Publicidade

Estado de Minas

Q7 posto à prova - Avaliação técnica

Saiba como o utilitário se saiu no teste


postado em 20/10/2007 15:43

Análise feita pela fisioterapeuta Danielle Pongellupe(foto: Arte de Henrique Lima/Uai sobre Arte/EM)
Análise feita pela fisioterapeuta Danielle Pongellupe (foto: Arte de Henrique Lima/Uai sobre Arte/EM)
BOM

Freios
Estão muito bem dimensionados e calibrados, para o peso do veículo e a performance do motor. O ABS atuou com eficiência sobre piso de asfalto seco e de baixo atrito, com terra cascalhada. O pedal de freio tem boa sensibilidade e o sistema apresentou reações bem equilibradas nos dois eixos. Não ocorreu perda de eficiência após uso contínuo em longa descida sinuosa.

Câmbio
A tração é permanente nas quatro rodas e o câmbio automático (de seis marchas) tem a opção de trocas manuais, na própria alavanca ou por meio de aletas, atrás do volante. O quadro de instrumentos tem display, de ótimo tamanho, informando a marcha e o modo selecionado. As relações de marchas estão muito bem elaboradas para o uso misto e a resposta em kick-down é eficiente.

Motor
O funcionamento é extremamente silencioso e elástico, com excelente potência e torque. A sua dirigibilidade é muito prazerosa, tanto na cidade como na estrada. As retomadas de velocidade e aceleração são notáveis. Mesmo com o veículo carregado e ar-condicionado ligado, a perda é desprezível.

Vedação
Boa contra água e poeira.

Suspensão
A suspensão é a ar e os amortecedores são reguláveis, de acordo com o modo de dirigir do condutor, e se adaptam automaticamente com cinco opções de altura. Para um utilitário-esportivo, com motor potente, o conforto de marcha é bom, principalmente no modo confort. Tem boa estabilidade em curvas de raios variados, com pouca inclinação da carroceria. Contribuem para isso os pneus de alta performance (275/40 R20).

Iluminação
O sistema tem sensor crepuscular. Há luzes de cortesia nos pára-sóis, base inferior das quatro portas, porta-luvas, porta-malas e zona dos pés dos bancos dianteiros e central. Os faróis são muito eficientes, com facho auto-direcional e regulagem automática de altura. O quadro de instrumentos, console central e comandos elétricos das portas têm fácil identificação noturna. Tem lavador de faróis. A iluminação na zona do teto é ótima e dividida em três seções.
Acesso à terceira fila de bancos é complicado. Porta-malas tem boa capacidade, com a terceira fila escamoteada(foto: Marlos Ney Vidal/EM - 29/9/07)
Acesso à terceira fila de bancos é complicado. Porta-malas tem boa capacidade, com a terceira fila escamoteada (foto: Marlos Ney Vidal/EM - 29/9/07)

Limpador de pára-brisa
Ao esguichar seis jatos no pára-brisa, com boa vazão, palhetas de boa qualidade varrem uma área satisfatória. No vidro traseiro, a área limpa é boa e o esguicho é acoplado ao braço da palheta, com vazão eficiente. É fácil o acesso ao reservatório de água no vão do motor.

Ferramentas
Tem uma chave de fenda, combinada com Philips; uma chave de boca 10x13 mm; e uma chave com catraca, para extensão de 17 mm.

Alarme
O sistema é completo, com proteção volumétrica no habitáculo, perimétrica das partes móveis, chave de ignição codificada, proteção contra inclinação involuntária do veículo e desligamento de um dos pólos da bateria.

REGULAR

Acabamento da carroceria
A porta dianteira direita está desnivelada e a tampa traseira descentralizada e desnivelada. A extremidade inferior da moldura plástica, que envolve o pára-lama dianteiro direito, está deformada, na junção com a soleira. O capô está desnivelado em relação ao painel frontal, e o restante das partes móveis tem montagem aceitável. A qualidade final da pintura é boa.

Vão do motor
O motor V8 preenche todo o vão, limitando bastante o acesso à manutenção de alguns componentes. Os itens de verificação permanente têm fácil identificação e manuseio, exceto o reservatório do fluido de freio. O isolamento acústico do vão, em relação ao habitáculo, é ótimo, mesmo com o motor em alta rotação. O capô é sustentado, quando aberto, por amortecedores.

Altura do solo
Não tem chapa em aço para proteger a parte de baixo do conjunto motopropulsor e sim uma placa plástica, de resistência limitada. A altura do solo é variável de acordo com o modo de condução e se ajusta automaticamente. O kit esportivo off-road, com estribos laterais e recobrimento inferior dos pára-choques dianteiro e traseiro, diminui os ângulos de ataque, saída e inclinação, que já são um pouco limitados. Ocorreram leves raspadas na parte da frente, na base do pára-choque dianteiro.

Climatização
O sistema é automático, com regulagem diferenciada de temperatura para condutor e passageiro. Os difusores de ar do painel, console central (com acionamento e regulagem independentes) e das colunas B e C proporcionam ótima distribuição de ar climatizado, em tempo reduzido. Apresentou excelente funcionamento e está bem vedado à admissão de gases/fumaça, quando se usa a opção com somente recírculo interno de ar. Com o sol alto, as cortinas do teto não vedam bem a incidência solar, o que causa desconforto ao condutor e passageiros, além do excesso de claridade.

Nível de ruídos internos
Surgem vários pequenos ruídos no habitáculo, quando o carro trafega sobre piso de paralelepípedo, asfalto ruim e terra com imperfeições, principalmente na parte traseira. O efeito aerodinâmico é muito baixo, mesmo em alta velocidade.

Direção
Os eficientes controles eletrônicos de tração e estabilidade atuaram com precisão, no limite da aderência lateral e direcional. Sistema tem assistência hidráulica, com cargas bem definidas para o uso em baixa e alta velocidade. A precisão na reta e em curvas é boa e o sistema tem reações homogêneas. O efeito retorno é um pouco lento e o diâmetro de giro, limitado.

RUIM

Estepe/macaco
A operação de troca não é simples, nem fácil e nem rápida. O estepe está instalado dentro do porta-malas, no assoalho, e é especial (para rodar em pequenas distâncias), inflável por um compressor elétrico. É necessário retirar as coberturas plásticas dos parafusos de roda. O conjunto roda/pneu de uso normal não cabe no local do estepe, sendo necessário colocá-lo no porta-malas. Sistema tem parafuso auto-adaptador antifurto.

EXTRA

Volume do porta-malas
O volume declarado pela fábrica é de 775 litros, mas o encontrado, com o banco traseiro na posição normal e a cortina superior do porta-malas fechada, foi de 475 litros.

(*) Avaliações do engenheiro Daniel Ribeiro Filho, da Tecnodan.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade