Publicidade

Estado de Minas

Olhos atentos sobre a perua

Peugeot 307 SW Allure passa por diferentes testes e mostra seus pontos fortes e fracos


postado em 10/11/2007 16:00

Análise feita pela fisioterapeuta Danielle Pongellupe(foto: Arte de Henrique Lima/Uai sobre Arte/EM)
Análise feita pela fisioterapeuta Danielle Pongellupe (foto: Arte de Henrique Lima/Uai sobre Arte/EM)
BOM

Climatização
A vazão de ar pelos difusores do painel é boa, com nível de ruídos de funcionamento razoável na velocidade máxima. Não tem saídas específicas para os passageiros de trás. Não ocorreu admissão de gases/fumaça no habitáculo. O tempo gasto para climatizar todo o habitáculo, após meia hora trancado sob o sol, foi satisfatório.

Freios
Estão muito bem dimensionados e calibrados, com ABS eficiente e de boa sensibilidade. Apresentaram excelente comportamento dinâmico no uso misto, além de boa resistência térmica, depois de uso constante, em longa descida sinuosa. O freio de estacionamento atuou de forma correta.

Câmbio
Merecem destaque as relações de marchas e diferencial, que estão muito bem elaboradas, em função do peso do veículo e do rendimento do motor, proporcionando uma ótima dinâmica, no uso urbano e em rodovias. A qualidade de engate é boa, tanto em precisão como em maciez.

Motor
Proporciona boa dirigibilidade no uso urbano, principalmente para um propulsor multiválvulas, mesmo em baixas rotações, com eficientes retomadas de velocidade e aceleração. Em rodovias, mantém uma boa velocidade de cruzeiro e, no uso mais esportivo, é um automóvel rápido para o seu segmento de mercado. A perda de rendimento, quando o veículo está carregado e com ar-condicionado ligado, é pequena. As boas relações de câmbio também ajudam.

Vedação
Boa contra poeira e água.

Suspensão
É um automóvel bem estável, com boa precisão em curvas de raios variados e pouca inclinação da carroceria. O conforto de marcha é razoável.
Colunas laterais pintadas em preto e barras longitudinais no teto dão toque final. Bancos individuais e com todos os equipamentos de segurança(foto: Marlos Ney Vidal/EM - 05/11/07)
Colunas laterais pintadas em preto e barras longitudinais no teto dão toque final. Bancos individuais e com todos os equipamentos de segurança (foto: Marlos Ney Vidal/EM - 05/11/07)

Direção
O diâmetro de giro, em manobras de estacionamento, é bom, assim como a velocidade do efeito retorno. Apresentou boa precisão em retas e curvas, com boa sensibilidade e reações uniformes. A coluna de direção tem ajuste em altura e distância, com bom curso.

Iluminação
Há luz de cortesia no porta-luvas, pára-sóis e porta-malas. Na zona do teto, há uma lanterna acima do vão de carga, duas lanternas nas laterais (para os passageiros de trás) e um plafoniê na dianteira, com dois spots fixos integrados. O quadro de instrumentos, console central e comandos elétricos das portas têm fácil identificação noturna. Os faróis têm dupla parábola, sensor crepuscular e regulagem elétrica de altura, e são eficientes no baixo e no alto.

Limpador de pára-brisa
Ao esguichar água no pára-brisa, através de esguichos do tipo spray em V, que têm boa vazão e atingem toda a área, palhetas de boa qualidade entram em funcionamento automaticamente. No vidro traseiro, o sistema de limpeza também é eficiente. O reservatório de água, instalado dentro do vão do motor, tem fácil acesso e identificação.

Alarme
O sistema é completo, com proteção volumétrica no habitáculo, e perimétrica das partes móveis, além de chave de ignição codificada.

REGULAR

Acabamento dacarroceria
A qualidade final da pintura é boa. As portas dianteiras estão desniveladas. A folga fixa, entre as portas do lado esquerdo, acima da coluna B, é bem maior do que a do lado direito. O capô e a tampa traseira têm montagem razoável.

Vão do motor
O motor preenche bem o vão, e boa parte invade a zona abaixo do painel de fogo, o que limita o acesso à manutenção de vários componentes. Os isolantes acústicos, aplicados sobre a parede do painel de fogo, estão muito malfixados.

Altura do solo
Com carga útil de 400 quilos, raspa a parte central do chassi e a chapa protetora inferior do motopropulsor, quando se trafega sobre estrada de terra com algumas imperfeições e ao transpor quebra-molas de perfil alto. Quando roda com apenas o motorista, raspa a aba inferior do pára-choque dianteiro, em saídas de garagem com desnível.

RUIM

Nível interno de ruídos
Ao trafegar sobre piso irregular de terra, paralelepípedo e asfalto malconservado, surgem vários ruídos no habitáculo, que incomodam. O efeito aerodinâmico é notório a partir de 110 km/h.

Estepe/macaco
O estepe tem roda em aço, mas o pneu é igual aos de uso. O kit de troca, que está fixado junto ao estepe (do lado de fora, e abaixo do vão de carga), além do macaco, tem uma porca auto-adaptadora antifurto. A chave de rodas está acondicionada na lateral, dentro do porta-malas. A operação de troca não é simples nem limpa.

Ferramentas
Não tem.

EXTRA

Volume do porta-malas
O valor declarado pela fábrica é de 562 litros, o mesmo encontrado, com o banco traseiro na posição normal e a cortina superior fechada.

(*) Avaliações do engenheiro Daniel Ribeiro Filho, da Tecnodan

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade