Publicidade

Estado de Minas

Renault joga a toalha e Fluence deixa o mercado brasileiro na lanterninha do segmento

Sedã médio sai de linha e marca francesa não pretende lançar um substituto. Gosta do modelo? Para diminuir o prejuízo, negocie um belo desconto!


postado em 09/11/2017 11:44 / atualizado em 09/11/2017 11:55

(foto: Marlos Ney Vidal/EM/D.A Press)
(foto: Marlos Ney Vidal/EM/D.A Press)

Fim de linha para o Renault Fluence. A marca francesa anunciou que vai parar de importar o modelo da Argentina e, por enquanto, não pretende colocar nenhum outro sedã médio para substituí-lo no Brasil. O Fluence nunca fez muito sucesso, e se despede segurando a lanterninha do segmento, com 890 unidades vendidas ao longo do ano.

Como todo modelo da Renault vendido no Brasil, o Fluence não é um projeto francês, mas fruto de uma aliança com a coreana Samsung. Mas isto não desmerece suas qualidades: plataforma relativamente atual (a mesma da terceira geração do Renault Mégane); conjunto mecânico eficiente, composto pelo motor 2.0 e câmbio CVT; e linhas originais, embora defasadas, já que o projeto é de 2010.

Para quem quiser aproveitar a “xepa”, o modelo ainda está no estoque das concessionárias. Mas não deixe de negociar um belo desconto, já que, além de não ser bom de mercado, um modelo fora de linha perde muito valor. Hoje o Fluence está disponível em duas versões, Dynamique CVT Plus (R$ 99.350) e Privilège (R$ 108.300).

(foto: Marlos Ney Vidal/EM/D.A Press)
(foto: Marlos Ney Vidal/EM/D.A Press)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade