Stilo no paredão - Avaliação técnica

Boa ergonomia e dilema na arrancada

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 12/03/2008 12:45 Caderno de Veículos /Estado de Minas
Análise feita pela fisioterapeuta Danielle Pongellupe - Arte de Henrique Lima/Uai sobre Arte/EM Análise feita pela fisioterapeuta Danielle Pongellupe
BOM

Vão do motor
Toda a zona superior do motor e os componentes laterais são encobertos por acabamento plástico, tornando seu aspecto limpo. O isolamento acústico tem bom resultado final. O acesso à manutenção em geral é satisfatório, apesar de o motor preencher bem o vão.

Climatização
O sistema é o automático e tem regulagem de temperatura diferenciada para condutor e passageiro. Apresentou bom funcionamento tanto pelo tempo gasto para climatizar o habitáculo, após deixar o veículo ao sol por meia hora, com vidros fechados, quanto pela baixa rumorosidade de funcionamento, mesmo na velocidade máxima. Além dos difusores de ar do painel, há um específico regulável no fim do console central para os passageiros de trás.

Freios
Apresentaram bom comportamento dinâmico no uso misto (cidade/estrada). Estão muito bem dimensionados e calibrados com ABS/EBD eficiente. O freio de estacionamento atuou normalmente e não ocorreu superaquecimento dos freios após uso severo, em longa descida sinuosa. Numa condução mais esportiva, a desaceleração na entrada de curvas foi uniforme nos dois eixos, e o pedal de freio tem boa sensibilidade.

Motor
Apresentou bom funcionamento e é áspero com álcool. As retomadas de velocidade e aceleração são boas, mas sem brilho esportivo. A dirigibilidade acoplada a esse novo câmbio é prazerosa, na estrada e na cidade.

Vedação
Boa contra água.

Suspensão
O conforto é razoável, com nível aceitável das transferências das imperfeições do solo, sendo prejudicado pelos pneus de perfil baixo. O comportamento dinâmico do veículo é muito bom, com ótima estabilidade em curvas de raios variados e inclinação moderada da carroceria no contorno de curvas de baixa/média velocidade feitas no limite da aderência lateral.
Falta cinto de três pontos para o passageiro central traseiro. Subwoofer roubou espaço da bagagem no porta-malas - Marlos Ney Vidal/EM - 6/3/08 Falta cinto de três pontos para o passageiro central traseiro. Subwoofer roubou espaço da bagagem no porta-malas

Direção
Os pneus com índice de velocidade V (acima de 210 km/h) estão super dimensionados para esta motorização e velocidade máxima declarada pela fábrica é de 190 km/h. São mais vulneráveis a buracos, tendo somente o benefício estético da versão Sporting. O diâmetro de giro é bom e a velocidade do efeito retorno agrada. As cargas do sistema servo assistido com comando elétrico estão bem definidas com destaque para o conforto no modo city. A coluna de direção tem ajuste em altura e profundidade com bom curso.

Iluminação
Há luzes de cortesia no porta-malas, porta-luvas e pára-sol do lado direito. No habitáculo, tem plafoniê com duplo spot fixo integrado e duas lanternas nas laterais do teto para os passageiros de trás. O farol é eficiente no alto e no baixo, e conta com auxiliares de neblina embutidos no pára-choque. O sistema tem regulagem elétrica em altura e sensor crepuscular.

Estepe/macaco
O estepe tem a roda e o pneu iguais aos de uso. Está instalado no porta-malas, no assoalho, tendo abaixo dele, encaixado em base de isopor, o kit de troca. A operação de troca é normal, sendo de fácil identificação os pontos de apoio do macaco nas soleiras.

Limpador de pára-brisa
As áreas de varredura no pára-brisa e vidro traseiro são boas, com palhetas de boa qualidade e esguichos eficientes. Tem sensor de chuva (opcional), muito prático. O reservatório d'água no vão do motor é de fácil acesso.

Ferramentas
Tem uma chave de fenda combinada.

Alarme
O sistema é completo com proteção perimétrica das partes móveis e proteção volumétrica (corpos em movimento no habitáculo). A chave de ignição tem código criptográfico e variável. O sistema antiesmagamento dos vidros funcionou bem e para fechá-los ao dar comando para travar as portas pelo controle remoto inserido na chave de ignição é necessário continuar pressionando a tecla.

REGULAR

Acabamento da carroceria
A pintura em geral apresentou boa qualidade com tonalidade homogênea, sem escorrimentos e impurezas. A porta dianteira do lado direito está desnivelada, e a tampa traseira, descentralizada. O capô está desalinhado em relação ao pára-choque e desnivelado do pára-lama esquerdo.

Altura do solo
O cárter e a caixa de marcha são em alumínio e não há proteção inferior de chapa em aço, mas estão numa zona mais alta que o normal em relação ao solo. Raspa com freqüência a aba inferior do pára-choque dianteiro em saídas e entradas de garagem com desnível, tendo apenas o motorista. Fica um pouco limitado, com cinco adultos e bagagem em estrada de terra/calçamento irregular e ao transpor quebra-molas de perfil alto e curto, porque a zona central do chassi interfere com o solo.

Câmbio
São pequenos os algarismos indicando as funções do computador de bordo e do câmbio Dualogic. Deveria ter o do câmbio com o dobro da escala em relação às outras funções. Esse câmbio tem dispositivo eletroidráulico com controle eletrônico que aciona a embreagem automaticamente e efetua as trocas de marchas. As relações de marchas e diferencial estão bem escalonadas e nas trocas ocorre pequeno tranco. Na arrancada em subida acentuada (primeira marcha e ré), com somente condutor e ar-condicionado ligado, o veículo sai lentamente, sendo menos eficiente ainda em ré. Na terceira operação seqüencial apresentou início de superaquecimento da embreagem, não se conseguindo movimentar o veículo, com mensagem sonora e legendada no display. O mesmo ocorre com carga máxima e ar ligado. Carregado em ré também se apresentou deficiente, deixando a desejar somente nessa condição de uso.

RUIM

Nível interno de ruídos
A quantidade de ruídos no habitáculo deixa a desejar, quando sobre piso de asfalto ruim, calçamento e estrada de terra com costelas. O efeito aerodinâmico é contido somente até 100 km/h.

EXTRA

Volume do porta-malas
O declarado pela fábrica é de 350 litros para a versão com banco traseiro deslizante. O encontrado com o banco (assento e encosto) posicionado na posição normal (todo atrás) e a tampa do bagagito fechada foi de 295 litros. O veículo estava equipado com caixa subwoofer de som, o que diminui o espaço da bagagem.

Avaliações do engenheiro Daniel Ribeiro Filho, da Tecnodan

Veículos

Encontre seu veículo

Últimas notícias

ver todas
04 de agosto de 2018
30 de julho de 2018

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação