Nostalgia

Modelos raros e valiosos são a atração em Araxá no feriado de 7 de setembro

Vários antigomobilistas já estão em Araxá, onde ocorre a 23ª edição do Encontro Nacional de Automóveis Antigos. Entre eles, esse belo Dodge Dart

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 06/09/2018 12:58 Pedro Cerqueira /Estado de Minas

Com quase 5m de comprimento, o sedã de quatro portas traz sob o capô um V8 de 5.2 litros - Pedro Cerqueira/EM/D.A Press Com quase 5m de comprimento, o sedã de quatro portas traz sob o capô um V8 de 5.2 litros
 

Neste feriado da Independência (7 de setembro), vários amantes do antigomobilismo se reúnem na cidade mineira de Araxá para a 23ª edição do Encontro Nacional de Automóveis Antigos. E no meio dessa turma está o jornalista Alexandre Carneiro Soares, que tirou seu Dodge Dart 1970 da garagem para curtir os 360 quilômetros de estrada que separam Belo Horizonte da cidade do Triângulo Mineiro. Bastante original, o veículo de coleção também ficará exposto no evento.


Alexandre tem participado de vários eventos do Clube de Veículos Antigos de Nova Lima, que promove raides de regularidade. Há poucos meses, participou de uma competição em Tiradentes, o que certifica que o modelo estava pronto para pegar estrada novamente. Para quem sempre tem a curiosidade de saber o consumo de combustível de um “veoitão”, a expectativa é que o Dodge Dart queime 4,5km/l de gasolina na estrada. Antes de Araxá, o veículo já participou de exposições em Curvelo e em Juiz de Fora.

O jornalista Alexandre Carneiro tirou seu Dodge Dart 1970 da garagem para curtir os 360 quilômetros de estrada até Araxá - Pedro Cerqueira/EM/D.A Press O jornalista Alexandre Carneiro tirou seu Dodge Dart 1970 da garagem para curtir os 360 quilômetros de estrada até Araxá

Com quase 5m de comprimento, o sedã de quatro portas traz sob o capô um V8 de 5.2 litros, além de câmbio manual de três marchas, com alavanca na coluna de direção. Os números de performance são brutos: 198cv de potência e 41,5kgfm de torque. “Para um carro com quase 50 anos, ele anda muito bem. Entre 80km/h e 100km/h é muito prazeroso dirigir. Mais que isso, tenho um certo medo. Não é muito fácil controlar. Não te dá a segurança de um carro atual. Freio e estabilidade requerem um certo cuidado”, avalia Alexandre.

 


O jornalista comprou o “Dojão” em sociedade com seu irmão em 2007. “Sempre quis ter um Dart ou um (Ford) Maverick. Olhamos quase 30 carros. Ou eles estavam baratos e em péssimo estado, exigindo uma restauração dispendiosa, ou bons, mas muito caros”, recorda-se. Os irmãos acabaram optando por um Dart anunciado no Bairro Serra. Comprado com o intuito de ser “um carro veloz para viajar ao Rio de Janeiro”, o veículo pertencia à mesma família desde novo. O sedã rodou bastante durante a década de 1970, mas depois ficou encostado.

O Dojão já esteve em vários encontros de antigos e sempre chega rodando - Pedro Cerqueira/EM/D.A Press O Dojão já esteve em vários encontros de antigos e sempre chega rodando

Para vender o carro, os proprietários deram uma ajeitada para deixar o motor funcionando. “Não estava 100%, mas o preço não era exorbitante”, explica Alexandre, que logo providenciou um banho de tinta para tirar as manchas do isopor que ficava abaixo na capa. Também foi feita uma revisão mecânica, mas o interior estava em bom estado. As rodas pediam calotas, que logo foram compradas. As intervenções mais recentes foram a troca do teto de vinil e, no interior, do volante, que estava “melando”. De acordo com o jornalista, a manutenção do modelo está começando a ficar difícil, com algumas peças bastante caras e difíceis de achar, além de alguns mecânicos que “torcem o nariz” para mexer em veículos antigos.

O EVENTO A 23ª edição do Encontro Nacional de Automóveis Antigos acontece em Araxá, até sábado, no Tauá Grande Hotel Termas & Convention Araxá. O evento é promovido pelo Instituto Cultural Veteran Car de Minas Gerais e reunirá cerca de 300 exemplares automotivos de várias décadas e partes do mundo.

Cerca de 300 veículos estão expostos no entorno do Tauá Grande Hotel Termas & Convention Araxá - Estúdio Cerri/Divulgação Cerca de 300 veículos estão expostos no entorno do Tauá Grande Hotel Termas & Convention Araxá

Entre os destaques, um Stanley Steamer fabricado em 1902, o primeiro carro a vapor de que se tem notícia. Outra raridade é o carro mais antigo emplacado no Brasil, o francês De Dion Bouton, registrado por aqui também em 1902. Um Fiat Zagato 1951, um cupê de duas portas assinado pelo famoso projetista italiano, pertence a um pequeno museu na cidade de Carmo da Mata, no Oeste de Minas.

RENAULT A edição 2018 do encontro conta com o patrocínio da Renault, que levará várias atrações, como a Voiturette, réplica do primeiro Renault fabricado no mundo, em 1898. Primeiros representantes da marca no Brasil, os modelos Gordini e Interlagos também serão expostos. Haverá espaço para esportivos como o Clio V6 e o Megane RS. Representantes da gama zero emissão, os elétricos Twizy e ZOE estarão disponíveis para teste drive.

A Renault expõe no evento o Voiturette, réplica do primeiro modelo da marca faricado no mundo, em 1898 - Renault/AFP A Renault expõe no evento o Voiturette, réplica do primeiro modelo da marca faricado no mundo, em 1898

Em paralelo ao Brazil Classics Renault Show 2018, será realizada uma mostra cultural diversificada, com exposição do artista plástico Sérgio Dotta e suas pinturas hiper-realistas de carros antigos e hot-rods, shows com as bandas Bêjazz On The Street, Derico Duo e Quinteto Nota Certa, além da apresentação de duas importantes companhias de teatro brasileiras, a Uno e a Lúmini.


Outras atrações interessantes do evento são a feira de peças e o Leilão de Automóveis Antigos. Para participar das duas atividades é preciso se inscrever previamente pelos e-mails denisefelisoni@hotmail.com (para o feirão) e leilao@talladegamotors.com (para o leilão).

Tags: renault antigomobilismo araxá antigos automóveis de nacional encontro

Veículos

Encontre seu veículo

Últimas notícias

ver todas

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação