a 5.500rpm, torque de 16kgfm (g/e) a 4.000rpm
DIREÇÃO Eletro-hidráulica
TRANSMISSÃO Tração dianteira, com câmbio manual de cinco marchas ou automatizado de cinco velocidades
PERFORMANCE Aceleração até 100km/h em 10,3s (g)/9,8s (e); velocidade máxima, 182km/h (g)/185km/h (e)
CONSUMO Cidade 12,8km/l (g)/8,6km/l (e); estrada 13,4km/l (g)/9,2km/l (e)

PREÇOS
O Sandero 1.0 tem preços que vão de R$ 42.400 (Autentique) a R$ 47.100 (Vibe). Já o Logan 1.0 custa de R$ 46.300 a R$ 48.200.

* Jornalista viajou a convite da Renault

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade