Publicidade

Estado de Minas

Audi Q7 4.2 - Lei do menor esforço

Para quem curte eletrônica, o Audi Q7 4.2 V8 é um verdadeiro show de tecnologia embarcada


postado em 20/10/2007 15:37

(foto: Fotos: Marlos Ney Vidal/EM - 27/9/07)
(foto: Fotos: Marlos Ney Vidal/EM - 27/9/07)
A Audi demorou um pouco para entrar no segmento dos utilitários-esportivos de luxo, no qual as rivais BMW e Mercedes-Benz ingressaram bem antes. Para recuperar o tempo perdido e encarar concorrentes de peso, como BMW X5 e Mercedes-Benz ML, a marca dos quatro anéis resolveu caprichar, criando um modelo com estilo imponente e toda a sofisticação mecânica e tecnológica disponível. A versão importada (da República Checa) é equipada com motor V8 4.2, que, agora, tem a opção do kit off-road.

Estilo
É praticamente impossível passar despercebido com o Q7. Suas linhas são imponentes, sob qualquer ângulo, e ousadas para um veículo dessa categoria. Destaque para a grade dianteira, característica dos modelos da marca; os faróis bixenon mais alongados; as rodas de 19 polegadas; a linha de cintura alta; e a curvatura do teto, que lembra a de um cupê. A Audi lançou recentemente um kit off-road para o modelo, que inclui desde um desajeitado bagageiro de teto (que impede a entrada em algumas garagens de teto mais baixo) até tapetes especiais de borracha.

Grandalhão
As dimensões externas generosas do Q7 não o tornam um veículo prático, ainda mais que o diâmetro de giro é longo, exigindo algumas manobras a mais em locais apertados. Por outro lado, o utilitário-esportivo tem sistema que projeta no painel imagens (captadas por uma câmera, instalada na tampa traseira) do que acontece atrás do carro, informando inclusive o ângulo de esterçamento da direção; e sensores de estacionamento na dianteira e traseira. São muito importantes para evitar, por exemplo, o atropelamento de uma criança, em manobras de marcha a ré, já que a traseira é alta.
Traseira mantém a mesma elegância da dianteira, mas a saída dupla de escape denuncia a esportividade. Kit off-road inclui um bagageiro de teto que, de tão desajeitado, parece até barco(foto: Audi/Divulgação - foto inferior)
Traseira mantém a mesma elegância da dianteira, mas a saída dupla de escape denuncia a esportividade. Kit off-road inclui um bagageiro de teto que, de tão desajeitado, parece até barco (foto: Audi/Divulgação - foto inferior)

Interior
A tecnologia do jipão da Audi aparece mesmo antes de ligar o carro. Basta que o motorista tenha a chave no bolso e se aproxime do veículo, para que as portas possam ser abertas e a partida no motor possa ser dada, apertando o botão start no console. O acabamento também é sofisticado, misturando couro, detalhes em madeira e alumínio escovado. Para distrair as crianças, o modelo tem mesas para lanche e dois aparelhos de DVD no costado dos bancos dianteiros. Mas, o grande 'barato tecnológico' do Q7 é o sistema MMI (Multi Media Interface), por meio do qual (existe um botão no console e uma tela com menu) se pode regular qualquer função do veículo, desde o sistema de direção até a altura da suspensão a ar, que permite cinco ajustes e é auto-adaptativa.

Espaço
Como o próprio nome diz, o Q7 pode levar até sete pessoas, pois tem uma terceira fileira de bancos, que ficam embutidos no chão do porta-malas. Mas, verdade seja dita, os dois últimos bancos só transportam com conforto crianças, que também têm mais facilidade para acessá-los, com os bancos da segunda fila rebatidos. Vantagem: os bancos da segunda fila têm regulagem longitudinal e encosto reclinável. O porta-malas tem excelente capacidade, mesmo com sete pessoas (330 litros); é todo forrado; e tem compartimento sob o piso, ganchos para fixação de carga, rede para pequenos objetos e fechamento elétrico da tampa.

Segurança
O pacote tecnológico voltado para a segurança é completo. Além de airbags (frontais, laterais e de cortina) e freios ABS de última geração, com EBD (distribuição eletrônica da força de frenagem) e BAS (que aumenta a força de frenagem em situações de emergência), inclui sistema Audi Braking Guard, que evita batidas em veículos que trafegam à frente (primeiro, o sistema alerta o motorista, e, se não resolver, entra em ação e até pára o carro, se necessário); side assist, que alerta o motorista para uma mudança arriscada de faixa; controles de tração e estabilidade; sistema de controle da pressão dos pneus; e ajuste automático dos fachos dos faróis (em função da carga transportada).

Andando
O motor V8 4.2 FSI (injeção direta de combustível), de 355 cv, aliado ao câmbio automático do tipo tiptronic (trocas também no volante), seqüencial, de seis marchas, e sistema permanente de tração nas quatro rodas, proporciona uma dirigibilidade incrível, mesmo para um veículo que pesa mais de duas toneladas (2.315 quilos). A versão avaliada não é indicada para o uso off-road, pois o kit reduz a altura do solo e ângulos de ataque e saída, e os pneus de perfil baixo não suportam buracos e pedras. O nível de ruídos internos e externos é bem elevado, principalmente para um veículo dessa categoria.

Leia mais e assista ao teste do Audi Q7 no Veja Também, no canto superior direito desta página.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade