Publicidade

Estado de Minas

Honda CR-V 2.0 16V - Por todos os caminhos

Utilitário não tem reduzida para encarar trilhas radicais, mas passa sem cerimônia por pisos ruins. Suspensão proporciona conforto de automóvel, e sobram porta-objetos


postado em 12/12/2007 12:35

(foto: Fotos: Marlos Ney Vidal/EM - 22/11/07)
(foto: Fotos: Marlos Ney Vidal/EM - 22/11/07)
O que mais chama a atenção na terceira geração do CR-V - o significado do nome é veículo confortável paratodas as situações - é a harmonia das linhas da carroceria. Se o carro perdeu alguns centímetros em comprimento e altura, ganhou quatro em largura, o que significa acomodação melhor para os ocupantes. O CR-V tem muito espaço tanto para passageiros dos bancos dianteiro e traseiro quanto no porta-malas,que tem divisória para separar carga leve e pesada. O pneu sobressalente foi (felizmente) deslocado da tampa para dentro do porta-malas. Assim, aporta traseira ficamais leve e o pneumenos sujeito a danos e furto.

Veja mais fotos do CR-V!

Dentro
O interior é confortável, com inúmeros porta-objetos, incluindo um porta-óculos embutido no teto que tem espelho panorâmico para visualizar a turma de trás. O tecido dos bancos é agradável ao toque. O banco traseiro é bipartido e tem regulagem longitudinal, aumentando ou diminuindo espaço para bagagem e passageiros. Há apoios de cabeça e cintos de três pontos para todos. Freios a disco com sistema ABS proporcionam segurança conjugados com airbags frontais.

Visibilidade
Se o visual agrada,o motorista sente-se melhor ainda, com boa visibilidade para todos os lados. Os retrovisores externos são enormes. A boa altura em relação ao solo permite trafegar por caminhos ruins sem problemas e o sistema de suspensão tem bom acerto entre conforto e estabilidade, proporcionando bem-estar a bordo em piso irregular. Os faróis têm bom alcance, mas fica faltando a regulagem elétricade facho, primordial em um veículo dessa categoria.
Linhas da carroceria são harmônicas e as lanternas traseiras, verticalizadas
Linhas da carroceria são harmônicas e as lanternas traseiras, verticalizadas

Volante agrupa comandos de rádio e controle de velocidade e é o mesmo de Civic e Fit. Há regulagens de altura e distância e a alavanca de câmbio fica no painel central, aumentando a sensação de espaço. O sistema de som, com CD para seis discos, tem entrada para iPod e é compatível com MP3. O painel de bordo tem computador que informa consumo, autonomia, temperatura, entre outras funções.

Dirigindo
O CR-V é agradável.O motor responde rápido aos comandos do acelerador, e potência e torque proporcionam bom desempenho e o ruído de funcionamento não incomoda.O senão são as retomadas de velocidades. Quando se pisa fundo no acelerador, há ligeiro retardo na resposta. Mas o comando de overdrive na alavanca de marchas não permite ir além da terceira marcha. Com isso, a rotação do motor fica mais elevada e as retomadas são feitas mais rapidamente.O câmbio é de cinco velocidades e a troca, suave. Não há trancos. A direção elétrica é leve em manobras e firme em velocidades mais elevadas.

Aderência
O sistema de tração funciona no eixo dianteiro e, em pisos escorregadios, quando se precisa de mais aderência, a força é transferida para o traseiro. A vantagem do sistema é sua desativação em frenagens, o que permite a atuação total do ABS. O CR-V é equipado com controle eletrônico de estabilidade. Quando as rodas patinam ou há desvio de trajetória, o sistema entra em ação.

O CR-V faz muito bem aquilo a que se propõe e tem na qualidade de construção e acabamento as melhores qualidades. A garantia é de três anos sem limite de quilometragem.

Leia mais e assista ao teste do Honda CR-V no Veja Também, no canto superior direito desta página.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade