Publicidade

Estado de Minas

Peso na picape - Avaliação técnica

Saiba como a Chevrolet Montana 1.4 flex se saiu nos testes técnico e ergonômico


postado em 24/08/2007 14:22

Análise feita pela fisioterapeuta Danielle Pongellupe(foto: Arte de Henrique Lima/Uai sobre Arte/EM)
Análise feita pela fisioterapeuta Danielle Pongellupe (foto: Arte de Henrique Lima/Uai sobre Arte/EM)
BOM

Vão do motor
O acesso à manutenção, em geral, é bom. A sistematização dos vários componentes mostra-se racional e os de verificação constante têm fácil identificação. Há isolante acústico somente no painel de fogo, sendo o resultado em insonorização satisfatório.

Altura do solo
Tem chapa em aço vazada para proteção de toda a zona inferior do motor. Com somente condutor passa bem sobre estrada de terra com algumas imperfeições, quebra-molas etc. Com 650kg de carga útil, não foram notadas interferências com o solo.

Climatização
É por comando manual. Apresentou bom funcionamento com boa vazão de ar pelos difusores do painel. O tempo gasto para dar a sensação de conforto em todo o habitáculo, depois de meia hora trancado ao sol, foi satisfatório. Está bem vedado e a rumorosidade de funcionamento, mesmo na velocidade máxima, é razoável.

Freios
O pedal de freio tem boa sensibilidade e o sistema apresentou reações balanceadas, nos dois eixos. Em frenagem de emergência sobre piso de asfalto seco, mostrou boa desaceleração, apesar da blocagem das rodas dianteiras, por não ter ABS. O freio de estacionamento sustenta sozinho o veículo carregado em aclive/declive.

Câmbio
As relações de marchas/diferencial atendem bem o uso na cidade e na estrada. A qualidade de engate (maciez e precisão) é satisfatória e a embreagem apresenta bom funcionamento.

Motor
Com as melhorias, propulsor 1.4 ficou mais potente e econômico(foto: Marlos Ney Vidal/EM)
Com as melhorias, propulsor 1.4 ficou mais potente e econômico (foto: Marlos Ney Vidal/EM)
A sua performance é de um motor de maior capacidade volumétrica. As retomadas de velocidade e aceleração são boas para a sua cilindrada e massa do veículo. A perda de rendimento com ar-condicionado ligado e carga útil de 650kg é aceitável. A rumorosidade de funcionamento é baixa. O sistema flex funciona bem. Com álcool no tanque, tem melhor dirigibilidade e rendimento, principalmente na estrada, sendo equivalente com 100% de gasolina no uso urbano.

Vedação
Boa contra água e poeira.

Suspensão
O conforto de marcha para um comercial leve, tanto com condutor quanto com 650kg de carga útil, merece destaque, pela qualidade da absorção das imperfeições do solo para dentro. A estabilidade é satisfatória em precisão e inclinação da carroceria em curvas.

Iluminação
O grupo óptico dianteiro é eficiente, tem construção com dupla parábola e conta com auxílio de faróis de neblina embutidos no pára-choque, e há regulagem elétrica de altura (opcional) em função da carga transportada. Há luz de cortesia somente no porta-luvas. A iluminação do habitáculo é composta por somente uma lanterna, na zona anterior do teto, com resultado aceitável. O quadro de instrumentos, o console central e os interruptores das portas têm fácil identificação noturna.

Limpador de pára-brisa
Ao esguichar quatro jatos d'água no pára-brisa palhetas de boa qualidade varrem automaticamente área satisfatória. O reservatório de água instalado dentro do vão do motor tem fácil identificação e manuseio.

Ferramentas
Tem uma chave de fenda combinada com Philips.

Alarme
A chave de ignição é codificada e tem proteção perimétrica das partes móveis.

REGULAR

Direção
A coluna de direção é fixa. A calibragem do sistema assistido deveria ser mais firme, principalmente na estrada com maior velocidade e com o veículo carregado, pois perde em precisão na reta, é muito leve e tem pequeno retardo de resposta inicial, mesmo com a pressão recomendada dos pneus para essa condição. O diâmetro de giro é razoável, e a velocidade do efeito retorno, boa.

Estepe/macaco
O estepe tem a roda em aço, mas o pneu é igual aos de uso. Está instalado abaixo do vão de carga, em suporte basculável, com acionamento por dentro do vão de carga. A operação de troca não é simples nem limpa. Para inibir o furto do estepe, a tampa da caçamba tem tranca com chave. A retirada da calota central da roda em liga leve exige uma chave de fenda.

RUIM

Acabamento da carroceria
O vão de carga tem proteção plástica nas laterais, assoalho e parte interna da tampa traseira, além de capota do tipo marítima (opcional). No vidro traseiro há grade protetora, com arco na zona posterior do teto, para transporte de cargas longas. A tampa traseira está desnivelada e descentralizada, e o capô está desnivelado em relação às extremidades das colunas A. As portas estão desniveladas em relação aos pára-lamas e laterais traseiras. A pintura apresentou alguns pontos com impurezas.

Nível interno de ruídos
O efeito aerodinâmico é notório em velocidades mais altas e, no habitáculo, surgem vários pequenos ruídos quando sobre piso de paralelepípedo, asfalto ruim e terra com costelas.

Avaliações do engenheiro Daniel Ribeiro Filho, da Tecnodan

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade