Publicidade

Estado de Minas

Omega na sinuca - Avaliação técnica


postado em 17/10/2007 15:11

Análise feita pela fisioterapeuta Danielle Pongellupe(foto: Arte de Henrique Lima/Uai sobre Arte/EM)
Análise feita pela fisioterapeuta Danielle Pongellupe (foto: Arte de Henrique Lima/Uai sobre Arte/EM)
BOM

Vão do motor
O isolamento acústico em relação ao habitáculo é muito bom. O motor V6, montado longitudinalmente, preenche bem o vão, mas o acesso à manutenção é aceitável. A sistematização dos vários componentes é bem-feita.

Climatização
É automático digital, com opção de regulagem de temperatura diferenciada para condutor e passageiro. Apresentou bom funcionamento, e o ar climatizado tem boa distribuição no habitáculo. O nível de ruídos de funcionamento é satisfatório e a vedação, boa.

Freios
O sistema dianteiro e traseiro, com ABS, está muito bem dimensionado e calibrado, para o peso do veículo e rendimento do motor. O pedal de freio poderia ter mais sensibilidade, ao menor toque, mas é aceitável. O freio de estacionamento é manual e está no console central. A desaceleração é eficiente, sem alterar a trajetória, e o espaço percorrido até a imobilização foi muito bom. Não ocorreu superaquecimento, depois de uso severo em longa descida sinuosa.

Câmbio
É automático, com a opção de troca manual seqüencial, junto à alavanca. Não há troca automática no limite de rotação, o que proporciona mais prazer numa condução esportiva. Há modo esportivo, acionado por tecla, no console. O quadro de instrumento tem display digital, informando o tipo de condução e marcha selecionada.

Motor
A sua performance proporciona excepcional e prazerosa dirigibilidade, na cidade e estrada. As retomadas de velocidade e aceleração são notáveis. O seu funcionamento é muito silencioso e com ótima elasticidade. O torque é muito bom, com 35 kgfm atuando com força máxima já a 2.800 rpm e os 254 cv de potência máxima o torna um veículo rápido na estrada, com ótima velocidade e consumo coerente para um V6.

Vedação
Boa contra água e poeira.

Suspensão
O conforto de marcha fica sacrificado, pela calibragem das suspensões para o uso no Brasil. Há transferência significativa (para um automóvel desse segmento) das imperfeições do solo para dentro. A estabilidade é muito boa para um sedã com tração traseira e os sistemas eletrônicos de tração e estabilidade atuam com eficiência.
Banco traseiro tem itens de segurança para os três ocupantes. Porta-malas ficou maior e pode ser aberto por dentro
Banco traseiro tem itens de segurança para os três ocupantes. Porta-malas ficou maior e pode ser aberto por dentro

Direção
A coluna de direção tem ajuste manual, em altura e profundidade, com ótimo curso. O diâmetro de giro é longo e a velocidade do efeito retorno, razoável. As cargas do sistema assistido deveriam dar mais firmeza na estrada, com o veículo em velocidade elevada, e ser um pouco mais leve, no uso urbano e em manobras de garagem. A precisão em reta e curvas é satisfatória, e apresentou baixo nível de ruídos quando em curvas, sobre piso de terra e calçamento.

Iluminação
O sistema tem sensor crepuscular e luzes de cortesia no porta-malas, porta-luvas, base inferior dos retrovisores externos, pára-sóis e área dos pés do condutor e passageiro. No habitáculo, na zona do teto, tem uma lanterna com duplo spot fixo integrado na dianteira e outro conjunto igual no centro, com ótimo resultado em iluminação. O farol tem construção com dupla parábola e é eficiente no baixo e no alto, mas não tem regulagem elétrica de altura, em função da carga transportada. Os faróis auxiliares de neblina estão embutidos no pára-choque.

Estepe/macaco
O estepe, que tem roda e pneu iguais aos de uso, está instalado dentro do porta-malas. A operação de troca é normal e o motorista tem auxílio de cinco prisioneiros fixos, por cubo, para melhor apoio e centragem da roda.

REGULAR

Acabamento da carroceria
A qualidade final da pintura é boa. A tampa do porta-malas está descentralizada e desnivelada. A porta dianteira esquerda e o capô estão desnivelados.

Altura do solo
Com 400 kg de carga útil, raspa levemente a aba inferior do pára-choque dianteiro e a zona central do chassi, ao trafegar sobre piso irregular de calçamento, terra e ao transpor quebra-molas salientes. Tem importante chapa protetora em aço.

Alarme
Tem somente proteção perimétrica das partes móveis e chave de ignição codificada. Ao dar comando para travar as portas, os vidros não sobem automaticamente.

RUIM

Nível interno de ruídos
O efeito aerodinâmico do ar com a carroceria (vidros fechados) inicia-se a 100 km/h e é crescente com a velocidade. A qualidade da montagem dos vários componentes do habitáculo não é boa, pois surgem vários pequenos ruídos ao trafegar sobre paralelepípedo, asfalto ruim e terra com costelas.

Limpador de pára-brisa
Não tem sensor de chuva. Os esguichos do pára-brisa estão fixados abaixo do braço do limpador e não atingem a área acima das palhetas, o que, com o tempo, vai danificar o vidro, além de prejudicar o campo de visão em tempo chuvoso, com pista suja.

Ferramentas
Não tem.

EXTRA

Volume do porta-malas
O volume declarado pela fábrica é de 496 litros, o mesmo encontrado na nossa medição.

Avaliações do engenheiro Daniel Ribeiro Filho, da Tecnodan

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade