Publicidade

Estado de Minas

De olho nos arremates - Avaliação técnica

Confira os principais problemas e qualidades da perua compacta com motor 1.6 flex


postado em 31/08/2007 14:34

Visual interno agrada, mas o acabamento precisa evoluir(foto: Marlos Ney Vidal/EM)
Visual interno agrada, mas o acabamento precisa evoluir (foto: Marlos Ney Vidal/EM)
BOM

Climatização
O sistema é automático digital, com boa vazão pelos difusores de ar do painel e rumorosidade suportável na velocidade máxima. Está bem vedado.

Freios
Apresentaram bom comportamento dinâmico, com reações equilibradas nos dois eixos e pedal com boa sensibilidade. O ABS está bem calibrado e após uso constante em longa descida sinuosa não apresentou superaquecimento com perda de eficiência. Em frenagem de emergência, o espaço percorrido até a imobilização é coerente com a velocidade.

Câmbio
Tem gerenciamento eletrônico com sistema Porsche e está muito bem elaborado para este veículo. É automático de quatro marchas e tem opção de troca manual seqüencial na alavanca. Para condução mais esportiva e para piso de baixo atrito tem teclas específicas junto ao console central. No quadro de instrumentos, tem display de ótimo tamanho, informando a opção da marcha e modo selecionados.

Motor
O sistema flex funcionou bem com álcool e gasolina ou misturado. A partida a frio, com álcool, foi imediata pela manhã, com boa progressividade na aceleração, bem como marcha lenta uniforme. A performance, em geral, é boa para sua cilindrada e peso do veículo, mesmo acoplado a câmbio automático.

Vedação
Boa contra água e poeira.

Direção
Análise feita pela fisioterapeuta Danielle Pongellupe(foto: Arte de Henrique Lima/Uai sobre Arte/EM)
Análise feita pela fisioterapeuta Danielle Pongellupe (foto: Arte de Henrique Lima/Uai sobre Arte/EM)
O sistema é assistido hidraulicamente e está bem calibrado para o uso na cidade e na estrada. O volante tem boa pega e a coluna de direção tem regulagem em altura. A precisão na reta e em curvas é boa, assim como o diâmetro de giro em manobras de garagem. A velocidade do efeito retorno é boa. Apresentou baixa rumorosidade do conjunto em curvas sobre paralelepípedo e estrada de terra irregular.

Iluminação
Há luz de cortesia no porta-malas e no porta-luvas. O grupo óptico dianteiro com dupla parábola é eficiente no baixo e no alto e tem regulagem em altura em função da carga transportada. Os faróis auxiliares de neblina estão embutidos no pára-choque e a iluminação na zona do teto é satisfatória.

Limpador de pára-brisa
Ao esguichar água no pára-brisa pelos eficientes esguichos, assim como no vidro traseiro, palhetas de boa qualidade varrem área satisfatória. É fácil a reposição d’água no reservatório dentro do vão do motor.

REGULAR

Vão do motor
O motor preenche bem o vão, que é pequeno, limitando o acesso à manutenção de vários componentes. O resultado em insonorização em relação ao habitáculo é aceitável para o seu segmento de mercado.

Altura do solo
Tem chapa em aço protetora para cárter e caixa de marchas. Com carga útil simulada de cinco pessoas e bagagem, raspa a proteção inferior dianteira, além da aba inferior do pára-choque dianteiro quando sobre piso irregular de terra, ao transpor quebra-molas salientes e em saídas de garagem com desnível.

Suspensão
O conforto de marcha é bem limitado e merecia melhor calibragem dos componentes das suspensões, pois é grande a transferência para dentro. A estabilidade é boa em curvas de raios variados e com pouca inclinação da carroceria.

Alarme
Tem somente chave de ignição codificada com imobilizador do motor.

RUIM

Acabamento da carroceria
A qualidade final da pintura não é boa, pois contém vários pontos com impurezas. O capô está descentralizado e a porta traseira direita, desnivelada. A união da extremidade superior do pára-lama dianteiro esquerdo com a base da coluna “A” está malfeita, deixando grande vão em relação ao outro lado. A tampa traseira está descentralizada e desnivelada.

Nível interno de ruídos
O nível interno de ruídos no habitáculo é alto, incomoda e deixa a desejar. O efeito aerodinâmico é evidente já a 100km/h.

Estepe/macaco
O estepe, que tem a roda em aço e o pneu igual aos de uso, está acondicionado em suporte metálico basculável por baixo do vão de carga. A operação de troca é ruim e cansativa, além de não muito limpa.

Ferramentas
Não tem.

EXTRA

Volume do porta-malas
O volume declarado pela fábrica é de 313 litros, o mesmo encontrado na nossa medição com o banco traseiro na posição normal e a tampa do bagagito fechada.

Avaliações do engenheiro Daniel Ribeiro Filho, da Tecnodan

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade