Publicidade

Estado de Minas

Chevrolet Vectra Elite 2.0 - Recheio que agrada

Versão equipada com câmbio automático ganha ampla lista de equipamentos de série, como aribags e GPS. Desempenho é satisfatório e o consumo de combustível, elevado


postado em 21/05/2008 16:00

Linhas da carroceria agradam pela modernidade, com faróis grandes invadindo pára-lamas, mas suspensão é desconfortável(foto: Fotos: Marlos Ney Vidal/EM/D.A. Press - 30/4/08)
Linhas da carroceria agradam pela modernidade, com faróis grandes invadindo pára-lamas, mas suspensão é desconfortável (foto: Fotos: Marlos Ney Vidal/EM/D.A. Press - 30/4/08)
De olho na concorrência renovada, a General Motors resolveu colocar no mercado uma versão intermediária do seu sedã médio Vectra. Trata-se da Elite 2.0 flex, com câmbio automático, que tem preço mais convidativo do que o da versão 2.4 Elite, que é bem mais barato que seus principais concorrentes: Honda Civic e Toyota Corolla. Para atrair o consumidor, a GM optou por equipar o carro com vários itens de conforto e segurança, além do GPS, que é fixado com ventosa no pára-brisa.



Pacotão
Além do câmbio automático de quatro marchas, o Vectra Elite 2.0 flex tem entre os principais itens de série espelhos retrovisores externos eletricamente escamoteáveis, airbags frontais e laterais, computador de bordo, freios com sistema ABS e EBD, sensor de chuva, rodas de alumínio aro 17 polegadas, CD Player com MP3 com comandos no volante. Os opcionais são ajustes elétricos do banco do motorista, teto solar e pintura metálica ou perolizada.

Consumo
A GM só não conseguiu resolver o problema do consumo elevado por causa do conjunto motor 2.0 flex com o câmbio automático de quatro marchas. Em condições normais no trânsito urbano e o carro vazio, o computador de bordo chega a acusar consumo de 4,5 km/l com álcool. E com gasolina fica próximo de 6 km/l. Na estrada, com álcool e respeitando o limite de 110 km/h, o computador registra 8,5 km/l. Quando se exige mais do motor e com o ar-condicionado ligado, os números são ainda piores.

Desempenho
O motor 2.0 Flexpower proporciona desempenho apenas satisfatório ao Vectra, mas as arrancadas e retomadas poderiam ser um pouco mais rápidas. O câmbio automático de quatro marchas tem a opção da tecla de modo esportivo, que faz com que as mudanças de marchas ocorram em rotações elevadas e o carro fica um pouco mais esperto, mas aumenta o consumo e os ruídos de funcionamento.

Kickdown
O câmbio tem ainda a tecla antipatinagem, que evita que as rodas de tração deslizem em pisos escorregadios. As mudanças de marchas são feitas de forma suave, mas quando se pisa fundo no acelerador, o chamado kickdown, o câmbio demora um pouco para fazer a mudança, retardando a retomada. Falta também o mostrador de marcha engatada no painel.



Áspero
A direção com assistência hidráulica foi bem calibrada, garantindo segurança em velocidades elevadas e facilidade em manobras, com bom diâmetro de giro. As suspensões privilegiam a estabilidade, fazendo do Vectra um sedã seguro em curvas. Mas, sobre pisos irregulares, as suspensões se mostram ásperas, causando desconforto. Os pneus de perfil baixo também contribuem para tal situação. O sistema de freios, com ABS e EBD, mostrou-se eficiente.

Acabamento
O carro tem estilo moderno e acabamento interno de boa qualidade. Os bancos não são dos mais confortáveis, mas o espaço interno é bom. O porta-malas também é de bom tamanho, apesar da abertura pequena. O nível de ruídos internos é aceitável e a visibilidade traseira, ruim.

Veja a avaliação técnica, o preços, os equipamentos, a ficha técnica e o teste de outros modelos do Vectra no Veja Também, no canto superior direito desta página.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade