Publicidade

Estado de Minas

Ford Focus 1.6 flex - O poder da cana

Modelo hatch médio passa a ser equipado com motor flex e desempenho melhora. Freios ABS e regulagem de farol não estão entre opcionais


postado em 01/05/2007 23:06

(foto: Fotos: Marlos Ney Vidal/EM - 26/4/07)
(foto: Fotos: Marlos Ney Vidal/EM - 26/4/07)
Finalmente, o médio da Ford entra na era flex e o desempenho com álcool passa a ser um dos principais atrativos. Potência e torque tiveram aumento significativo. Enquanto o modelo a gasolina tinha 14,6 mkgf de torque e 103 cv de potência, o motor flex tem 15 mkgf de torque com gasolina e 15,9 mkgf com álcool. Há mais disposição para vencer aclives e menor perda de desempenho com o ar-condicionado ligado. Só que a Ford demorou muito para equipar seu carro médio com o mesmo motor flex que está também no Fiesta e no EcoSport.

O Focus é segundo médio mais vendido no Brasil, o primeiro é o Astra. Fruto de um lançamento malfeito, o modelo demorou a cair no gosto do consumidor. O carro produzido na Argentina ainda é o de primeira geração. A terceira será apresentada, em setembro, no Salão de Frankfurt, e será a sucessora da atual no mercado brasileiro, que não conheceu a segunda.
Motor tem 105 cv de potência com gasolina e 112,6 cv com álcool
Motor tem 105 cv de potência com gasolina e 112,6 cv com álcool

Segurança
Qualidade é o que o Focus tem de sobra. Boa ergonomia, com a maioria dos comandos bem localizados, apesar de alguma restrições, excelente posição de dirigir e suspensão traseira multibraços, que absorve as imperfeições do piso e mantém o carro mais grudado no solo. Entretanto, o fabricante economiza palito ao retirar a barra estabilizadora do eixo traseiro desde o lançamento do motor 1.6, o que aumenta a inclinação da carroceria em curvas. O fabricante alega que o item é dispensável nessa versão. Argumento tolo. Mesmo assim, a suspensão traseira é uma obra-prima.

Lambança
Outro deslize é que a regulagem de altura de facho de farol só equipa a versão Ghia, a topo de linha, ficando fora da GL e GLX, testada. O dispositivo evita que os motoristas dos outros carros sejam ofuscados quando o carro está com carga máxima. Falta também nessas duas versões o apoio de cabeça central traseiro. O eficiente sistema ABS de freios também não está na lista de opcionais, reservado apenas para a versão Ghia. E para completar a lambança, o cinto de três pontos central traseiro foi substituído pelo abdominal, de eficiência limitada. Falta o apoio de cabeça central no banco traseiro.

Silêncio
O espaço interno é bom e acomoda três pessoas no banco traseiro. O interior é silencioso. O Focus é muito bem montado e não rebarbas de plástico e tampouco cantos vivos. O porta-malas é de ótimo tamanho para um hatch médio e pode ser aberto por dentro. Os assentos dos bancos são bem dimensionados e confortáveis.

A visibilidade traseira é ruim, obrigando o motorista a redobrar a atenção. O Focus tem comportamento dinâmico excepcional e previsível. Não há sustos e a dirigibilidade é excelente, apesar da idade do projeto. A primeira geração foi lançada, na Europa, em 1998.

Leia mais e assista ao teste do Focus Flex no Veja Também, no canto superior direito desta página.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade