Publicidade

Estado de Minas

EcoSport XLT Freestyle 1.6 Flex - De cara nova

Ford altera diversos elementos de estilo e aperfeiçoa acabamento do utilitário compacto, que é um dos grandes sucessos de mercado no Brasil. Leia o teste


postado em 05/01/2008 14:27

Apesar da vocação para pequenas aventuras na terra, grade frontal permanece sem tela protetora e pode provocar danos no radiador, porque a abertura é grande(foto: Fotos: Marlos Ney Vidal/EM - 3/1/08)
Apesar da vocação para pequenas aventuras na terra, grade frontal permanece sem tela protetora e pode provocar danos no radiador, porque a abertura é grande (foto: Fotos: Marlos Ney Vidal/EM - 3/1/08)
O carro ganhou ajustes para melhorar a vida a bordo: aperfeiçoamento do isolamento acústico, incluindo mantas nas caixas de rodas, novos elementos de fixação de painéis de portas e bancos, entre outros.

Segurança
O EcoSport é um dos maiores sucessos de vendas no Brasil e agrada pelas linhas da carroceria, com aspecto parrudo e estepe pendurado na tampa traseira. O pequeno utilitário na versão 4x2 tem vocação para aventuras limitadas. A versão testada é FreeStyle, catálogo de entrada da XLT. Decepciona não incluir ABS e airbags nem na lista de itens opcionais. No banco traseiro, não há apoio de cabeça e cinto de três pontos para o passageiro do meio. O tradicional descaso da legislação brasileira, que não exige e, descompromisso da maioria dos fabricantes em se contentar com a justificativa amarela: "cumprimos a lei". Lamentável.

Veja mais fotos do EcoSport 2008!

Interior
A posição de dirigir elevada é um dos pontos mais elogiados, pois dá a sensação de estar menos vulnerável. O plástico duro e seco predomina no interior dando aspecto rústico. A alavanca de marchas está bem posicionada e os engates são precisos e secos. As relações de transmissão das primeira e segunda marchas foram encurtadas para melhorar arrancada e retomadas. As restantes ficaram mais longas, privilegiando o consumo.

Visibilidade é muito boa e os retrovisores externos, bem dimensionados. Os bancos são duros e pouco anatômicos. A Ford afirma serem novos, mas ainda deixam a desejar. A suspensão é dura e transfere para dentro as imperfeições do piso. Nada exagerado, mas poderia ter calibragem melhor. Por outro lado, a estabilidade é razoável para o tipo de veículo, apesar da inclinação da carroceria. A boa altura do solo permite trafegar em piso ruim, mas há restrição. Mas a ausência de tração 4x4 torna inviável caminhos difíceis. O EcoSport tem versão 4x4.
Estepe pendurado na tampa traseira está suscetível a furto, mas agrada
Estepe pendurado na tampa traseira está suscetível a furto, mas agrada

Desempenho
O motor 1.6 flex tem melhor desempenho com álcool, embora o consumo seja elevado. A diferença de torque e potência quando abastecido com álcool é bem superior. Mas a alteração nas relações de transmissão é para melhorar a performance com gasolina, que não decepciona. Não há falhas de funcionamento no sistema flex.

O que incomoda no EcoSport são detalhes de acabamento, como o laminado colocado na manta de lá sob assoalho do porta-malas. É tão ruim e medíocre que não dá para acreditar que um fabricante que faz acabamento caprichado no Focus seja capaz de relaxar tanto no EcoSport. O carro melhorou muito, os ruídos internos diminuíram, mas continua distante do ideal. Os retoques no visual deixaram o EcoSport mais atual e agradável.

Leia mais sobre o novo EcoSport Freestyle no Veja Também, no canto superior direito desta página.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade