Apertando o Bora - Avaliação técnica

Saiba como o sedã importado do México se saiu em nossos testes

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 05/03/2008 15:43 Caderno de Veículos /Estado de Minas
Análise feita pela fisioterapeuta Danielle Pongellupe - Arte de Henrique Lima/Uai sobre Arte/EM Análise feita pela fisioterapeuta Danielle Pongellupe
BOM

Altura do solo
Não tem (de série) proteção em chapa em aço para toda a parte inferior do motopropulssor (motor e caixa automática). Não ocorreu interferência com o solo, em percurso misto (cidade/estrada), numa condução normal do veículo.

Climatização
Os quatros difusores de ar frontais do painel têm vazão eficiente e boa angulação. O nível de ruídos de funcionamento é baixo. Mas falta saída especifica para os passageiros de trás, no fim do console central. O tempo gasto para climatizar o habitáculo foi curto. Está bem vedado.

Freios
Apresentaram bom comportamento dinâmico, no uso em geral, sendo que o pedal tem boa sensibilidade. O sistema (eixo dianteiro e traseiro) tem reações bem balanceadas, boa resistência térmica depois de uso mais severo e ABS bem calibrado. O freio de estacionamento atuou de forma normal.

Câmbio
Painel tem indicador de marcha engatada. As trocas são suaves, sem trancos e as relações de marchas atendem bem o peso do automóvel e rendimento do motor. O sistema tem opção do uso manual seqüencial, que apresentou bom funcionamento, mas, ao chegar à rotação máxima (pré-estabelecida pelo gerenciamento eletrônico do câmbio), a troca ocorre automaticamente.

Motor
Não tem sistema flex. Acoplado ao câmbio automático, proporciona dirigibilidade prazerosa, no uso urbano, e satisfaz na estrada, numa condução normal. As retomadas de velocidade e aceleração são razoáveis para o peso do veículo (de 1.267 kg). O nível de ruídos de funcionamento é aceitável.

Vedação
Boa contra água.
Faltam apoio de cabeça e cinto de três pontos para o passageiro do meio do banco traseiro. Porta-malas tem capacidade para 455 litros e é todo forrado - Marlos Ney Vidal/EM - 21/2/08 Faltam apoio de cabeça e cinto de três pontos para o passageiro do meio do banco traseiro. Porta-malas tem capacidade para 455 litros e é todo forrado

Suspensão
O conforto de marcha é razoável, com nível aceitável de transferência das imperfeições do solo para o habitáculo, com pequena perda, quando o veículo está carregado e com pneus calibrados para essa condição. A estabilidade para um sedã é boa, pela precisão nas curvas de raios variados e inclinação contida da carroceria.

Direção
A coluna de direção tem ajuste manual, em altura e profundidade, ambas com ótimo curso. O sistema assistido tem cargas bem definidas, para o uso misto, além de bom diâmetro de giro, em manobras. A velocidade do efeito retorno é satisfatória. Apresentou boa precisão em retas e curvas, estando o veículo em velocidade elevada, carregado ou não. Em curvas sobre piso de paralelepípedo e terra, com costelas, é baixo o nível de ruídos do conjunto.

Limpador de pára-brisa

São excelentes a área de varredura das palhetas e a vazão dos esguichos (do tipo spray) que, quando ligados, acionam o sistema de limpeza. O reservatório dágua, instalado dentro do vão do motor, tem fácil acesso e identificação.

Ferramentas
Tem uma chave de fenda combinada e foi suprimida a chave de boca (10x13 mm).

REGULAR

Acabamento da carroceria
A pintura tem bom acabamento final. A porta dianteira direita está desnivelada, assim como as duas traseiras. A tampa do porta-malas tempequena descentralização, mas o capô apresenta boa montagem.

Vão do motor
O resultado do isolamento acústico do vão, em relação ao habitáculo, é limitado com o motor em média e alta rotação, gerando desconforto auditivo. A sistematização dos vários componentes é racional e bem-feita. O acesso à manutenção em geral é muito bom, mesmo com a montagem transversal do motor. O capô é sustentado. quando aberto, por mola a gás.

Iluminação
Os novos faróis são eficientes, no baixo e no alto, mas não têm regulagem elétrica de altura, em relação à carga transportada. O farol de neblina do lado direito está com forte infiltração de água. Há luz de cortesia somente no porta-malas e pára-sóis. No teto, tem plafoniê com duplo spot fixo, integrado na parte da frente, e duas lanternas nas laterais traseiras, com resultado final satisfatório. O quadro de instrumentos, os interruptores instalados nos painéis de porta e o console central têm boa identificação noturna.

Estepe/macaco
O estepe tem a roda em aço e o pneu diferente dos de uso, sendo da marca Firestone, modelo F580, na medida 195/65 15R, com índice de velocidade H. Os de uso são Bridgestone, modelo Turanza, na medida 205/55 16R, com índice de velocidade W, o que implica completa alteração do comportamento dinâmico do veículo. Está instalado dentro do porta-malas, no assoalho, com kit de troca encaixado no meio. A operação de troca é normal, sendo necessária uma ferramenta específica para retirar as tampas plásticas que encobrem a cabeça dos parafusos.

Alarme
A chave de ignição é codificada. O sistema antifurto tem proteção perimétrica das partes móveis, mas não tem a volumétrica, contra invasão do habitáculo, pela quebra dos vidros.

RUIM

Nível interno de ruídos
O efeito aerodinâmico se inicia a 100 km/h e é crescente com velocidade, chegando a incomodar. Os ruídos no habitáculo são vários e deixam a desejar, quando se trafega em asfalto ruim, terra e calçamento, apesar da boa qualidade dos materiais empregados.

EXTRA

Volume do porta-malas
O declarado pela fábrica é de 455 litros, o mesmo encontrado na medição.

Avaliações do engenheiro Daniel Ribeiro Filho, da Tecnodan

Veículos

Encontre seu veículo

Últimas notícias

ver todas
04 de agosto de 2018
30 de julho de 2018

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação